Onde se enquadra o GPU da Xbox One X em termos de performance?

A Xbox One X é  consola mais poderosa de sempre. Mas em termos de performance bruta, comparando com o que existe no PC, onde se enquadra o seu GPU? E o seu CPU? A resposta pode surpreender muitos!

Nota prévia: Este artigo foi sendo adiado e foi inicialmente escrito noutros termos, com as mesmas conclusões. No entanto, dado o mau clima de toxicidade que tem rodeado as consolas, preferimos não publicar o mesmo até termos da boca de pessoas credíveis dados que confirmassem o que vamos dizer. Agora que isso aconteceu, o artigo tem condições para seguir.

Quando analisamos uma consola há duas realidades a tomar em conta. A performance bruta, e o aproveitamento que se tira da mesma. Aqui não estamos a falar do rendimento interno da placa, o quel não podemos ignorar e sobre o qual iremos falar mais à frente, mas de uma outra realidade. A qualidade da optimização para o hardware que se aplica na programação.

Começando pelo GPU e olhando para 2013 vemos que o GPU da Xbox One é praticamente uma cópia chapada da R7 260, com ambas a possuírem 768 pipelines, 48 unidades de texturas e 16 ROPS. Mas apesar de performances teóricas até superiores na placa do PC devido à sua maior velocidade de relógio, esta placa nunca teve o aproveitamento que se consegue no GPU da Xbox.

Se em 2013 podiamos dizer que a responsabilidade de tal era associada ao uso de um API de baixo nível na Xbox, algo que não existia no PC, a realidade é que havia e continua a haver agora que temos o DX 12 no PC, outro factor. E ele prende-se com o facto que a programação PC usa código genérico compatível com todas as placas do mercado, ao passo que a programação da Xbox toma em conta as especificidades do seu GPU, permitindo assim obter-se melhor rendimento do mesmo.



Resumidamente o que queremos dizer é que a a comparação que será feita neste artigo servirá para percebermos aquilo que é a performance teórica do GPU da Xbox One X face ao que existe no PC, o que não invalida, pelos factores acima descritos, que na prática consigamos obter melhores resultados com a Xbox One X.

Passemos então ao artigo em si!


Desde 2013 que um termo anteriormente pouco usado se tornou corrente nos foruns. A palavra Tflops!

O termo é associado, e muito bem, a performance, mas no entanto é usado de uma forma muito liberal.

Flop é uma unidade que mede a capacidade de cálculo em virgula flutuante de um produto capaz deste tipo de cálculos. 1 flop é uma operação de virgula flutuante, normalmente medido em 1 segundo.

1 Teraflops significa que se consegue 1 000 000 000 000 operações de virgula flutuante num segundo!

Teoricamente isto parece ser algo perfeito. Se uma placa faz 2 tflops, então ela é mais rápida que uma que faz apenas 1 tflops, certo? Afinal a primeira calcula o dobro da primeira!

Errado! Um cálculo gráfico gasta várias operações em virgula flutuante, e a metodologia usada faz com que determinadas placas consigam melhores rendimentos que outras, ou seja, que apresentem o mesmo gastando menos operações. Esse é o motivo que torna o Flop uma má medida no sentido que o seu uso tem de ser devidamente enquadrado! É que a comparação de Flops só é eficaz se os produtos comparados usarem as mesmas arquitecturas. Muda-se a arquitectura, muda-se o rendimento. E um produto com mais Tflops pode não ser tão mais rápido quanto os números indicam ou, no extremo, pode até ser mais lento!

Querem exemplos?

Vamos fazer a comparação entre dois GPUs reais:

  • O primeiro GPU tem 8.5 Tflops de performance e possui 512 GB/s de largura de banda.
  • O segundo GPU tem 4 Tflops de performance e possui 192 GB/s de largura de banda.

Qual destes dois GPUs é o mais rápido?

É o que referimos em cima, e se respondeste à questão, então não percebeste o que foi dito. Aqui a resposta correcta não é dizer “é este”, ou sequer dizer “acho que é este”. A resposta correcta é “Não sei dizer sem mais dados”!

Porque aqui falta o dado mais relevante para uma resposta correcta: “Os GPUs possuem a mesma arquitectura interna?”.

Dado que estamos a falar de GPUs reais, podemos acrescentar:

  • O primeiro GPU é AMD
  • O segundo GPU é Nvidia

Sabes agora dizer qual o mais rápido?

Mais uma vez, se pensaste em responder… erraste!

É certo que este dado acrescenta muita informação pois é um facto conhecido que o rendimento das placas Nvidia é superior ao da AMD! Mas aqui estamos a falar de mais do dobro da performance e da largura de banda.

Daí que qualquer raciocinio que se possa fazer é meramente especulativo. Poderemos quando muito dizer que é duvidoso que o GPU mais lento supere o outro, mas a realidade é que nem sequer isso podemos dizer com toda a certeza. Aqui só mesmo os benchmarks com dados reais é que podem retirar a dúvida.

Se agora acrescentar:

  • O primeiro GPU é uma Radeon Fury X
  • O segundo GPU é uma GTX 1060

Mesmo perante estes dados não sabemos só por si qual é mais rápido. Mas com eles podemos fazer algo que nos valida de forma correcta e cientifica as performances reais de cada um. Aplicar aqui medições ou benchmarks que meçam para vários casos o que cada uma das placas vale.

E com eles vemos que o primeiro GPU é efectivamente superior ao segundo, especialmente a 4K, mas no entanto os benchmarks também revelam uma outra coisa. Que os resultados reais estão bem longa da performance dupla que os valores de potência pareciam indicar, sendo que por vezes até fica atrás. Na realidade, a diferença de performances, apesar de muitas vezes favorável à Fury X só quase o é sempre nas resoluções superiores sendo que percentualmente os resultados são bem inferiores à diferença mostrada pelas especificações.

Este é o problema que temos a medir a performance da Xbox One X. Infelizmente não podemos fazer benchmarks comuns a ela e aos GPUs PC que nos digam o que realmente valem os seus 6 Tflops face a um mercado onde contamos também com placas Nvidia.

Podemos no entanto fazer uma outra coisa… Comparar com os produtos AMD, e uma vez encontrado o equivalente no PC, comparar benchmarks deste com as placas Nvidia, encontrando assim a referência no PC.

E é isso que vamos fazer de seguida:

Xbox One X 

O que sabemos sobre a Xbox One X?

Ela possui um GPU baseado na arquitectura Polaris, logo o GPU PC para comparação será idealmente baseado na mesmíssima arquitectura. Só aí a comparação de Flops será 100% válida!

De resto a Xbox One X possui 2560 pipelines, que se traduzem em 40 CUs, 160 TMUs e 32 ROPS. O GPU corre a 1172 Mhz, estando equipado com memória GDDR 5 a 1700 Mhz (6000 Mhz efectivos), e ligada ao GPU num bus de 384 bits.

Por aqui calculamos já alguns dos dados conhecidos da consola.

os 2560 pipelines, multiplicados pela velocidade de 1172 Mhz, e multiplicados por 2 uma vez que o GPU pode fazer cálculos gráficos e genéricos em simultâneo dão-nos:

2560*1172*2=6000640, ou seja, basicamente 6 Tflops e “uns centimos”.

Já os dados da memória indicam-nos:

1700*384/2=326400, ou seja a largura de banda correcta do GPU é de 326,4 GB/s e não os 320 GB/s que normalmente se fala!

Precisamos então de um GPU equivalente para comparar!

Ora no PC, o GPU mais próximo é a RX 580, também baseada na arquitectura Polaris.

RX 580

Este GPU é tambem baseado na arquitectura Polaris! Possui 2304 pipelines, que se traduzem em 36 CUs, 144 TMUs e 32 ROPs.

Basicamente este GPU é inferior a nível de especificações ao da Xbox One X, mas no entanto, essa quebra é compensada de outra forma!

O GPU pode correr a 1340 Mhz, tendo a memória a 2000 Mhz, o que se traduz numa velocidade efectiva de 8000 Mhz, num bus de 256 bits!

Isto traduz-se no seguinte:

2304*1340*2=6174720, ou 6,17 Tflops!

Com uma largura de banda de:

2000*256/2=256000 ou 256 GB/s.

Estamos aqui com valores bastante semelhantes. Superiores no que toca à performance bruta (menos trabalho paralelo, mas trabalho mais rápido, com um equilíbrio final superior), e no global, certamente bastante equilibrados no que toca à largura de banda!

Mas espera aí? A Xbox One X não tinha 326,4 GB/s? Como é que se considera que 256 GB/s é perto? Há uma diferença de 70 GB/s.

Sim, é verdade! Mas convêm perceber o motivo porque essa largura de banda existe realmente!

Então a pergunta é: Porque motivo a Xbox One X tem a largura de banda que tem?

Acima de tudo convêm não esquecer que a Xbox One X não é uma consola de nova geração. Nesse sentido o seu GPU não foi criado para correr jogos pensados em tirar partido total do seu hardware. Os jogos que ali correrão são criados para a Xbox One base, e o intuito deste GPU é fazer a passagem para resoluções 4K ou próximas, e onde possível, melhorar em cima do que existe. Então porque motivo se usou 326.4 GB/s?

Bem, é muito simples, basta analisar o hardware da Xbox One com o qual a Xbox One X teria de ser compatível para vermos duas realidades:



1 –  A eSRAM pode ter picos pontuais de 272 GB/s.
2 – O CPU da Xbox não acede à eSRAM

Pegando nos dois dados a Xbox One X teria de ter uma largura de banda sempre superior a 272 GB/s, mesmo que isso não seja uma necessidade premente. Mas dado que os jogos são feitos para a Xbox One e esse pico pode existir, a X ou tinha essa largura de banda ou corria o risco de ter quebras pontuais de performance. E isso nunca poderia acontecer!

Ora sabendo-se que o CPU da Xbox não acede à eSRAM, a esses 272 GB/s temos de acrescentar a largura de banda usada pelo CPU de forma a garantir que não há aqui gargalos novos não existentes na One base. E isso traz-nos para os 326.4 Gb/s.

A diferença efectiva é de 54,4 GB/s, um valor que certamente não será todo usado, mas que acaba até por ser inferior ao que a Xbox One tem teoricamente disponível para o CPU, 68 GB/s. Mas aqui sabemos que dificilmente o CPU usará estes valores, e que ambos os lados estão com margens grandes!

Seja como for, a realidade é que por aqui percebemos muito do que está por detrás do GPU da Xbox One X. A largura de banda da RX 580 terá sido correctamente calculada pela AMD face ás necessidades da placa. O facto de a Xbox One X ter essa largura de banda superior deve-se pura e simplesmente aos factores referidos em cima. A compatibilidade com a One, e a partilha de largura de banda com o CPU que não existe nos GPUs PC.

Perante estes dados percebemos que a diferença na largura de banda não é um factor que se possa considerar limitativo, e sendo a RX 580 até ligeiramente mais rápida, podemos considerar que o CPU da One X, mesmo tendo algumas melhorias derivadas dos GPUs Vega (entre as quais o número de CUs, limitado a 36 nas Polaris), está equiparado à RX 580.

Ou seja, o equivalente AMD no PC ao GPU da Xbox One X será a RX 580!

Nada mau… pelo menos para uma consola!

Mas a realidade é que a comunidade olha para a Xbox One X como “A BESTA”. E sim, apesar de a nível de consolas, ela ser a mais potente de sempre, a nível das performances que se podem obter no PC, a consola não é nada de extraordinário.

Considerando performances médias e não as pontuais obtidas no jogo A ou B, o que vale uma RX 580?

Para isso, nada como consultar o techpowerup. E o que vemos é o seguinte no capítulo da performance relativa, considerando a RX 580 como o padrão:

A nível médio placa situa-se entre a GTX 690 e a GTX 980!

Podem ver benchmarks da RX 580 vs GTX 1060 aqui, e que de certa forma comprovam esta posição percebendo-se a equivalência entre os GPUs que o Techpowerup contabiliza como tendo uma diferença de performances média de apenas 6%, favoráveis à GTX 1060.

Mas e o GPU da Xbox One?

Eis os resultados do Techpowerup.

Como vemos, este GPU, ao ser ligeiramente mais lento que a RX 580 até lhe fica atrás, e isso vê-se pela distância à GTX 980 que no caso de cima é 4% e aqui é de 7%.

Desta forma podemos comparar este GPU com os Nvidia… e percebemos então que no que toca à performance bruta teórica, o GPU da Xbox One X não chega sequer à Geforce GTX 1060 que a supera em média em 9%.

Estas nossas conclusões que, pela toxicidade da internet, não quisemos publicar sem que mais alguém com credibilidade o dissesse, foi agora confirmado por um grande produtor, a Crytek, criadores de um dos mais potentes motores do mercado, o Cryengine. Aqui, pela primeira vez, não estamos perante uma empresa Indie que faz pequenos jogos sem nunca explorar verdadeiramente a totalidade de um GPU, mas sim uma empresa que cria software que é a base dos videojogos, software que é capaz de puxar ao máximo pelos sistemas, que já lidou muitas vezes de perto com as consolas Microsoft, e que adequou inclusive o seu motor para a Xbox One X, e assim sendo uma empresa cujas afirmações devemos ter em conta.

Eis então que ela afirma:

Crytek: Xbox One X GPU comparable to standard gaming PC. CPU performance is roughly 1/3 of Ryzen.

A frase mais relevante da entrevista é a seguinte:

The Xbox One X is very comparable to the standard gaming PC on the GPU end. It will be on the CPU end that you will find the PC to still be outshining the console. 

A Crytek não fala especificamente num GPU, mas compara-o a um Sistema de Gaming PC standard, referindo que no entanto de uma forma genérica, no que toca ao CPU o PC bate a consola.

Mas um  PC de jogos standard. O que é isso?

Verificando o Steam, um “Standard PC Gaming” é basicamente aquele que mais existe (daí o definir o standard), ou seja, basicamente um PC equipado com uma GTX 970 ou uma GTX 1060!

Basicamente, é exactamente o intervalo que referíamos!

CPU

É pegando nas afirmações da Crytek que vamos começar a falar do CPU! Estamos aqui perante um CPU jaguar, com as mesmas forças e fraquezas dos CPUs das restantes consolas e que se revela bastante fraco face à média dos CPUs usados no PC.

Este CPU é no entanto indicado pela Microsoft como tendo diversas melhorias face à Xbox One, nomeadamente por ter recebido instruções especificas para lidar com comandos DirectX 12, e sendo apontando um ganho de performances de 30%.

E é aqui que temos alguma dificuldade em perceber onde estão os reais ganhos do CPU. Separar o Marketing da realidade nunca foi algo fácil, e a Microsoft é extremamente habilidosa nesse sentido! E não revelando dados técnicos do CPU, falar dele é quase impossível!

No entanto, algo nos salta à vista. É que a Microsoft refere que ele apresenta ganhos de 30% face ao CPU da Xbox One. E isso no fundo não é dizer muito. 30% onde, como e quando? É que verificando aquilo que é o ganho das performances pelo simples aumento da velocidade de relógio obtemos logo uns 31,4%. Logo, terá de surgir a questão: Houve realmente outros ganhos?

A Microsoft não é clara quanto a isso! Aliás mesmo no que se refere às supostas melhorias que o CPU teve face à Xbox One X no que toca às instruções específicas para lidar com o DirectX 12 (D3D12), quando questionada sobre elas por sites da especialidade sobre quais foram especificamente, a Microsoft mete os pés pelas mãos e as mãos pelos pés, evitando responder. Mas perante a insistência e as perguntas Andrew Goossen da Microsoft resolveu esclarecer que na realidade o suporte hardware D3D12 que se refere existir neste CPU também existe na XBox one e na Xbox One S.

Basicamente, perante esta espécie de retrocesso nas declarações, o que se concluiu é que afinal aquilo que foi dado a entender como uma novidade, afinal não o é! E sem mais dados ficamos sem saber ao certo o que foi melhorado… se é que algo!

Este reconhecimento de Andrew Gossen está neste momento incluído neste artigo de análise à Xbox One X da Eurogamer.

Seja como for, com ou sem ganhos adicionais, a Crytek é clara. O CPU da Xbox One X, mesmo com todas as optimizações e aumentos de velocidade varia entre 50% ou 1/3 de um dos atuais Ryzen… E isso é suficiente para se perceber com o que se conta no que toca à comparação com o PC!

Conclusões

Basicamente o GPU da Xbox One X é um GPU que se compara a um GPU PC de classe média, neste caso uma RX 580 da AMD ou uma GTX 1060 da Nvidia, falando apenas de placas ainda em fabrico.

Esta é a realidade das performances brutas e teóricas, mas como referido na nota introdutória, não é necessariamente aquilo que visualizaremos. Apesar de os APIs de baixo nível estarem agora no PC, e como tal a grande vantagem que as consolas levavam nesse campo estar anulada, a realidade é que as optimizações consola e a programação para o hardware específico ainda trazem muitas vantagens. E nesse aspecto podemos vir a ver resultados a compararem-se com hardware superior. Não porque o hardware seja efectivamente superior, mas porque a optimização para um hardware único o permite!

Mas neste caso, para este artigo vamos apenas falar do concreto, o poder bruto, e nesse aspecto é no intervalo de cima que o GPU da One X se enquadra.

Já quanto ao CPU é o que referimos. Pode ir entre 1/3 a 1/2 do que apresentam os atuais Ryzen, mas convem tambem aqui referir que isso é o mínimo dos problemas! Os jogos criados para a Xbox terão de correr no Jaguar a 1.75 Ghz da Xbox One, pelo que neste caso a margem para melhoria estará sempre cá..

Seja como for, a intenção deste artigo é desmistificar um pouco o termo “A BESTA”. A Xbox One X é merecidamente a consola mais potente de sempre, e nesse campo, o da performance bruta,  não tem sequer uma concorrente verdadeiramente à altura, apesar de a Pro conseguir fazer o suficiente para trazer também melhorias face aos jogos PS4. Mas se realmente, no domínio das consolas, esta é sem dúvida a mais potente consola alguma vez construída, deixando para trás tudo o que existe, face ao que os PCs apresentam, a Xbox One X está equipada com um GPU meio de gama, e um CPU que o limita tremendamente. E face a isso, nesse universo, a Xbox One X de “BESTA” tem muito pouco.





Posts Relacionados

  Subscribe  
newest oldest
Notify of
Júlio Esteves
Visitante
Júlio Esteves

Bom artigo e muito esclarecedor. Acho que qundo você disse que o XBOX não consegue acesso a esram o certo seria o XBOX X não consegue …
Fiquei curioso se o XBOX X não estivesse preso ao ser irmão mais velho, tendo jogos feitos para ele, ele onseguiria 4k e fps maiores e mais estáveis?

Vitor Calado
Visitante
Vitor Calado

Comparar a X com o PC não parece ser nada justo, a cada mês que passa saem novos componentes para o PC, se agora a X já não é uma BESTA daqui a 3 anos será um gatinho e daqui a 5 ou 6 (final da sua vida) será um porquinho da Índia…e depois? A X é a melhor consola da actualidade, mais potente, mais silenciosa, mais bem optimizada…e é isso que importa para quem gosta de ter o melhor no seu género, o resto é apenas ruído de fundo

bruno
Visitante
bruno

Reparaste na enorme contradição do que dizes?

A X não pode ser comparada com o PC porque o PC anda sempre a ser atualizado… (tens toda a razão) E diz-me a X não é, ela mesma, uma atualização de uma consola que saiu há 4 anos? Não anda a concorrer com consolas com 4 anos?

É irónico quem suporta este tipo de upgrades em consolas criticar a comparação com o PC porque este… sofre continuamente upgrades?

Além do mais, estamos a falar de uma consola a que foi lançada este ano.

Raphael
Visitante
Raphael

Mário, acredito que o Xbox one x não está pronto para o 4k, você pode confirmar isso?

edinho Vander
Visitante
edinho Vander

Mário, boa tarde!
Antes de tudo parabéns pelo artigo, é sempre bom esse tipo de matéria aqui no site, para mim são os melhores conteúdos que vc publica e vc é muito fera nisso 😉
Ler este artigo me traz dúvidas de como um novo console de nova geração será, uma vez que há sempre limites de valor de venda do produto algo em torno de 400 dólares e a tecnologia disponível para aplicar no console em seu período se desenvolvimento.
A julgar pelos consoles passados como PS3 focado em CPU e o PS4 focado em GPU, um futuro PS5 vc apostaria em que? Para um console ser mais equilibrado e ter maior tempo de vida.

Igor
Visitante
Igor

Se comparar o Xbox One X ao PC é um exercício necessário, não deveria também ser necessário fazer a mesma comparação com o PS4 Pro já que a própria Sony disse que o mesmo foi feito para concorrer com o PC.

Independente da performance teórica de seus componentes, o Xbox One X anda surpreendendo, vide Forza Horizon 3, além de subir quatro vezes a resolução para 4K nativa ainda aplica filtro antialiasing de 4x MSAA e um filtro anisotrópico de 16X além de melhorias gráficas, isso tudo somente dois meses após seu lançamento, imagina daqui a um ano.

Eis alguns artigos recentes:

http://www.eurogamer.pt/articles/2018-01-14-digital-foundry-the-evil-within-2-comparado-na-xbox-one-x-e-ps4-pro

http://www.eurogamer.pt/articles/2018-01-15-digital-foundry-forza-horizon-3-comparado-entre-xbox-one-e-pc

https://www.gamevicio.com/noticias/2018/01/estudio-diz-que-verdadeiro-potencial-do-xbox-one-x-nao-sera-limitado-pelo-xbox-one/

Sem um peso morto para atrapalhar, é isso o que é um Xbox, a exemplo do que foi o primeiro Xbox e do Xbox 360.

Livio
Visitante
Livio

Sem um peso morto para atrapalhar, é isso o que é um Xbox, a exemplo do que foi o primeiro Xbox e do Xbox 360.

Fadado a ser como os anteriores, nunca ser o mais vendido na sua geração.

Igor
Visitante
Igor

Você é tonto mesmo ou só se faz passar por um?
Qualquer um percebe que estou me referindo ao Kinect do mesmo modo que teria sido com o PS4 caso a Sony não tivesse desistido da idéia de incluir o PS Eye.

Por um acaso você é acionista da Sony para estar preocupado com vendas? Eu não, por isso estou me lixando para essa questão.

O exemplo é do primeiro Xbox que em hardware e software humilhou o PS2 que tinham uma qualidade gráfica ridícula quamdo comparada ao Xbox, e o Xbox 360 que seguiu esse mesmo caminho sendo considerado por muitos como o melhor console da melhor geração.
E desde quando ser o mais vendido é parãmetro para ser considerado o melhor? Se for assim uma Ferrari deve ser uma porcaria comparada a um Fusca. LOL!!!

Livio
Visitante
Livio

Você é tonto mesmo ou só se faz passar por um?

Pelo que estou vendo nos últimos comentários só você consegue interpretar e traduzir textos.

Estamos em 2018 e ninguém sabia que o “peso morto” se refere ao Kinect, até acho que a expressão pisa papéis do One que muitas vezes foi utilizado no PCManias na verdade não se refere ao Kinect e sim deve se referir a outro elemento.

do mesmo modo que teria sido com o PS4 caso a Sony não tivesse desistido da idéia de incluir o PS Eye.

Não foram o Eye Toy nem o Playstation Eye que deram um aumento de vendas de consoles(ao contrário do Kinect), então seria sem noção por parte da Sony incluir forçadamente este dispositivo com o PS4.

O exemplo é do primeiro Xbox que em hardware e software humilhou o PS2 que tinham uma qualidade gráfica ridícula quamdo comparada ao Xbox, e o Xbox 360 que seguiu esse mesmo caminho sendo considerado por muitos como o melhor console da melhor geração.

Foi o que eu disse em outras palavras, do que adianta humilhar em hardware se em vendas não é o mais vendido?
Ferrari é melhor que Fusca? Claro que sim. Uma Ferrari vendida gera uma receita de vários Fuscas? Claro que sim. O One(S)(X) é o menos vendido? Claro que sim. O One (s)(x) gera mais receita que o PS4? Ninguém sabe, pode até gerar mas nunca na proporção entre uma Ferrari e um Fusca.

bruno
Visitante
bruno

Primeiro – apresenta provas de que a Sony alguma vez tentou sequer ir na mesma linha da MS com o Kinect e a ONE.

A Sony não desistiu de nada, porque nunca houve nada de que desistir.

Segundo – A ti as vendas podem não dizer nada. Podes crer, contudo que à MS dizem e muito. Aliás, se as vendas não lhes dissessem nada e tivessem a mesma atitude que tu hoje não terias retrocompatibilidade, GamePass ou ONE X para vires para aqui gabar.

Terceiro – Segues a mesma cartilha de outras pessoas aqui. Transformas algo que nunca foi uma regra… numa regra. A Xbox original era mais poderosa que a PS2 verdade. A Xbox 360 era mais poderosa que a PS3 , não, nem por isso. A Xbox tinha basicamente GPU a contar para o poder total, a PS3 tinha CPU e GPU. O GPU era ligeiramente mais fraco mas o CPU mais poderoso. Isto já se sabe há anos.

Quarto – LOL. Pois, mas não é exatamente a mesma coisa, pois não? Um Ferrari é apenas um Ferrari e uma ONE é a ONE X e a ONE S. E a ONE S está muito longe de ser um Ferrari, mais ao nível do Fusca e mesmo assim não vende.

Igor
Visitante
Igor

Falando em peso morto…

http://www.eurogamer.pt/articles/2018-01-16-top-reino-unido-gta-5-e-o-mais-vendido

É aquela história, só hypa, mas na hora de botar a mão no bolso acaba comprando os multi que não duram somente uma tarde e já era.

Netto
Visitante
Netto

O que seria este peso morto?

Ontem eu vi que em 2017 entre os 10 jogos mais vendidos do ano no Reino Unido 3 eram exclusivos do Ps4.

http://www.gamesindustry.biz/amp/2018-01-12-revealed-the-best-selling-uk-boxed-games-of-2017

Tai o link Igor, mas pra vc 1 única semana pesa mais que 1 ano inteiro

Livio
Visitante
Livio

E no Japão? O monstro que vendeu 6 unidades semana passada.

Deve ser a falta de stock ou como dizem a “venda física está em baixa, a digital vende mais.”

bruno
Visitante
bruno

Tens noção que tens 3 exclusivos PS nos top 10 dos mais vendidos de 2017? Queres ignorar isso para pegar numa só semana? Por favor!

Pelo menos informa-te antes de falar baboseiras.

bruno
Visitante
bruno

Whataboutism em estado puro!

A razão pela qual se comparou a ONE X ao PC e não a Pro?

Em primeiro lugar, porque a Pro nunca foi apelidada de “Besta” ou Monstro e muito menos de “O verdadeiro Poder” mas de grande asneirada da Sony. E não, não teve nada a haver com poder, mas pelo facto de tratar os clientes de forma diferente. Felizmente, passado um ano e vemos que o impacto desta consola foi zero a quase nenhum na PS4, que continua a ser bem aproveitada.

Em segundo lugar, porque não há um movimento na Internet a falar do poder da besta ou do monstro, havendo necessidade de desmistificar as coisas

Em terceiro lugar, porque os leitores deste site, que querem saber de tecnologia, pediram um artigo de análise para saber qual era exatamente a realidade do hardware do Monstro. E tendo em conta que todas as consolas anteriores tinham recebido essa análise, não se viu porque não desta vez.

E em quarto porque a Sony teve uma atitude que pode ser descrita como discreta face à Pro. esta consola foi anunciada numa conferência à parte, nem tendo atenção sequer na E3 e desde o inicio que se falou no 4k CBR. A ONE X tem sido o foco principal da MS com mais de uma ano de marketing a esta consola e discursos de true 4k em todos os jogos e um hardware sem igual. Este artigo demonstra que o hardware face ao que existe no PC é médio, lutando para os 4k, algo que já começamos a ver aqui mesmo com exclusivos.

Basicamente é um artigo que faz o que este site sempre fez: informar.

E Igor… censura em Portugal terminou em 1974.

Igor
Visitante
bruno
Visitante
bruno

E Quantum Break manda-te lembraças.

http://www.eurogamer.pt/articles/digitalfoundry-2017-quantum-break-xbox-one-x-analise

A questão não é não haverem alguns jogos, sobretudo jogos pouco exigentes como FH3 a conseguirem atingir os 4k. A questão é haverem jogos, sobretudo exclusivos, a não conseguirem. Daí o “luta para atingir os 4k”.

Igor
Visitante
Igor

Engraçado é a Sony dizer que a Pro foi feita para concorrer com o PC, para completar só faltou mesmo ela ter chamado o mesmo de “Besta”. Espera, isso não seria engraçado, seria hilário.😂
Falando em engraçado, a Sony lança uma atualização de seu console em apenas três anos, a Microsoft lança após quatro anos com todas as suas principais franquias já tendo sido lançadas para o console base, ao contrário da Sony. Muito engraçado mesmo!😉
Se seguirmos a risca a expressão meio de geração a Sony poderá lançar seu próximo console em 2019 seis após o PS4 e apenas três anos após o Pro. No caso da Microsoft seguindo o mesmo raciocínio, o próximo Xbox poderá sair em 2021, ou seja, o Xbox One estará com oito anos de vida e o X com quatro anos. Com isso, qual desses teria sido um mau investimento!?
Vale ressaltar que caso a Microsoft lançasse um novo Xbox em 2020, o X já estaria com os mesmos três anos que o Pro na altura do lançamento do novo Playstation.
É engraçado como as coisas parecem ter um peso diferente quando se fala em Sony e Microsoft. Será por que a palavra Microsoft tem mais letras!?😕

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Ótimo artigo Mário, complementado nas suas respostas muito interessantes nos comentários. É praticamente um serviço a comunidade.

Isso sim é interessante e produtivo, bem diferente do pessoal que só quer saber de hatear as conversas querendo provar que suas preferências são melhores que as dos outros com argumentos irônicos, vazios e até com alguns xingamentos.

Isso mostra bem um dos porquê’s da diferença entre ricos e pobres ser tão desequilibrada, uma minoria é realmente inteligente e sensata, enquanto que a maioria fica pela ignorância mesmo.

jairopicanco
Visitante
jairopicanco

Bom artigo, Mario. Era esse tipo de artigo que eu me referia no comentário anterior, que ainda que eu não seja um profundo conhecedor do assunto, me permite ficar mais intrigado a respeito de tecnologia.

De fato seja pela performance gráfica aplicada aos jogos, seja por declarações de alguns developers, o Xone X se equivale a uma Rx 580 em poder, mas a performance gráfica tem a superado em alguns jogos, talvez pelo nível de otimização extra, e não por mais ou menos poder teórico.

O Xone X foi pensado para rodar os jogos de XO base a 4k,e nisso tem tido muito êxito. Chegar nos 60fps acaba sendo lucro, pois depende muito onde era a limitação do jogo-base. Se for na GPU, o X dá conta como é visto em Rise of Tomb Rider, Gears 4, Hitman… jogos que conseguem alcançar 60fps (ainda que oscilantes) mas com resolução 1080p. Mas se for um jogo exigente na CPU, aí fica muito difícil alcançar 60fps mesmo.

E sobre ser “uma Besta”, na realidade de console ele é uma besta mesmo. O salto qualitativo em relação ao XO Base fala por si. Mas em relação ao Pc (de topo, frisando), não, mas mesmo assim é admirável ele conseguir chegar a uma performance visual entre a GTX 1060 e 1070 em vários jogos. Sinal de que foi um console bem projetado no que se propôs.

Eu desconfio que o próximo Xbox terá um salto tangível na CPU, e mais modesto na GPU, por razões mercadológicas. O objetivo primário foi atrair as pessoas para o 4k, então uma vez que o 4k esteja estabelecido nos lares, aí seria hora de focar em outras prioridades, e a mais urgente é no salto da CPU, que reflete diretamente nas interações in game, como física e NPcs.

Eu lembro quando joguei AC Unity no XO, achei surpreendente o conceito e aquelas centenas de NPcs na tela interagindo, dando um clima de revolução francesa ao game, tornando o mundo mais vivo. Pena que o conceito estava acima do que os consoles de época poderiam entregar. Quem sabe no próximo ciclo, né?

Igor
Visitante
Igor

Tudo semântica, no fim dá no mesmo que é sim competir com o PC.
Pela essa sua “conta” a diferença foi enorme mesmo. Qualquer um poderia muito bem chegar a outro valor.
Novamente pesando mais para um lado.

bruno
Visitante
bruno

Estive a fazer as contas e queria saber uma coisa: o GPU da ONE X tem 2560 sp, mas sabemos se isso é o total ou apenas o montante relativo a unidades ativas?

O GPU da PS4 tem 18 CUs = 1152 sp. Mas sabemos que fora estes, há mais dois CUs redundantes (para o caso de alguma avaria), o que faz o total de 20 CUS ou 1280 sps. Dado que a Pro tem o mesmo GPU da PS4 mas duplicado fica que no final temos 40 sps na Pro, ou seja 2560 sps no total também nesta consola.

Ou seja, se por acaso os valores da ONE X se referirem ao total do GPU e não somente ao que está ativo, estamos perante, basicamente, o mesmo hardware com maior velocidade de relógio e mais RAM na ONE X.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Notícia aqui da Sony que o PS4 Pro vai ser lançado agora em fevereiro oficialmente por 2.999 Reais… Kkkkkkkk
Tô rindo pra não chorar dessa fossa de país.
Aqui na cidade tem uma loja que vende ele por menos de 2.000
Não sei de onde esses caras tiram essas idéias, o mercado é uma verdadeira palhaçada aqui no Brasil.
Um aparelho quase que sem sentido nenhum, e de 399 dólares passa a 2.999 realidades…

By-mission
Visitante
By-mission

O meu irmão comprou a PS4 PRO por 1580,00 e ainda com um jogo. Santa Efigenia neles..

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Pois é. 🤣🤣🤣
Infelizmente o famoso jeitinho brasileiro de burlar o fisco, único PlayStation que comprei em loja oficial foi o PS2, me arrependo até hoje.
Comprei o PS3 depois no mercado cinza e ele não deu um único problema sequer e paguei bem mais barato.
O PS4, de novo no mercado paralelo, foi o modelo de 1 TB (e um jogo a minha escolha) e paguei mais barato (1.700) que o de 500 GB oficial que tava girando em 2.000 e até 2.200 dependendo da loja.

A questão é que esses impostos acabam em parte indo pra corrupção e não retornam realmente pro povo.
Pra cobrar 2.999, nesse Pro, o nível de qualidade de vida aqui deveria ser no mínimo uma Suécia ou Suíça da vida.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Dólar hoje, R$3,22*399 dólares = 1284,78

Mas vamos dobrar isso, 1284,78*2 = 2569,56 nem assim chega nesse valor

Custo Brasil…

Ewertom
Visitante
Ewertom

Foi por este o valor que peguei meu Ps4 Pro de um amigo que trouxe dos States R$ 1.300.
Aqui na época estavam pedindo no mercado livre acho que R$2.600 a 2.900,absurdo.
Mas acho que o nosso querido Brasil ainda tem jeito,pois o voto esta em nossas mãos.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Desculpe o ceticismo mas, o que o povo brasileiro pode fazer é cobrar, como quando foram pras ruas em peso e de forma pacífica. Também podem se informar. O voto aqui com essas urnas eletrônicas, eu não acredito mesmo que não haja fraude. Apuração secreta… Fala sério.
De novo estou polemizando mas é que eu tive contato com pessoas do meio politico por conta do meu pai, e posso te garantir, a corrupção é maior do que se imagina.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Parabéns Mário por mais esta matéria exclarecedora,pena o PS4 Pro e a X ter seus desempenhos puxados somente para resolução e melhorias muito baixas para não humilhar as bases.Porque potencial a Pro e a X tem de sobra sobre a base.
E se possível você poderia fazer uma matéria sobre o anuncio da Nintendo sobre seu mais novo projeto Nintendo Labo(achei demais o que os caras invetaram desta vez)
Nintendo sou seu fâ.