Poderão as novas consolas aproximar-se em performance aos actuais GPUs topos de gama?

Teoricamente sim, apesar de historicamente haver cada vez mais desfasamento entre consolas e PC.

Quando se fala da possibilidade de as futuras PS5 e Xbox Scarlett poderem ter performances aproximadas às de uma RTX 2080, há quem feche a porta ao diálogo alegando que tal nunca será possível!

Mas a realidade é que a impossibilidade não existe! No passado as consolas até eram mais potentes que os PCs, apesar de a diferença estar aumentar a cada geração que passa, sendo que atingiu o expoente máximo na atual geração.

Mas mesmo assim, a atual geração estreou muitas novidades que não existiam no PC! Mas vamos por partes, e vamos seleccionar aqui algumas consolas para comparar com os PCs da altura do seu lançamento.

Dreamcast

Data de Lançamento: Dezembro de 1998



Especificações: GPU PowerVR CLX2 (100 MHz) – 1.4 GFLOPS

GPU mais potente no PC na altura do lançamento: 3DFx Voodoo 3

Data de lançamento: Finais de 2018

O hardware da Dreamcast era um achado. Basicamente ela era uma versão com um GPU mais lento e com menor largura de banda do usado na Máquina de arcada Naomi, que custava mais de 10x o custo da Dreamcast.

Comparativamente ao PC, a Dreamcast revelou-se mais capaz durante os anos de 1998 e 1999, batendo as performances dos melhores PCs. O CPU, um HitachiSH-4 era capaz de calcular grafismo 3D mais rápido que um Pentium II de 1998, e mesmo que um Pentium III de 1999. O seu GPU , o PowerVR CLX2 usava já a tecnologia tile rendering e isso permitia-lhe possuir um fillrate e maior débito de polígonos que uma Voodoo 3 e mesmo uma Geforce 256 lançados em 1999.

Por esse motivo a Dreamcast era, no seu lançamento, mais capaz que um PC.



Xbox

Data de lançamento: Novembro de 2001

Especificações: GPU Customizado Nvidia Geforce3 (233mhz) – 7.3 GFLOPs

GPU mais potente no PC na altura do lançamento: Geforce3 (200Mz)

Data de lançamento: Fevereiro de 2001

Comparativamente ao PC, a performance do seu GPU caia entre uma Geforce 3 e uma Geforce 4. Tal devia-se ao vertex shader adicional presente no ASIC, e que duplicava o débito de vértices quando comparada a uma Geforce 3. A velocidade de relógio era igual à da Geforce 3, mas mais lenta que a da Geforce 4 que se iniciava a 250 Mhz.



A Geforce 4 só foi lançada em Fevereiro de 2002.

Pelo exposto, o GPU da Xbox era mais capaz que os dos PCs no seu lançamento.

Xbox 360

Data de lançamento: Novembro de 2005

Especificações: GPU Customizado da AMD, denominado “Xenos” (500 Mhhz) – 240 GFLOPs. 48 Shader Pipelines unificados, sendo o primeiro GPU com shaders unificados.

GPU mais potente no PC na altura do lançamento: AMD X1800 XT (500Mz), com 16 pixel Pipeline & 8 Vertex pipelines



Data de lançamento: Outubro de 2005.

Comparativamente ao PC o Xenos batia claramente a X1800 XT, e introduziu uma pipeline com 48 shaders, bem como usou EDRAM para subir a largura de banda. Estas caracteristicas só apareceram no PC com a X1900 XT lançada em Janeiro de 2006

A Xenos estava muito aproximada da arquitectura da R520 e muito similar à ATI Radeon X1900 no que toca a performances. Mas a Xenos tinha conceitos que foram depois usados na arquitectura Terascale, tal como a arquitectura de shaders unificados.

Basicamente, a nível de GPU, quando foi lançado, o GPU da Xbox 360 passava o que de melhor havia no PC.

Playstation 3

Data de lançamento: Novembro de 2006



Especificações: GPU Customizado da Nvidia, “RSX” (550Mhz) – 192 GFLOPS.

GPU mais potente no PC na altura do lançamento: GPU: 7900 GTX (650Mhxz)

Data de lançamento: Março de 2006

O GPU da PS3 era baseado na Nvidia 7800GTX e de acordo com a Nvidia era uma arquitectura híbrida entre a G70 e a G71, conhecida como NV47, e com algumas modificações.

A PS3 era suposto ser lançada em 2005, mas foi adiada porque o sofware não estava pronto. Mas o seu hardware estava já definido em 2005, pelo que se comparamos a RSX com a 7800 GTX de 2005, ela era superior de muitas formas. Mas o factor que distinguia a PS3 eram as capacidades adicionais que eram acrescentadas ao GPU pelo CELL, e que lhe permitia uma performance gráfica bem acima do que a 7800 e mesmo a 7900 permitiam.



O principal a tirar-se daqui é a percepção que as consolas sempre foram líderes em questões de inovação técnica, que na altura do seu lançamento excediam aquilo que o PC possuia. A excepção em toda a história foram a Xbox One e a PS4.

O resto permite ver que a realidade é que as consolas tem vindo a perder terreno face ao PC a cada geração, sendo que na geração actual, Xbox One e PS4 foram, pela primeira vez, inferiores ao melhor hardware de PC existente.

E aqui tivemos um maior foco no GPU, pois se formos a ver, o Emotion Engine da PS2 e o Cell da PS3 basicamente esmagavam tudo o que era oferta nas devidas alturas no PC.

Há no entanto uma grande diferença entre a actual geração e as anteriores. Nas anteriores houve um grande investimento para a criação de hardware proprietário, algo que na actual não aconteceu ao mesmo nível.

Aqui não sabemos exactamente como a coisa será, mas a Sony e a Microsoft poderão ter contribuído para o desenvolvimento do RDNA, e assim sendo, poderão ter condições de parceria com a AMD, que lhes consegue preços bastante baixos, e competitivos.



Mas mesmo na actual geração temos claros exemplos de avanços tecnológicos nas consolas que não existiam no PC no seu lançamento, sendo de destacar o que foi introduzido pela PS4 e pela PS4 Pro. A PS4 apresentava 8 unidades ACE, algo que só apareceu no PC na RX 290X lançada posteriormente. E da mesma forma a PS4 Pro foi a primeira a apresentava um GPU Polaris com características da Vega que só apareceria posteriormente.

Daí que as portas não estão fechadas, e sabemos que a futura geração será diferente da actual. Não só as consolas são esperadas como sendo mais caras, como se espera que as marcas vendam as consolas com uma boa margem de prejuízo. É o retomar de uma situação que sempre aconteceu, excepto na geração passada, onde o prejuízo era ridiculamente baixo e poucos meses depois as consolas da Sony já estavam a dar lucro.

Nota: Artigo escrito baseado em post do utilizador Tqaulity, e postado no NEOGAF.

 



20 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Carlos
Carlos
10 meses atrás

Não, uma gtx750ti de 1.3tf está rodando o starwars jedi falen order melhor que o ps4 pro, Shenmue 3 tbm roda melhor na gtx750ti que no ps4 pro.

Tem algo muito errado, ou as specs divulgadas dos consoles são apenas picos teóricos que nunca são alcançados e se quer chegam perto, ou já estão prejudicando as versões dos consoles atuais para que a nova geração pareça melhor do que ela realmente será.

Podem ter números de uma rtx2080ti, mal vão render uma rtx2060 super.

Carlos
Carlos
Responder a  Mário Armão Ferreira
10 meses atrás

Nao é somente resolução, os settings gráficos no ps4/ps4pro rodam no médium/low nesses jogos, a gtx750ti segura tudo no medium na mesma resolução com bem menos tf.

O Pro pelas specs era pra rodar em 1440p e nem 1080p tá segurando direito em ambos os jogos.

Uma placa de 1.3tf nvidia rende mais que o ps4 de 1 84, esses tf da amd são teóricos e não passam nem perto de alcançarem isso.

O xonex tem 6tf, se peida pra rodar o novo starwars em 1440p no medium low a 30fps, uma gtx1060 com 4.6tf roda no alto/epico entre 50 e 60fps na mesma resolução.

O PS5 pode ter 12tf, vai perder pra placas de 8 da nvidia o na melhor das hipóteses render o mesmo.

Sephirot
Sephirot
10 meses atrás

Mario,

Aos meus olhos me parece que a grande crise que a industria de games esta passando é de limitação criativa e não falta de Hardware, lembra de uns tempos atrás onde tivemos games como Donkey kong, Zelda Ocarina of time, Star fox, God of war 1, FF 7, Mario 64, você se lembra como esses games eram encantadores, toda a criatividade que transbordava mesmo com as gigantescas limitações técnicas da época, pois é senhor Mario, foi a sua geração de programadores que fizeram esses trabalhos encantadores, só que agora estes programadores estão deixando a industria para a entrada de uma nova leva de programadores e esses novos tem todas as ferramentas, todo o hardware disponivel para trabalharem com liberdade porém lhes falta a criatividade o amor em fazer arte, por que games são uma forma de arte, veja bem Mario, com todas as ferramentas de programação de hoje, com as toneladas de dolares investidos nessa industria, quantos games realmente cativantes tivemos ao longo desse ano? Tirando os indies será que passam dos 10 ? Isso que me deixa chateado, pouco importa se os consoles vão vir com 2080TI embutidas neles, de que isso adiantaria ? A verdade é que pouco a pouco Mario a industria esta mudando para um cassino online, por isso acredito que devemos dar todo o suporte necessario para empresas como nintendo e sony que são verdadeiras guardiãs dos games da velha guarda, infelizmente a Microsoft esta saindo dessa lista e embarcando por um caminho que tristemente parece não ter mais volta, bom enfim espero que a industria consiga dar a volta por cima.

Nelson Cruz
Nelson Cruz
10 meses atrás

Estive a dar olhada rápida nas especificações dos processadores das consolas e gráficas actuais, nomeadamente tamanho dos chips, TDP, e capacidade de processamento. As Radeon RX 5700 XT já andam muito perto das 2080 em processamento bruto (9,7 teraflops contra 10 teraflops). Parece-me verosímil que a AMD consiga enfiar esse GPU num APU personalizado para a Microsoft e Sony, sem que fique demasiado caro. Já a Xbox One X tem um GPU maior que as Radeon RX 580, cujo GPU tem 232 mm2, e o GPU das 5700 só tem 251 mm2. Além disso, o que quer que equipe as consolas não vai ser um GPU actual, nem vai ser fabricado com o actual processo de 7nm da TSMC. Vai ser NAVI de 2ª geração (RDNA 2.0), fabricado com o processo 7nm+. O que a TSMC diz desse processo é que vai aumentar a densidade dos chips. Ou seja, mais transistors por área, logo permite chips mais pequenos.

Não considerei o tamanho dos CPU, e ninguém sabe quanto os GPUs NAVI vão aumentar de tamanho com o hardware adicionado para acelerar Ray Tracing, mas parece-me possível que os APU das consolas tenham o GPU de uma futura placa RX 6700 XT. A dificuldade maior, para igualar a RTX 2080, poderá ser o TDP. A Xbox One X tem um GPU maior que as RX 580, mas com frequências inferiores. A RX 580 tem um TDP de 185 watts, enquanto que as RX 5700 XT têm um TDP de 225W. E parece que o processo 7nm+ não vai melhorar muito o consumo relativamente ao 7nm. Tendo em conta que estes futuros APU vão ter 8 cores Zen2, ao contrário dos Jaguar muito “low power”, parece-me mais provável que a performance seja mais aproximada das placas RX 6700 (não XT). Chegará para atingir ou ultrapassar os 10TFLOPS? Talvez. Já dava para dizerem que iguala ou ultrapassa as RTX 2080.

A questão então é se isso será apenas marketing. Em processamento bruto teórico as 5700 XT aproximam-se muito das 2080, mas na realidade o desempenho é bastante inferior. Mas isto é nos PC! A optimização que os developers tipicamente fazem nos jogos para consolas faz milagres. E a arquitectura RDNA 2.0 também pode ser mais eficiente que a 1.0. Tendo tudo isto em conta, é bem possível que nas consolas da próxima geração os jogos corram com melhor qualidade e framerate que num PC com RTX 2080 e um CPU decente. A um preço inferior, como é habitual.

Nelson Cruz
Nelson Cruz
Responder a  Mário Armão Ferreira
9 meses atrás

Notícia de Maio dá o 7nm+ com “20% increase to transistor density. There’s also a 10% performance uplift or 15% power efficiency increase”. Notícia de Outubro diz “N7+ is set to deliver a 15% to 20% increase in density and improved power efficiency”. Talvez não tenha correspondido exactamente ao que a TSMC esperava. Por outro lado, já está em “volume production”, e o yield (poder-se-á traduzir como rendimento… é número de chips sem defeitos) já iguala o 7nm.

Quanto ao Ray Tracing, a solução da NVIDIA não só é lenta como nem sempre dá bons resultados. No jogo Control, ligando a Global Illumination por RT nota-se uma certa grainha nalgumas sombras. Tipo a “chuva” das televisões antigas quando não sintonizadas. Olhando com atenção até consigo ver o padrão axadrezado com que é calculado o RT. Os tensor cores preenchem o resto por interpolação, mas nem sempre é perfeito. Talvez a minha RTX 2060 não seja potente o suficiente para fazer as coisas mais perfeitas, não sei. Sei que joguei o jogo só com as reflexões RT ligadas, essas sim muito boas. Ligando tudo ficava lento, e dava os artefactos que descrevi.

Em relação às consolas, acho que o ideal era AMD, MS e Sony concordarem num standard de RT transversal a PC e consolas. Pelo menos a nível de hardware (que eventualmente permitisse acelerar várias implementações de RT diferentes em software). Se cada uma tiver a sua solução, vão ser 4 soluções RT no mercado. Vai complicar a vida aos developers e no PC prevejo que a solução da AMD seja simplesmente ignorada na grande maioria dos jogos. A NVIDIA vai melhorar bastante na próxima geração, e com os patrocínios habituais aos developers vai varrer tudo.

Com uma solução standard nas consolas, que pudesse ser facilmente importada para os PC com placas AMD, seria outra história.

Carlos
Carlos
Responder a  Nelson Cruz
10 meses atrás

A otimização dos consoles é colocar nas configurações um misto de medium/low e algo no alto que mantenha um bom desempenho.

Brunoab
Brunoab
10 meses atrás

Pq essa nova geração vai ter investimento bem maior que a do PS4 e Xbox One?

1- Sony e MS correram muito risco e tomaram muito prejuízo com X360 e PS3.

Estou para dizer que teríamos um Crash na indústria se a MS não tivesse cheque em branco pra o xbox e a Sony com o dinheiro que fez no PS2 e muita gordura para queimar.

2- A ameaça da época do final da geração PS3/X360 era todo mundo começar a jogar no celular.

Então não valia a pena arriscar pq os consoles podiam acabar, então o negocio era baixo custo.

3- agora a ameaça é o Streaming.

E que diferença isso faz? ora, investe igual no desenvolvimento do hardware e se os consoles acabarem serão substituídos pelo streaming e o investimento no desenvolvimento dos consoles vira hacks de servidores da PS Now e Xcloud

Estou apostando alto, para mim vem ai 7nm+ com Zen 3 e talvez alguma adição do Zen 4 se for útil para jogos em consoles…

O Zen 3 já estava sendo pensando em 2018 e já esta pronto agora.

Zen 4 já esta em designe, então se tiver algum recurso muito bom para jogos em consoles, capaz de até isso aparecer agora no PS5 e Scarlett.

Sobre GPUs, RDNA2 vai ser tb 7nm+ eu imagino… quase certo a APU do xbox e ps5 serem 7nm+ também.

Eu aposto até em memoria HBM do lado da Sony, já que a MS anunciou GDDR6.

Sobre a GPU, a TOP de linha da AMD e Nvidia deve girar em torno de 20TF, amepere = 2080TI + ~30% e não acho que a AMD vai ficar muito para trás dessa vez em TF/Desempenho.

então algo em torno de 80% da TOP de linha da AMD e Nvidia é possível

~16TF RDNA2, que da um pouco mais que 10x 1.8TF GCN

é comédia d+ quando eu vejo nos fóruns os caras especulando que Scarlett e PS5 vão ter 16GB de RAM UHAUHAUHAUHAUHAUHAAUH

em 2013 uma R290X tinha 4GB de RAM e era a Placa TOP de linha.

e o PS4 saiu com 8GB, geração mais capada da historia em relação ao PC…

uma 2080TI lançada em 2018 tem 11GB, a R7 tem 16GB de HBM… e Sony e MS vão lançar consoles em 2020 com 16GB de RAM?

32~64GB de RAM

32GB vai ser o minimo do minimo

Os dev kits com 48GB agora são o minimo de ram que os consoles vão ter…

CPU:
Zen2 + Zen3 + Zen4, desde que os recursos do ZEN4 sejam interessantes para JOGOS em plataformas fechadas.

GPU:
RDNA2 ~16TF

RAM:
Mais que 32GB… se o salto se mantivesse me 16x a quantidade de RAM, PS5 teria que ter 128GB, então corta a metade o salto e bota ai 64GB de RAM.

Os caras estão malucos se acham que consoles vão vir com ~8TF e 16GB de RAM…

Se console falir frente ao streaming, cancela a montagem de consoles com os chineses e começa a montar Rack de servidor com as peças projetadas para consoles.

E nem vou falar como os PCs vão acompanhar os consoles no SSD… PCs com telas pretas de Loading na parte que nem tem loading em consoles.

Esqueci de comentar tb que tem aquela patente da Sony do cooler do lado inverso da APU com “tudo empilhado” em cima da APU, parecendo SSD, RAM, Chips do controlador do SSD.

Nelson Cruz
Nelson Cruz
Responder a  Brunoab
9 meses atrás

Concordo com o Mário quanto aos 32GB de RAM. Aposto nos 16GB. Chega e sobra para os próximos anos. 24GB no máximo. CPU aposto Zen2 apenas. Zen3 ter o design finalizado não significa que esteja exactamente pronto para produção em massa. A AMD não tem ainda sequer qualquer APU com Zen2 no mercado!!! Daqui a um ano ter dois APU complexos com Zen3 a serem produzidos em massa… parece-me muito optimista. 8 cores Zen2 são mais do que suficientes para consolas.

Concordo com GPU RDNA2 fabricado em 7nm+. Mas visto que hoje, com RDNA 7nm, a AMD teria grandes dificuldades para fazer um APU com 10TF com custo e TDP aceitável para consolas, contar com 16TF daqui a um ano acho por demais optimista. A Radeon 5700 XT anda perto dos 10TF e gasta 225W. Um APU de consola não deve exceder os 150W. A não ser que a arquitectura RDNA2 seja fabulosa, não estou a ver consolas com 16TF em 2020. Só se usarem arrefecimento a água! 12TF parece-me boa aposta. Já seria o dobro da Xbox One X. A MS deve tentar ter pelo menos isso. Mais de 14TF duvido muito.

AlexandreR
AlexandreR
10 meses atrás

Eu acho que em termos de Gpu, RAM e ssd iremos estar bem satisfeitos com esta nova geração!
O que eu acho que poderá limitar será o cpu….
Será o Zen 2 suficiente ?

Brunoab
Brunoab
Responder a  AlexandreR
10 meses atrás

O Zen 3 já esta pronto, so falta fabricar.

Pode ser que até seja Zen3 até nos consoles.

error: Conteúdo protegido