O que é um fanboy de consolas, e porque motivo se usa e abusa de forma errada do termo!

Definição: Fanboy é um jargão usado para descrever um indivíduo que passou de os limites que definem um simples fan de consolas, sendo que em discussões ou debates defende o produto que gosta a todos os custos, não sendo capaz de aceitar qualquer crítica, ou reconhecer qualquer problema com os produtos ou serviços da marca de que gosta. É considerado um entusiasta excessivo ao ponto de perder a subjectividade, e denotando mesmo um estado de mente questionável, insistindo muitas vezes em argumentos repetidos e que já foram por várias vezes desmontados e comprovados como falsos, tentando-os passar como verdadeiros apenas porque defendem a sua perspectiva.

Convenhamos que no meio em que este website se insere se torna difícil encontrar alguém que o use que desconheça o termo “fanboy”, que não o tenha ou usado, ou sido confrontado com ele em mais do que uma ocasião.

Este artigo de esclarecimento sobre o que é exactamente um fanboy surgiu exactamente pelo facto que as pessoas parecem não saber distinguir essa realidade de pura objectividade. Não é porque alguem refere algo, devidamente comprovado e enquadrado, e que não é favorável a uma marca que há algum tipo de preferências, e muito menos fanboyismo. E essa falta de distinção está a tornar muitos diálogos insustentáveis, e a causar mal estar em fóruns e espaços de comentários existentes pela internet, passando-se ainda uma imagem de que os media podem ser tendenciosos.

A defesa intransigente de uma conceito, ideia ou produto, não torna uma pessoa um fanboy, mas sim um defensor desse conceito. Da mesma maneira, um constatar e elencar de realidades que aconteceram e tiveram consequências bem reais, não é ser-se fanboy! Para se ser fanboy é preciso muito, mas mesmo muito mais do que isso.

Infelizmente para todos o termo aparece usado em vários contextos, desde o simples constatar da realidade associada (ser-se mesmo fanboy), ao tentar denegrir a imagem de alguém que defende um produto ou ideia ou mesmo um artigo menos agradável sobre esse produto ou ideia, acusando-o de tal, ou até como insulto. É um termo usado regularmente dentro destas três situações.



A realidade é que a comunidade tenta evitar todos aqueles que são conotados como fanboys, o que leva a que este seja usado de forma muito própria pelos próprios fanboys para tentar colar essa imagem em terceiros que, de forma livre, tentam fazer o mercado ver a realidade das coisas, e sempre que essa postura for contra aquilo que eles entendem ser a melhor defesa dos seus interesses.

Como exemplo temos os próprios Media que, sempre que constatam acções que se prevêem não virem a ter os melhores resultados, analisando a realidade de produtos, o mercado, ou mesmo a realidade das vendas e aceitação de produtos e serviços, é atacada e denegrida de forma clara em determinados foruns, por pessoas, essas sim fanboys, que tentam criar sobre esses websites uma imagem de parcialidade e fanboyismo que leve a que as pessoas não os procurem ou tomem o que dizem como certo, de forma a que os argumentos que vão sendo expostos não apareçam nas discussões onde os verdadeiros fanboys tentam construir uma imagem diferente das coisas.



Nesse aspecto, esta geração foi a pior de sempre, com vários websites a serem conotados como parciais, pura e simplesmente porque constatam a realidade do mercado. Nós próprios, aqui na PCManias passamos por isso, mas orgulhamos-nos de ver, olhando para trás, que tudo o que dissemos, foi bem dito, e a prova está naquilo que é hoje a realidade do mercado.

Mas para que se perceba de ver, o que é verdadeiramente um fanboy? Bem, a definição foi colocada no início deste artigo, mas a realidade é que a liberdade com que o termo é usado faz com que o mesmo tenha interpretações bastante mais latas.

Mas de forma simples, cremos que a melhor forma de se definir um fanboy é a seguinte. E esta é a nossa definição de Fanboy:

Um fan excessivamente leal a um produto ou empresa que cegamente suporta todas as situações ligadas ao produto e empresa, sem questionar de forma lógica e coerente a realidade daquilo que existe. A realidade sobre o produto/marca de que é fanboy é distorcida, sendo que aquilo que todos percepcionam de uma forma, é percepcionada de forma diferente, não se aceitando essa perspectiva, e querendo-a contada de outra forma.
Infelizmente nem todos conseguem usar o termo apenas nessa realidade. E quando há um argumento em que há divergências de pontos de vistas e opiniões, torna-se mais simples, especialmente para o real fanboy, o acusar o outro de fanboy ou pelo menos, parcial (mesmo que apenas para si), em vez de se tentar perceber e a analisar o ponto de vista e contexto da pessoa com quem se dialoga.
A questão é que se é uma realidade que os fanboys existem, eles poderão não ser assim tantos como se julga. É exactamente a forma livre como o termo é usado que cria uma ilusão sobre a existência de fanboys que deverá ser superior à real, afectando pessoas e mesmo medias. Este mau uso do termo cria uma falha de comunicação, muitas vezes premeditadamente, e que afecta principalmente quem se exprime analisando o mercado de forma livre, pois tudo o que for dito dessa forma, se calhar ser predominante para um dos lados, como aconteceu nesta geração, é imediatamente catalogado como parcialidade ou fanboyismo.

Acima de tudo a comunidade tem de conseguir livrar-se das amarras daquilo que são as tentativas de se fazer opinião, julgando por si mesmo. Lá porque uma pessoa ou website defende uma posição que lhes agrada ou desagrada, isso não os torna parciais ou imparciais. O que é preciso é analisar de forma livre de preconceitos se aquilo que é dito é ou não baseado em realidades e factos passados ou apenas numa tentativa de criar uma ilusão de imagem ou tentar passar uma perspectiva diferente daquilo que é a realidade. Isso sim, algo preocupante!

Tal não implica que tenhamos de concordar todos, mas  certamente ajudaria ao debate e troca de ideias.