Playlink: És tu! A nova aposta de jogo social da Sony para a Playstation

Há jogos de que os media não falam, mas que se revelam inovações que não podem deixar de ser referidas. É um exclusivo da Sony para a sua PS4, e é um jogo social.

A E3 passou e muito se falou dos jogos AAA como God of War, Spider-Man, Days Gone ou Detroit: Become Human, mas curiosamente nada ou quase nada foi dito sobre o novo sistema de jogo social apresentado pela Sony durante esta feira.

Este sistema de jogo social foi uma das grandes inovações da Sony apresentadas na E3, e uma das primeiras apostas consistentes no segmento de jogos sociais que foi feita nesta geração de consolas. Mas claro, a existir algo assim, como o passado mostra, a novidade só poderia vir de uma empresa nipónica.

No tempo da PS3 a Sony apostou em jogos sociais, e vimos toda uma gama de jogos das séries Buzz e SingStar a aparecer, sendo que este último ainda hoje importa as musicas das versões anteriores, mantendo vivo o jogo e criando cantores instantâneos a cada nova partida.

Mas agora, eis que nos surge o PlayLink, um novo sistema que requer o uso de um conjunto de participantes munidos de um comum smartphone. Estes telefones são ser uma ferramenta preciosa para o desenrolar da aventura, seja ela descontraída, ou stressante.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Ora o És Tu! é o primeiro jogo que surge a suportar a plataforma, e está disponível desde o dia 4 de Julho.

Compatível com todas as faixas etárias, este jogo pretende reunir as pessoas em torno de uma mesa e uma consola, criando uma dinâmica que se alimenta das relações que o grupo de jogadores cria entre si.

 No És Tu!, podem jogar até 6 pessoas, cada uma com o seu smartphone que servirá como controlador de jogo, necessitando de estar munidos da respectiva aplicação do jogo.stá a ser utilizado pela consola, ou, se não houver internet, emparelhados diretamente à PS4.

Basicamente o jogo cria interacção entre o grupo, reunindo-os a todos num jogo comum. E isto abrange todas as faixas etárias, uma vez que ele foi criado para ser acessível e permitir a qualquer pessoa que saiba mexer minimamente num smartphone de ter acesso ao mesmo.

Aqui os participantes terão de se identificar com um avatar que pode ser uma selfie ou um objecto qualquer, e escolher uma carta que vai definir o seu avatar.

tek playlink

Após esta parte identificativa, eis que começa o jogo em si, com vários cenários tematicos a que o jogo nos pode transportar entre os quais podemos referir uma casa assombrada, um bar ou um comboio. Depois o jogo vai colocando cenários hipotéticos, colocando questões aos jogadores. Um exemplo poderia ser “Dos jogadores presentes, qual seria o primeiro a embriagar-se numa noitada?”

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Depois há questões mais embaraçosas e outras menos, sendo que há um filtro que pode ser aplicado ao jogo, mas é com ele desligado que o jogo pode expor situações mais caricatas dos diversos jogadores, criando um ambiente de diversão elevado.

Nestes casos, sempre que há jogadores que partilham as respostas há uma pontuação atribuída aos mesmos.

Mas o jogo não se fica por aqui, e pode por exemplo pedir-lhe que imite uma pessoa numa fotografia, que desenhe algo, ou que fotografe os outros jogadores sobrepondo situações cómicas à imagem levando depois o resultado final a votos dos participantes.

Aqui é de se chamar a atenção que a PS4 é um elemento obrigatório, uma vez que é ela que controla o conteúdo de todos os smartphones. É um party game, para se jogar fisicamente com os amigos, algo que nos dias que correm é cada vez mais raro.

O ponto fraco atual do jogo é a pouca quantidade de questões e situações diferentes, o que poderá que o jogo se torne saturante muito rapidamente. Algo que pode ser ultrapassado com mais conteúdo acrescentando no futuro.

Nesta fase o jogo possui conteúdo limitado, custando 19.99 euros, e gratuito para os membros da PSN Plus.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (24)

  1. OFF TOPIC:::

    Mário, você disse a alguns dias atrás que não achava a divisão Xbox um negócio sustentável mesmo tendo uma subida de 9% e a divisão Xbox sendo um negócio de 9 bilhões.
    E o que dizer da Sony que como um todo (todas divisões) registrou uma receita bruta de $16 bilhões, enquanto que no setor de jogos teve uma subida de receita pouco maior que 5% mas com uma queda de 60% nos lucros dessa divisão.
    E isso é sustentável!?

    https://juegosadn.eleconomista.es/sony-resultados-fiscales-no-107193/

    • És capaz de me citar sff. Porque eu não disse nada disso. Tu é que leste o que entendeste. Mas as declarações estão lá, por isso peço que me cites. Porque eu nunca disse isso uma vez que isso seria um disparate.
      Mas já que falas, vamos então comparar. Abre esta imagem:
      https://assets.vg247.com/current/2017/07/ms_q4_2017_slide_1-600×326.jpg
      E agora abre o artigo que linkas.
      Receitas da divisão de videojogos da Sony: 2.660 milhões de dolares.
      Receitas da divisão Gaming (incluindo receitas de jogos e hardware gamer PC e as royalties dos smartphones): 1657 milhões de dólares.
      Daí que sim, ambas são sustentáveis. E se somares as receitas dos 4 quartos tens os tais 9 mil milhões na Microsoft e aproximadamente o dobro na Sony.

      • “E aquilo que vejo é que a Xbox pode estar a dar mais dinheiro, mas não a estou a ver a crescer a um ritmo sustentável.”

        O fato é que os dados mostram que apesar dessa subida de receita de 5% da divisão de jogos os lucros dessa mesma divisão caíram 60%.

        E apesar de todos proclamarem com entusiasmo que a Sony lança incontáveis exclusivos, ela mesmo atribui esta acentuada queda nos lucros em parte a ausência de grandes lançamentos first party.

        • Obrigada pela indicação.
          Mas como referi, interpretaste mal a coisa, pois isso não tem a ver com a divisão dar lucros ou ser sustentável… Tem a ver com o aumento de receitas ligada à quebra de vendas.
          Basicamente o que isso quer dizer é que a subida de receitas não acompanhada de uma subida de vendas implica receber mais dinheiro dos utilizadores existentes. E isso só pode ir até um certo ponto!
          Ou seja, se as vendas continuarem a descer, a certa altura as receitas vão acabar por cair também, ou pelo menos estagnar!
          Nada disso tem a ver com o facto de a Xbox ser ou não um bom negócio para a Microsoft.

          E sim, a Sony atribui a queda das vendas à ausência neste período de novos jogos First Party (há ainda mais para sair, mas só mais para o final do ano). O que quer dizer que ao contrário do que a Microsoft afirma para a sua consola, a Sony percebe que os jogos First party trazem aumentos de receitas.

          • Mas a Microsoft não disse que não lançaria mais e novos exclusivos.
            A Gamescon está logo alí, se a Microsoft não anunciar nada de novo referente a jogos first party serei o primeiro a criticar.

            A queda em questão foi no lucro da divisão no valor de 60%, também deve ter tido queda nas vendas, mas não sei de quanto foram.

          • Não disse. Porque vai lançar. Mas até final de 2018, salvo algo comprado, o que vai sair foi apresentado na E3. E como sabes é pouco!

        • Esse queda foi referente a queda de preço do console+renda de título first que no caso foi Uncharted 4.
          Leva-se em consideração que Uncharted apesar de ser de Nova geração ainda sim se reaproveita muita coisa dos jogos anteriores, já Horizon que tem vendido muito bem pra uma nova IP tem tudo feito do Zero, desde engine a outras coisas, ou seja, os custos deste último são bem maiores.
          Então, queda de preço seguinifica quebra na margem de lucro mais o qu eu disse acima explicam o ocorrido.
          Ademais, os resultados ainda sim dão positivos em comparação com a Sony de alguns anos atrás que só dava preju em quase todos os setores, PS4 tem como previsão fechar o ultimate trimestre de vendas com 78 milhões de unidades o que nos diz que até 2020 certamente a plataforma tem potencial pra se tornar a 2 console mais vendido da história.

          • Isto diz respeito à divisão de cinema, não aos valores globais da Sony. Algo que este website por norma não aborda.
            Seja como for convêm leres as coisas antes de as postares. Porque isto pouco tem a ver com quedas (a divisão dá prejuizos à muito tempo), mas muito mais com com a subida de receitas que a Sony teve ao entregar o Spider Man à Marvel..

          • Horizon Zero Dawn custou 50 milhões de dólares, já foi noticiado na época do lançamento e provavelmente é um valor inferior a Uncharted 4 que tem produção e campanha de marketing mais refinadas.
            Não é normal o lucro de jogos first party caírem 60% no período em que a Sony mais teve jogos nessa geração.
            Mas como eu disse anteriormente, sempre desconfiei que a quantidade exorbitante de vendas de Uncharted 4 estava mais relacionado ao fato do jogo estar em todas as caixas de Playstation 4 vendidos do que realmente pelo interesse das pessoas em ir lá buscar esse jogo. Game dado não gera lucro.

          • Os resultados da sony dizem respeito aos três ultimos meses. Ora refere lá os exclusivos lançados nos três últimos meses. E depois compara com os 3 meses anteriores.

          • Eu leio sim as notícias antes de as postar, e o fiz porque achei relevante do mesmo modo que muitos aqui o fazem quando postam tudo que é relacionado a Microsoft quando esta não está indo muito bem nos negócios, e também o fazem sem distinguirem o que é relacionado somente com o Xbox.

          • Eu percebi. E por isso deixei passar. A questão é que a noticia, mais do que prejuizos, fala de uma recuperação de receita na divisão de cinema.
            De resto a Microsoft é uma empresa de informática e tudo o que produz é relacionado com o que abordamos aqui. A Sony, tambem, mas a divisão cinema acaba por ser a que menos se enquadra na nossa temática pois o cinema é puro entretenimento e salvo algumas técnicas usadas por lá não é relacionado diretamente com tecnologia.

        • Igor,

          Eu acho difícil a Microsoft anunciar algum jogo de impacto na Gamescon, talvez anuncia alguma coisa como uma versão de Age of Empires para Xbox e só.
          Se fora para esperar alguma surpresa do Microsoft, eu apostaria em alguma coisa como eles começarem a produzir um evento dedicado igual a Sony faz com o Playstation e transmitir via Streaming. E3, Gamescon e afins estão perdendo relevância ano após ano, a E3 desse ano foi a prova de como o evento está cada vez menos importante.
          É certo também, que qualquer coisa que a Microsoft apresentar agora, não virá para o final do ano.

  2. OFF TOPIC:::

    Agora jogaram de vez a última pá de cal no Gran Turismo.
    Os fãs da série perderam a paciência e estão extremamente revoltados com o rumo que a Polyphony está tomando.

    http://www.eurogamer.pt/articles/2017-08-02-gran-turismo-7-nao-esta-nos-planos-da-polyphony

    • Mídia tendênciosa, comparativos comprados que Forza é melhor que Gran Turismo… Todos sabem que este clima dinâmico e fake… Ficam tentando degrenir a imagem de Gran Turismo… Tudo que é noticia só falam mal de Gran Turismo…

      • “Todos sabem que este clima dinâmico é fake.” kkkkkk
        E a dar de cotovelo!?
        Não precisam ficar tentando “degrenir” a imagem de Gran Turismo, ela já está ruim e isso por causa da própria produtora.

        • Que bom que achou engraçado.. São os seus argumentos que vc Igor usa para defender a Xbox…

          E sim se a Xbox está vender mal não é culpa da MÍDIA TENDENCIOSA mas sim da própria Microsoft.

          Espero realmente que entenda o meu tom sarcástico ao usar seus argumentos..
          No mais Forza está uns três ou quatro degraus acima de Gran Turismo e isso é fato…

      • Deve ser muito amor à franquia, pois é só sair algo negativando que já posta.

        Só uma observação, é tanta crítica destrutiva e a sony nada faz, ou ela acredita que GT Sport será um grande jogo ou fará o mesmo que fez com a Evolution.

    • Se as pessoas andassem informadas talvez percebessem o contexto em que essas palavras foram proferidas.
      GT 7 não existirá, mas isso não signfica o fim de Grand Turismo. Eis declarações proferidas anteriormente:

      What makes this particular iteration interesting is that it’s been built from the ground up specifically for the PS4, and contains no legacy code or car models – unlike previous Gran Turismo games. When I spoke to him at E3 last year, Polyphony boss Kazunori Yamauchi said, “You can think of GT1-6 as the first age or first era of Gran Turismo. From this title on you can actually call it a brand new era because of the level of innovation and level of technology that’s going into it.”

      Basicamente Gran Turismo morreu no 6. O que temos agora com a série Sport é uma nova era. O nível de física, tecnologia a detalhe agora implementado é de um nível superior. Isso pode não ser muito notório pois os modelos anteriores já faziam as coisas bem, mas a realidade é que as melhorias estão lá. Se isso vai ser notório ao ponto de salvar o jogo de criticas por usar o poder da consola em coisas pouco notórias em vez de coisas que dão no olho, não sei.
      Sei que foi ainda dito que o nível de pormenor colocado em cada carro leva a que cada um demore 6 meses a modelar, e que o pormenor é tal que o jogo poderia ir a 8k sem que os carros perdessem detalhe.
      Mas volto a insistir, é um tipo de detalhe que provavelmente não será demarcadora de um outro nível mais mediano mas que enche igualmente a vista e que liberta recursos para outras coisas que enchem a vista.

    • Bem o que eu digo é esperar para ver e o mesmo se adequa ao Forza 7 no Xbox One(base).

      Gran Turismo ainda é a franquia que mais vendeu no PS (76.900.000 cópias até 31/03/17 – sítio oficial). Segundo dizem é a única produtora da Sony que possui um prédio.

      Diante de tantas reclamações com nada a ser feito dá para chegar a 2 conclusoes:
      Ou o jogo está muito bom;
      Ou a Sony está apostando em algo novo para a franquia(assim como faz para novas IPs), que seria o foco no e-sport, resultado da parceria da Polyphony com a FIA.

  3. Ando muito ocupado e por isso infelizmente acabo que só leio os artigos ou nem acesso a PcManias. Hoje parei para ler e puts…

    Passaram o Inicio do ano falando para aguardar a E3, pq a Microsoft só mostra os jogos que vão lançar, nada de “Sonho” jogos para daqui a 20 anos…
    Daí chega a E3 e? Agora tem que esperar a GamesCon? lol

    • Ou melhor Cracklow foi anunciado em 2015 “first game CloudPowered”… Bom três anos aguardando? Tá faltando nuvens

Os comentarios estao fechados.