Podem as consolas ter um SSD de 1 TB? Qual a data de lançamento das novas consolas? Qual o nome da próxima arquitectura AMD?

Várias questões podem ser respondidas neste artigo com as mais recentes novidades sobre futuro hardware.

Será possível e economicamente viável as consolas poderem vir a ter discos SSD de 1 TB?

Olhando para as previsões, tudo aponta para que 2019 seja um ano de queda para os preços das memórias, e que nesse sentido os SSD possam vir a ter quebras de custos enormes.

A comprovar isso mesmo temos uma recente notícia que a Samsung prepara o lançamento de eUFS de 1 TB para smartphones!



Poderíamos pensar que, numa forma de manter o custo baixo e apesar da capacidade de armazenamento, as velocidades de leitura e escrita pudessem ser reduzidas, não se tornando assim este um produto verdadeiramente interessante.

Mas tal não poderia ser mais falso, conforme o comprova a tabela de velocidades da Samsung.

A questão aqui é que quando vemos as necessidades de armazenamento das actuais consolas da presente geração, 1 TB é manifestamente pouco. Menos ainda se considerarmos que a retro compatibilidade existirá, e que os jogos PS4 poderão ser mantidos no disco.

Nesse sentido não parece coerente que a solução que exista passe por um armazenamento de 1 TB SSD, até porque um eventual upgrade não seria fácil pela inexistência de discos SSD muito superiores, e o uso de um disco standard de alta capacidade implicaria uma quebra enorme das velocidades.

Assim o coerente é que uma memória deste género exista no interior da consola, mas colocada como forma de, de forma automatizada, servir de cache e aceleração a um disco HDD standard que o utilizador possa mudar ao seu gosto, seja colocando-o internamente, ou usando-o nas portas USB.

A questão é que tudo se parece conjugar para que o problema da capacidade do disco e da velocidade necessária para uma nova geração, possa ser resolvido, e a custos acessíveis, pelo que certamente, seja como sistema de armazenamento, ou meramente como cache e auxiliar de aceleração, se prevê que possamos vir a ter qualquer tipo de solução deste género.

Qual a data de lançamento das futuras consolas?

A resposta exacta a essa questão está ainda no segredo dos Deuses. No entanto há dados novos que, esperando-se que fossem muito reveladores, parecem baralhar e dar de novo, não permitindo mesmo saber-se se haverá alguma hipotese de ainda vermos as novas consolas em 2019.

No entanto, os dados em causa eram esperados por poderem ser decisivos na percepção clara sobre um possível lançamento de consolas ainda este ano, sendo que no entanto não o é. Nesse sentido, não havendo a clareza que se esperaria, a situação parece apontar para uma exclusão de 2019, mais do que para a sua manutenção, apesar de tal não poder ser dito de forma factual. Falamos naturalmente do relatório financeiro da AMD e das suas previsões de receitas para o ano de 2019.

Como se pode ver, a AMD não prevê para o resto do ano de 2019 apenas um aumento máximo de um digito percentual face ao verificado no primeiro quarto do ano, o que implica que para o resto do ano, a receita deverá manter-se constante, podendo aumentar no máximo 9%.

É este o ponto que leva a, aparentemente, afastar a hipótese de um lançamento em 2019. É que analisando os dados da AMD quando do lançamento das atuais consolas em 2013, a previsão era de um crescimento de 20%.

Apesar desta realidade, a realidade é que, mesmo perante estes dados não podemos confirmar verdadeiramente nada. Em 2013 a AMD acrescentou receita que anteriormente não possuía, com o inicio das entregas de hardware relativas às parcerias com a Sony e a Microsoft. Atualmente essas parcerias já existem, e irão apenas continuar, não existindo por isso um acréscimo de receita, mas sim, quando muito, uma alteração do seu fluxo. Por esse motivo, e prevendo a AMD manter as margens de lucro nos 41%, as receitas poderão não crescer verdadeiramente. Onde em 2013 houve um acréscimo de produção e consequentes receitas, para satisfazer as necessidades de entrega da Sony e Microsoft, num novo lançamento o volume de entregas face ao anteriormente existente pode até decrescer devido a menoe número de pedidos de APUs para a PS4 e Xbox, não totalmente compensados pelo volume de pedidos iniciais de hardware para uma nova geração.



Isto quer dizer que o relatório da AMD não nos dá uma resposta definitiva, mas no entanto não se torna animador no que toca a um eventual lançamento da primeira consola de nova geração no ano de 2019.

Afinal qual o nome da arquitectura de próxima geração para os GPUs AMD?

Arcturus… Esse é o nome que tem vindo a ser badalado em vários websites como sendo o nome de código para a próxima arquitectura AMD.

Mas na realidade… esse não é o nome da arquitectura, mas sim de um GPU que, eventualmente (pois nem isso é claro), estará a ser desenvolvido como protótipo para essa arquitectura. Ou seja, Arcturus não é o nome de código da arquitectura, mas sim o nome de código um GPU específico.

Quem veio desfazer o engano foi exactamente a pessoa que inicialmente lançou o nome Arcturus para o mercado.

Card

Dado que o link de cima obriga a um clique pois o comentário foi editado, cita-se aqui a versão do mesmo, já editada, na integra:

bridgmanAMD

Just a reminder… the Arcturus code name refers to a specific chip, not an architecture. Somebody misread my post on Phoronix and thought it was a new architecture, and that has been echoing around the internet ever since.

Arcturus is just the first GPU we started after going back to using code names in the driver that are completely unrelated to the marketing name. The change should mean one less thing to worry about when we push Linux drivers out to a public repo on the way to upstream.

Traduzindo

Só uma lembrança… O nome de código Arcturus refere-se a um chip específico e não uma nova arquitectura. Alguém leu mal o meu post no Phoronix e pensou que era uma nova arquitectura, e isso tem vindo a ter eco na internet desde então.

Arcturus é apenas o primeiro GPU em que trabalhamos após voltarmos a usar nomes de código nas drivers, que não estão minimamente relacionados com o nome de marketing. A mudança deve significar menos uma coisa com que nos preocuparmos quando colocamos drivers linux para um repositório, a caminho do upload.

Esta explicação torna-se relevante especialmente porque recentemente surgiu um rumor sobre aquilo que será o hardware da futura consola da Microsoft. Esse rumor é baseado na seguinte imagem:

O rumor possui bastantes incongruências, sendo que a imagem é claramente falsa. Repare-se:

O código do CPU é 2G21002CE8JA3

Se o 2G e o 2100 são reconhecidos pela nomenclatura AMD, tudo o que aparece daí para a frente, com excepção do 8 que indiciaria 8 núcleos, não são designações actualmente existentes na nomenclatura AMD.

Depois a cache L4 é 1024 MB?? 1 GB de cache?



SMT desligado?

Velocidade máxima do CPU 3.301 Ghz?

Já o GPU define-se como um Arcturus12. A nomenclatura 12 surge claramente da numeração usada na NAVI, tentando definir o GPU como sendo um GPU Arcturus da Gama baixa, correndo a 1400 Mhz e podendo atingir 1650 Mhz.

É ainda referido que o BUS é 352 Bits (um valor pouco comum, especialmente em GPUs AMD), com 22 GB de memória, e 4096 shader cores que constituem 64 CUs Arcturus.

Ora a questão é que, de acordo com bridgmanAMD é que não sendo o Arcturus uma arquitectura, os motores dos CUs nunca poderão ser Arcturus. Ou serão GCN, ou então terão o nome da arquitectura de próxima geração, mas nunca Arcturus pois esse é o nome de código de um GPU específico, anulando assim este rumor pela raiz.

 

 

 



newest oldest
Notify of
Ewertom
Visitante
Ewertom

Acho que pelo andar da carruagen,será necessário pelo menos 2T de armazenamento para começar e prefiro o SSD pela leitura mais rápida e silênciosa

Jefferson Vieira Viana
Visitante
Jefferson Vieira Viana

Eu sei de uma coisa, não terá problemas de cpu, com evolução dos ryzen a cpu vai ser incrível.

Carlos Zidane
Visitante
Carlos Zidane

Essa é minha melhor visão sobre a nova geração, sair desse Jaguar pra Zen deverá ter uma melhoria visível.