Novo tipo de memória pode juntar o melhor da RAM e da ROM

Se a RAM é rápida mas perde os dados quando sem energia, a ROM é lenta mas mantêm os dados guardados. O novo tipo de memória junta o melhor dos dois!

Na informática temos as memórias de acesso aleatório, as mais comuns, e denominadas de RAM (random Access Memory), e as memórias usadas para guardar dados internamente de forma constante, como a Bios ou o Firmware, denominadas de ROM (Real Only Memory).

As RAM são as memórias que equipas os sistemas informáticos, alimentando processadores e placas gráficas. São rápidas e com baixa latência, mas em contrapartida, incapazes de manter os dados quando não alimentadas por energia.

Já as ROM são também muito usadas para guardar a Bios ou Firmwares de aparelhos. São memórias que são rápidas a ler, mas muito lentas a escrever. E apesar de uma grande evolução recente nas ROM graças às memórias NAND (ou Flash ROM), usadas por exemplo para armazenar aplicações em smartphones, em pen drives ou SSDs, esta memória continua a ser bastante mais lenta que a RAM, não a podendo por isso substituir.

Mas agora eis que surge uma nova memória que promete juntar o melhor dos dois mundo e, quem sabe, ir até um pouco mais além.



A ideia passa por uma memória de porta semi-flutuante baseada em heteroestruturas de van der Waals para aplicações quase não voláteis, e está a ser criada por cientistas da Universidade de Fudan, em Xangai, e que recentemente publicaram um estudo sobre esta nova tecnologia na revista Nature Nanotechnology .

Mas qual o interesse desta memória?

Bem, a realidade é que nem ROM nem RAM são perfeitas e por isso os aparelhos misturam sempre as duas, criando situações que não são perfeitas. Por exemplo, se estão a fazer um trabalho e falta a luz, ou houve uma gravação recente, ou tudo é perdido. Não seria bom se isso pudesse ser evitado?

Vejam o vídeo que se segue que elabora um pouco sobre as diferenças entre estas memórias e as vantagens de uma combinação das duas:

Outra das vantagens que esta memória poderá vir a ter, e esta será uma das novidades, é a escolha do tempo que querem que os dados permaneçam na memória. Por exemplo, isso pode ser interessante para apagar sem intervenção ficheiros antigos não usados, ou ficheiros temporários:

Esta é uma memória que ainda está em testes, e que vai demorar a chegar ao mercado.



Posts Relacionados