O maior trunfo da Sony é maior que a Playstation 5… é maior que as consolas

O artigo que se segue é extremamente inspirado num artigo original da Forbes.

O mercado das consolas oferece-nos várias ofertas para jogar. Switch, Xbox e PS4.

Se a Switch pode ser considerada um mercado algo paralelo pois a sua oferta é diferentes, a Xbox e a Playstation concorrem basicamente pelo mesmo mercado, e oferecem conteúdo basicamente igual.

Ora se é assim, porque motivo há uma preferência sobre uma das consolas?

Será que tal se deve à diferença de performances?



Na realidade não, e isso comprova-se quando vemos que a consola actualmente mais potente do mercado é a Xbox One X, e que ela não virou minimamente o rumo das vendas.
Para além do mais, a realidade é que , mais pixel, menos pixel, as consolas oferecem basicamente o mesmo jogo, pelo que outros factores entram aqui em jogo.

Será o preço?

Bem, inicialmente o Kinect levou a que a Xbox fosse 100 euros mais cara, e isso pode ter pesado. Mas actualmente isso não é uma questão, e por norma a Xbox até se encontra bastante mais barata que a Playstation. Mas no entanto as vendas da PS4 são superiores.

Basicamente, e para o grosso do mercado, o mercado das consolas define-se basicamente por um outro factor. Os jogos de elevada qualidade que podem ser jogados numa das consolas, mas não podem ser jogados na outra.

São os nossos conhecidos exclusivos.

Apesar de muitos tentarem negar a sua importância ela é evidente demais para ser ignorada. Perante dois produtos de oferta semelhante, a escolha cai naturalmente na diferença entre eles. E essa diferença está naquilo que é a essência das consolas. Naquilo que é o motivo pelo qual se compra uma consola: Os jogos!



Basicamente a escolha acaba por suceder de acordo com aquilo que são os jogos que as pessoas querem jogar. Se o gosto é por um exclusivo Xbox, a escolha será Xbox, se é por um exclusivo PS, a escolha será PS. É tão simples como isso, até porque o resto dos jogos são basicamente comuns a ambas.

Daí que temos de olhar para uma empresa como a Sony, não como a produtora da Playstation, mas sim como a empresa que detêm títulos como Bloodborne, God of War, Uncharted 4, Spider-Man, Horizon Zero DawnDeath Stranding, Ghosts of Tsushima e The Last of Us Part 2.

Estes são jogos de sucesso. Jogos que definem padrões de qualidade, sucessos de venda, e jogos que nenhum jogador digno desse nome pode deixar passar. E devido a isso a Sony estabeleceu-se como uma das fontes mais proeminentes de jogos de qualidade AAA, jogos com a qualidade máxima e de elevado custo de produção, e acima de tudo para jogador único.

Com a mudança para uma nova era, quer se goste ou não, este é um dos pontos fortes da Sony, e uma imagem extremamente marcada no mercado. E isto será verdade mesmo que a industria se foque na Cloud ou em outra coisa qualquer. O conteúdo da Sony é único, é em quantidade, é imprescindível, e continuará a sê-lo caso a empresa mantenha a sua filosofia.

Aqui, e ao contrário da Xbox, o valor do conteúdo não é hipotético, e acima de tudo não é tingido pela ideia de poder decrescer em qualidade pela aposta em mercados de Streaming e subscrição. A Sony tem sabido gerir muito bem a questão dos seus serviços equivalentes (PSNow), olhando para eles como alternativas e não como o mercado principal a explorar. E isto é uma garantia adicional que só a Sony oferece, de que continuara a apostar nos jogos de qualidade no futuro.



Os exclusivos são e sempre foram relevantes. Em qualquer área! É o que distingue os serviços. Aliás o Netflix, tantas vezes tomado como o exemplo a copiar para o mercado dos videojogos, gasta largas centenas de milhões em exclusivos que os distingam da concorrência. Aliás a Disney fez o mesmo recentemente, apostando as fichas todas na sua série The Mandalorian, considerada das mais caras de sempre.

E isso porque o poder dos exclusivos de qualidade é reconhecido.

Sim, é certo que nem todos gostam de jogos premium. Se formos a ver, há mais pessoas a jogar Fortnite do que God of War e Spider-Man. Mas isso não invalida nada! Apesar de as pessoas no Netflix verem mais séries como o The Office ou o Friends, é conteúdo de qualidade, como o The Irishman que dá ao serviço uma imagem premium. E é essa imagem que passa na Sony também. Numa analogia podemos dizer que o Fortnite está lá, mas o que a distingue é o Bloodborne!

E a Microsoft, apesar de ter acordado tarde, sabe disso. Por isso é que recentemente tem andado a comprar estúdios como quem compra pão. Eles tem noção que o conteúdo é o que faz a diferença. Foi pena é terem acordado tarde, e não terem criado uma imagem de conteúdo premium na actual geração, sendo que por isso mesmo não entram com essa imagem na próxima. Pelo contrário, a imagem com que entram é a de uma consola com fraco suporte, e virada para serviços diversos pagos mensalmente, focada em se expandir para outros mercados usando o Streaming.

A nova geração deverá acabar com o conceito de gerações, ao permitir a retro compatibilidade com todas as consolas anteriores. Não fora a ameaça do streaming e esta geração seria certamente tranquila e fantástica para todos. Mas o Streaming irá tentar competir com este mercado premium da qualidade de topo oferecendo bastante conteúdo de menor qualidade a baixo preço. Mas este é um sector cujo crescimento é questionável, especialmente depois do grande barrete que foi o Stadia. Daí que poderemos acreditar que a próxima geração ainda será largamente apoiada no modelo tradicional.



E neste momento o mercado dos jogos de qualidade está claramente associado ao hardware da Sony. Daí para a frente, qualquer das empresas está em condições de o adaptar à cloud ou a outra coisa qualquer, conforme o mercado o ditar. Mas a imagem da maior qualidade, essa vai partir com a Sony.

Atualmente no campo dos exclusivos a Sony apenas tem como “rival” a Nintendo, que fica porém entre aspas por serem jogos com o seu estilo e identidade próprios e diferentes dos da Sony.

Mas a verdade é que este trunfo da Sony vai-os servir em qualquer futuro que possa vir a aparecer. Porque o Gaming é sobre jogos… e a imagem dos jogos de qualidade e o nome Sony estão, actualmente, após uma geração com um suporte e qualidade gigante, tremendamente associados.

Nota: artigo baseado e inspirado em um original da Forbes.



42 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
bruno
bruno
7 meses atrás

Como anda o Matt Pischatella a dizer no twitter: na proxma geracao o conteudo e rei.

Sempre foi alias, a postura que se defendeu aqui. Muitos desconhecem isto, mas a divisao PS por si e uma publisher a altura da Activision, EA ou Ubisoft. Chega a ter mais titulos lancados e por conseguinte numeros de vendas que algumas delas. Ai sempre residiu a forca da PS, e e onde reside a forca de qualquer fabricante de consolas. No conteudo interno que permite vender a plataforma e demonstrar as capacidades do hardware apesar dos seus limites.

E eu suspeito que o silencio de empresas como Sony e Google se prende um pouco com isto. Ha neste momento uma corrida as aquisicoes e aos estudios, cujo o objectivo e angariar IPs e estudios. A MS ja o fez, e suspeito que continua activamente a tentar faze-lo. Alias, recentamente surgiu a noticia que tentou adquirir a Platinum Games, sem efeito.

nETTo
nETTo
Responder a  bruno
7 meses atrás

Concordo, espero mesmo que pro bem da do Playstation e da Sony ela esteja correndo atrás de fortalecer o seu contéudo firts party adquerindo devs e trazendo pra si ips e contéudos cada vez mais diversificados.

Rui
Rui
7 meses atrás

Esta conversa outra vez, a ps4 iria vender mais esta geração mesmo sem o bloodborne sem o spider man, sem deathstranding sem o horizon, sem o tlg.
Agora quem quiser acreditar no pai natal esta a vontade, nao foram os exclusivos que fizeram a sony ganhar a geração ps1 e ps2 e ps4 foram por razoes diferentes em que os exclusivos ajudam mas nao sao o factor fulcral.

No mundo atual e com youtube e redes sociais a mistura a tendência inicial é dificil alterar.

A x360 nao tinha assim tantos exclusivos para lhe darem uma lideranca tranquila face a ps3 quase ate ao final.

Eu nao tenho essa visao poderia ir de geração em geração e explicar o porque das vendas, mas em portugal estou habituado a ler esta historia da carochinha, se os exclusivos fossem o essencial as consolas nem existiam nesse aspecto a plataforma com mais exclusivos as centenas ou milhares é o pc.

Marcos
Marcos
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

PS4 mais de 100 milhoes de consoles vendidos e menos de 10 jogos vendidos por console e menos de 10% da base comprou exclusivos.
O que vende é FIFA E COD

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Rui
7 meses atrás

@Rui respeito a opinião, mas vai para aí uma grande confusão.
Tens mais que uma indústria a dar sinais e a provar que estás errado.
Garanto-te que se os exclusivos Sony que eu sigo as histórias a tanto tempo passarem a ser exclusivos Xbox ou de outra marca qualquer trocava rapidinho de plataforma.

Rui
Rui
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Sr Mário o que você disse eu nao discordo, o que nos separa é a importância vital que você dá aos exclusivos e eu não.

Sao importantes no panorama geral? Sim, mas é o factor fundamental que vai defenir quem ganha, nao.

Mantenho o que disse, e facamos este exercício teórico apaguemos aqueles jogos da historia que falei e mais um ou outro e mantinhamos os uncharted os last of us e os gran turismo os God of war os do costume digamos e do lado da xbox tudo igual sem mexer nada.

Qual seria o resultado da geracao? A ps4 venderia mais, menos milhao mais milhao, o dano inicial e o preço foi fatal.

Eu vejo o investimento da Microsoft em (mais) exclusivos em 3 vertentes.

1- opiniao pública positiva, youtubes,revistas,redes sociais.
2- esta geração teve menos exclusivos que na anterior.
3- e este para mim é o principal motivo de mais exclusivos,o gamepass.

AlexandreR
AlexandreR
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Pelos vistos é um trunfo que poderá deixar de ser…
Falam que a Amazon listou o Horizon zero dawn para Pc!

bruno
bruno
Responder a  Rui
7 meses atrás

Ainda me vais explicar a lógica, Rui, de reconheceres que exclusivos são importantes para o Gamepass, mas não são importantes para a consola.

Porque é isto estás a dizer, a MS está a investir em estúdios para trazer títulos para o Gamepass. É o teu motivo número 3.

E apesar de concordar contigo (esse é um dos motivos que me deixa de pé atrás quanto à XsX), o que me deixa curioso é conseguires ver isso no Gamepass e não nos exclusivos consola.

Rui
Rui
Responder a  bruno
7 meses atrás

Para mim o factor fundamental é o binômio preço/hardware, só depois vem os jogos o nome da marca, a infraestrutura online etc etc etc etc.

Eu gosto muito dos artigos do sr mario mas nunca assinaria este, ao afirmar que os exclusivos vencem gerações de consolas, la esta sao visões diferentes.

Eu nunca disse que os exclusivos nao serviam para nada, sao importantes e na minha opiniao mais importantes ainda quando aparentemente vais apostar a fundo num serviço como o GP em que quanto mais jogos tiver mais se pode justificar o seu investimento nele.

A sega saturn falhou por nao ter exclusivos? Tinha muitos…

Mas pronto a tendência é dizer que os exclusivos ganham gerações vamos todos entrar no comboio e seguir viagem mas vou contrariado.

bruno
bruno
Responder a  Rui
7 meses atrás

Mais uma vez, Rui, nao te estou a seguir…

Uma consola, sem jogos… nao e nada. Claro que o preco/hardware sao importantes. Isso nem se discute. Mas, andar a dizer isto e o mesmo que andar a dizer que a agua molha.

Agora, nao nos iludamos! As diferencas de preco nao sao enormes e muitas vezes tem o mesmo preco para diferentes maquinas. Se me dissesses se uma custar 800 e a outra 500, isto e importante, e claro que concordo contigo… O problema e que isto nunca acontece!

Se a Xbox ONE por 500$ tivesse acabado mais poderosa que a PS4, sera que ainda hoje falariamos de preco como fator? Aqui na Europa garanto-te que a Xbox chega a ser 30/40 euros mais barata que a PS4 e a MS foi incrivelmente agressiva neste quesito… E no entanto…. Nada!

A grande questao, e que chegamos a um ponto onde basicamente dizes que “nao aceitas que os exclusivos importem”, mas nao argumentas a tua opiniao.

Eu por outro lado, vou argumentar:

– PS3: chega ao mercado um ano depois da 360, chega mais cara (e estamos a falar de uma diferenca de ate 200 euros) e com pior performance em todos os third. No entanto termina a geracao empatada com essa consola. O que se passou? Nao teve mesmo nada a haver com God of War III, Uncharted, ou titulos como The Last of US ou Heavy Rain? Sera que o facto de a Sony se ter fartado de apostar em exclusivos, nao contribuiu em nada para esse sucesso?

– Xbox ONE X: esta consola em 2017 recuperou a coroa do poder para a ONE. No entanto, isso nao inverteu os numeros de vendas. Estamos perante um caso em que o poder chega e nao faz nada… Isto tambem nao esta relacionado com o facto de que nessa mesma altura a MS fechou imenso estudios, cancelou projectos enquanto a Sony apostou forte e feio dos exclusivos?

-Sega Saturn: a consola falhou por nao ter exclusivos? Claro que sim! A Saturn tinha os jogos sega, mas nao tinha muitos thirds que a PS1 tinha (por culpa da propria sega e da confusao de hardware que foi). Resi 2, Final Fantasy VII, TRII, TRIII, Metal Gear Solid, sao exemplos de jogos que sao hoje grandes series, que vendiam milhoes e que nao estavam presentes na consola da Sega. So estavam presents na PS. E curiosamente, esta foi a consola que chegou aos 100 milhoes.

– Quarto: argumentas que o servico como o Gamepass precisa de jogos, e quantos mais jogos tiver melhor… O que nao consigo entender e como tu consideras corretamente isto verdade para o gamepass, mas nao consideras que o maquina que o unico que faz e correr jogos, nao precise da mesma coisa para vender!

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

@Mario Exacto 😁

Vitor Calado
Vitor Calado
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Mario vender a nossa marca é sempre melhr que vender as marcas de terceiros, mas isso não significa que a nossa marca tenha que ser exclusiva, a MS comprou estúdios para ter jogos para vender para os seus clientes, mas não me choca nada ele vender os jogos para xbox para PC e até para a Nitendo, para a Sony não vai ser possível pois a Sony não vai deixar senão seriam também para a PS5, os exclusivos existem para vender consolas, se as consolas vão acabar fazer o quê?? continuar a insistir em produções megalómanas para vender apenas nas consolas da marca??? e se a PS5 vender apenas 25 milhões e as pessoas começarem a ir para o streaming??? a Sony faz o quê com os exclusivos?? saldos??? as pessoas estão a sobrestimar o STADIA, a google tem dinheiro e tem hardware mais que suficiente para fazer um serviço de sucesso, não tem jogos…ok…é só esperar a nova geração começar e o Stadia vai acompanhar a PS5 e a XBOX SX pois os jogos multi que saírem para uma vão sair para todas e os 100 milhões de PS4 que tem entre zero a 1 exclusivos comprados vão dizer olá

Vitor Calado
Vitor Calado
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Não te esqueças que a PS4 tem uma média per capita de exclusivos inferior a 2!!!!!! como sabemos que tem o FAN que compra tudo o que é exclusivos significa que existem milhões e milhões de PS4 que tem zero exclusivos ou 1 exclusivos que vinha com a consola, ou que foi oferecido no Natal pela familia mas que não é mandatário na escolha da plataforma, se o streaming se tornar popular muitas dessas pessoas vão jogar o seu Fifa ou o seu fortnite por streaming e tem o jogo sempre actualizado (pagando é claro) sem ter que andar ás compras e a fazer downloads todos os anos do mesmo produto e eu vejo a molecada toda a aderir a esse formato, os pais vão pagando as actualizações dos jogos, mas não compram consolas nem jogos novos todos os anos…posso estar enganado, mas depois de começar a ganhar expressão o streaming de jogos vai dominar completamente o mercado…o Phill Spencer pode ser o que é e ter defeitos como todos nós temos, mas ele tem visão do mercado e sabe qual vai ser o futuro e está a alinhar a MS para esse futuro…quer gostem quer não gostem, o futuro é feito pela escolha das maiorias e a escolha das maiorias pode não ser a melhor mas é a mais democrática…aceitem e sejam felizes

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Rui
7 meses atrás

E ainda acrescento que a geração passada comprei a PS3 por causa dos exclusivos da Sony que estão sempre a surpreender (e muitos acompanho desde o inicio) , e comprei a 360 também porque tinha exclusivos que queria mt jogar….
Já está geração fui de PS4 e Nintendo porque será?

Alex
Alex
Responder a  Rui
7 meses atrás

Eu comprei a PS4 por causa do god of war e do uncharted… e de certeza que vou comprar a PS5.

Vitor Calado
Vitor Calado
Responder a  Rui
7 meses atrás

Os exclusivos são feitos para venderem consolas, mas nem todos são eficazes, a Nitendo tem uma eficácia de tal maneira elevada que lhe permite nem entrar na guerra do poder, o que se passa é que as consolas estão com os dias contados, amanhã não será a véspera desse dia, mas o streaming vai dominar o panorama dos jogos, pela sua facilidade de distribuição, pelo potencial de teres as máquinas todas juntas em que permite fazer coisas que nós nem imaginámos e que vão aparecer assim que o streaming for dominante, enfim onde eu quero chegar é que num mundo sem consolas os exclusivos deixam de ter o seu principal objectivo que é vender consolas. Concordo contigo a Nitendo vende por causa dos exclusivos a Sony vende por um misto de exclusivos virtuais e da fama da marca, exclusivos virtuais são aqueles que ainda não existem mas que já estão a vender consolas, como aquele fan que vai comprar a Ps5 sabendo que vai sair um GT, um GoW, um Uncharted um days gone, etc e a marca playstation que em alguns países como Portugal é sinónimo de consolas, quando eu jogava em casa dos meus pais xbox360, a minha mãe dizia sempre: o meu filho está a jogar playstation com os amigos…

A qualidade dos jogos da Sony também é discutível pois eu por exemplo não consigo jogar um Unchardet ou um GoW até ao fim, já estou tão saturado do género que não tenho paciência…como também já não tenho paciência para o Halo ou para o Gears ou forza, não é fanboismo é desgaste mesmo de muitos jogos todos dentro da mesma temática, por isso as pessoas vão para o fortnite ou para o LOL ou PUBG, são jogos muito divertidos e sempre diferentes, e se dos 110 milhões de PS4 10 jogam uncharted e god of war e 50 jogam fortenite e Minecraft ou GTA online alguma coisa se passa, ou será que vcs são o supra sumo da inteligência e nós andamos todos enganados?? como dizia aquela mãe galinha: puxa o meu filho é o único que vai a marchar com o passo certo na parada do juramento de bandeira….

bruno
bruno
Responder a  Vitor Calado
7 meses atrás

@Vitor… Entao a tua mae dizia, ha coisa de 10/11 anos atras, que andavas a jogar PS com os teus amigos quando na realidade jogavas 360?!… Caramba!

Tu deves ser dos mais jovens CEO de empresa a ter existido Vitor. E que dizer dos teus netos?! Um avo tao jovem! Deve ser o maior choque da vida deles para eles.. E caso de tratamento psicologico das criancas. Ou entao e caso mesmo do avo que vivia na casa dos pais ate a mae ter 90 anos e ter que justificar as imaginarias visitas centenarias que o filho, o marmajao de 50 anos, anda ainda a jogar 360 com o amigo enfiado na garagem ou no quarto.

Eu gostava, sabes, que as pessoas em vez de virem para aqui dizer repetidamente os mesmos disparates do costume. “Eu nao aceito isto, eu acho que isto deve ser assim apenas porque sim”… o provassem. Porque quem nao faz isto, enfim, so vem para aqui escrever lixo puro. Eu ja sabia que maioria dos teus comentarios eram completos disparates, que mais de metade das tretas que vinhas para aqui vomitar eram mentira pura, que tu eras um mentiroso e tu acabas de o provar sem te aperceberes, mas pelo menos apresenta fontes quando vens com tretas nada tendenciosas (estou a ser muuuuuiiiito ironico) como esta:

“Os exclusivos sao feitos para venderem consolas mas nem todos sao eficzes, a Nintendo tem uma eficacia de tal maneira elevada… A Sony vende por um misto de exclusivos virtuais e fama de marca… a qualidade dos jogos da Sony e discutivel…”

Porque tudo isto e o Vitor a dizer: “Eu gostaria que a realidade fosse esta” enquanto chora baba e ranho por nao ser assim. E nao passa disso. Triste.

Engracado tambem que afirmas que Phil Spencer tem visao de mercado, num comentario anterior a este, e que isso significa na tua opiniao que as consolas tem os dias contados face ao streaming…

Mas como explicas isto?..

https://wccftech.com/xbox-phil-spencer-consoles-decade-plus-current-competition/

Oh nao!… Parece que o Phil Spencer nao pensa como tu… e agora? E ele que nao tem visao de mercado ou o CEO e avo imaginario aqui do bairro que so vem para aqui escrever m*?

Domgamers
Domgamers
Responder a  Vitor Calado
7 meses atrás

Se os consoles acabarem, e tiver só serviços de streaming, então os exclusivos irão servir de escolhas entre os serviços disponíveis,ou será que haverá somente um serviço?

Carlos Zidane
Carlos Zidane
7 meses atrás

Fala-se muito de potência, teraflops etc, mas o que eu realmente fico pensando enquanto se discute essas questões técnicas, são as experiências que virão na nova geração.
Enquanto admiro a qualidade absurda de jogos como Horizon Zero Dawn, Spiderman, Red Dead Redemption 2 fico esperando além disso, novas e melhoradas experiências, com possibilidades ainda não exploradas.
Exclusivos ou não, espero que tenhamos conteúdos que nos façam realmente estarmos impressionados, que nos surpreeendam para o próximo ano adiante com os novos equipamentos.
Potência não significa muito sem conteúdo, olhem o PC, eu quando vejo um PC, vejo um mar de desperdício e nem me dá vontade de gastar meu dinheiro e tempo alí.

Shin
Shin
7 meses atrás

Originalmente a Microsoft não é uma empresa de software mas sim uma empresa de publicidade onde ela atrai clientes para determinado produto que não necessariamente e interno e cobra um pequeno pedagio por isso. Então para eles não importa muito quem faz o software se são seus desenvolvedores, se são terceiros etc desde que pague a eles é negócio.

Nessa última geração o Market falhou no Xbox então eles refizeram uma restruturação do seu comportamento e com ela investiram em expandir desenvolvimento interno, então eles estão se adaptando a cada coisa que o mercado reconheceu como valor no rival, com o objetivo de expandir sua quota e sua capacidade de impor sua taxa a desenvolvedores e clientes.

A Microsoft não é capaz de afetar o negócio PlayStation então eles simplesmente estão deixando a Microsoft sair na frente para eles colocar seu similar no mercado.

Se fôssemos pensar em consoles como carros a Microsoft está colocando adereços na sua linha base para fazer ele parecer um esportivo, a marca dominante por sua vez insiste em atender a algo mais clássico e seguro. É por isso que a Sony não deve está tão aberta a falar de Teraflops, eles vão mostrar dados técnicos como sempre fazem mas o PS5 é sobre rodar PS4 melhor enquanto também ganha novos títulos que parecem mais elegantes que a atual geração.

O que vende console é;

– Software
– Preço

Ewertom
Ewertom
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

No aguardo deste review,jogão.
A Nintendo é uma empresa de excelência mesmo,consegue tirar leite de pedra.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

É excelente, 2020 éum excelente ano para jogar no Switch.

Vitor PG
Vitor PG
7 meses atrás

Nossa, estamos em 2020 e ainda tem gente q acha q exclusivos não importam. Só pegar a geração passada, o PS3 era muito melhor q o x360, melhor controle, mais potente, PSN gratuita etc. mas era muito caro e não tinha pirataria, essas duas coisas não eram problemas no x360 e isso fez com q vendesse mais q o PS3 no começo da geração, aí a SONY resolveu investir em exclusivos,sendo q em 2010 com GOW 3 o PS3 deslanchou de vez, e graças a todos os exclusivos de peso o PS3 superou em vendas o x360 no finalzinho da geração

Davi
Davi
Responder a  Vitor PG
7 meses atrás

Melhor controle?!?! Então tá!👍

Davi
Davi
7 meses atrás

Off topic

Entre outras coisas, olha aí o audio 3d ray tracing no Xbox Series X. Pelo jeito não é exclusivo Sony.😉

https://www.theverge.com/2020/2/26/21154897/microsoft-xbox-series-x-resume-games-reboot-features-ray-tracing-audio

Davi
Davi
7 meses atrás

Cadê os sabichões que entendem tudo de mercado, produção e logística???😕

https://www.madinfinite.com/microsoft-indica-que-o-xbox-nao-sera-afetado-pelo-surto-de-coronavirus/

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Se continuar no ritmo que está, e nada até agora indica que não continuará, todos serão afetados com certeza, tenho pra mim que esses novos consoles provavelmente fiquem pra 2021

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

🙂 🙂

andrio
andrio
Responder a  Davi
7 meses atrás

Quer dizer que a MS tá safe e pode acontecer nada com ela?
Quando a Sony cancelou a presença em eventos a mídia aqui no Brasil achou estranho e começou a criar teorias… Digo isso no twitter onde eu sigo boa parte da mídia lá.

Agora a MS cancelando participação em evento….🤔
Esse caso do corona é bem sério!

https://techcrunch.com/2020/02/27/microsoft-withdraws-from-gdc-gaming-conference-over-coronavirus-concerns/amp/?__twitter_impression=true

error: Conteúdo protegido