Porque motivo a Xbox 360 teve sucesso onde as outras consolas da Microsoft falharam?

5 9 votes
Avalie o nosso artigo

Para se perceber isso, basta analisar o que a Microsoft fez de diferente nessa era.

A Xbox original

Antes de falarmos da Xbox 360 há que se falar primeiro da Xbox original. A consola foi um sucesso? Não, não foi! Mas tinha tudo para ser!

A Xbox original não foi uma consola que tivesse tido uma aceitação gigante por um motivo simples, foi a primeira aposta da Microsoft no mercado das consolas. Era um outsider, e que acima de tudo entrou na geração já tarde. Tal impediu a consola de ser devidamente aceite, e de ter o sucesso que poderia ter. A piorar a coisa, foi terminada prematuramente, de forma a dar origem à Xbox 360.

No entanto, que fique desde já claro que, na nossa perspectiva, tudo o que levou a Xbox 360 a ser um sucesso, estava já aqui presente.



A Xbox 360

Confesso que não consigo falar desta consola sem que me toque o coração. Digamos que se tivesse de escolher a consola que mais me marcou desde sempre, a Xbox 360 estaria em primeiro na linha. Era uma idade diferente, eram forma de pensar e de jogar diferentes. Mas independentemente disso, é inegável que, com a Xbox 360, a Microsoft fez as melhores escolhas de hardware possíveis.

É que apesar de sua consola ter, a nível de performance bruta potencial, inferior à da concorrência, ela era extremamente fácil de ser usada, e tal permitiu que o seu potencial viesse todo ao de cima. Já a concorrente, a PS3, não teve a mesma sorte, e acabou mesmo por morrer, sem ser completamente explorada a 100% das suas capacidades.

Por este motivo a Xbox 360 revelava-se a consola ideal onde se jogar tudo o que fossem multi plataformas. E no que toca aos exclusivos… a Microsoft tambem não deixou a coisa por mãos alheias, e a consola teve, historicamente, o maior suporte de sempre.

Grandes jogos, grande hardware, e uma idade a condizer, fizeram com que esta consola marcasse. Está no coração como, para mim, a melhor consola de sempre.

Foi aliás aquilo que a Xbox 360 marcou que levou a uma grande deceção com a Xbox One. Foram filosofias completamente diferentes, com a One a ter um suporte miserável a nível de exclusivos, e com um hardware que falhou a toda a largura no que toca ao potencial possível.



E tudo porque? Porque com a Xbox One, a Microsoft mudou as suas políticas de forma radical. De uma forma, que ainda hoje o faz!

E o que é que a Xbox 360 fez de tão bem, que as restantes não fizeram?

Muito simplesmente… a Xbox 360 deu ao mercado… aquilo que o mercado queria! E este é um conceito que a Microsoft deixou de compreender, querendo dar ao mercado… aquilo que eles querem!

Recentemente escrevi um artigo onde me mostrava altamente dececionado com a Sony a colocar os seus exclusivos no PC. Foi um artigo do coração… Tal como outros que escrevi antes, na era Xbox One, relacionados com esta consola.

Custa ver uma consola, agora a PS5, na altura a Xbox One, a desviar-se da rota que tornou as consolas um sucesso. Repare-se que as consolas já existem há quase 50 anos. E são um sucesso hoje porque desde que apareceram elas mantiveram determinadas características. Características essas que fazem parte da definição intrínseca de consola, e que se está a perder.



As consolas tornaram-se atrativas ao longo dos anos porque o que ofereciam era igual para todos os possuidores da consola (algo que se perdeu com vários modelos de uma consola). Eram atractivas por serem fechadas e um eco-sistema completamente isolado e livre de problemas de terceiros (algo que se perdeu com o Cross Play). Eram atrativas porque tinham um suporte continuado, quer de terceiros, quer da marca (algo que no caso da Microsoft decaiu para valores historicamente baixos). Eram atrativas porque tinham jogos que só podiam ser jogados nelas (o que se perdeu com os exclusivos no PC). E eventualmente poderíamos citar mais fatores, mas estes até já nos chegam.

Basicamente, as expectativas do mercado eram estas… e a Xbox 360 acertou em cheio em oferecer ao consumidor tudo o que ele pedia. E acima de tudo de uma forma que, durante anos, se revelou superior à oferta da concorrência.

A consola tinha por isso tudo para ser um sucesso! Era o que o mercado queria… e era o que a consola lhes dava!

Mas com a Xbox One isso mudou. Imagino a deceção de quem se dirigiu especificamente para ver a apresentação da nova consola de jogos da Microsoft, e acabou por ver algo que apenas tocou em jogos nos últimos 15 minutos, e mesmo aí, de forma sumária. O que viu foi uma aposta num produto onde os termos TV e Cloud, se sobrepunham ao que o mercado esperava ver… Os jogos!

E daí que, com o avançar destas ideologias, confronto aos fans, e teimosia da Microsoft, com a colocação dos jogos no PC, na altura escrevi textos onde, tal como recentemente aconteceu com o texto onde abordava os exclusivos PS no PC, falava com o coração e me mostrava desgostoso com as atitudes da marca. Não me recordando neste momento de qual seria o texto mais adequado a mostrar a minha deceção, pois estamos a falar de 2013, mas coloco aqui um de muitos desses textos, que mesmo não sendo o que poderia ter mais sentimento, mostra o desagrado com a situação.



A realidade é que os jogos são isso mesmo. Paixão! É impossível alguém dizer que gosta de jogos e não se mostrar dececionado quando alguém toma atitudes que, mesmo que apenas na nossa perspectiva, causam danos ao mercado dos jogos tal como o conhecemos e o adoramos.

E isso nada tem a ver com paixão por marcas. Não tinha quando nos mostramos desagrados com as políticas da Xbox, nem quando nos mostramos desagradados com as políticas da Sony. Tem a ver, isso sim, com a paixão pelo ecossistema que durante 50 anos foi sendo construído, e que agora vemos desmoronar.

E, a nosso ver, é isso que tornou a Xbox 360 um sucesso. O ser uma consola para os amantes de consolas. Uma consola onde não se tentou impingir uma cloud, um DRM, um sistema de vendas ou aluguer, um streaming, ou seja o que for. Basicamente percebeu-se que habia um mercado que queria X e deu-se-lhes esse X. Exactamente o oposto que se passou onde o mercado continua a querer X, mas dá-se-lhe Y ou um X subvertido camuflado sob um manto de produto de qualidade e barato, algo que, como sabemos, não existe, e nem nunca existirá.

A Xbox 360 entrou a matar… acertou em cheio na mouche. E nem era dificil, pois bastava oferecer o que se pedia. Se as restantes consolas não o fizerem é apenas porque querem impor coisas diferentes.



5 9 votes
Avalie o nosso artigo
81 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Shin
Shin
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

O Xbox ele só afetou o negócio da Sony e a Sony já havia afetado o negócio da Nintendo e da Sega. Transformou um negócio PS2’60/XB’21/GC’19 em PS3’30/XB’29/Wii’40. A plataforma mais bem sucedida da sétima geração foi o Wii e o Wii foi bem sucedido porque diferente do PS3, ele era uma boa opção para o cliente médio do PS1 e 2, enquanto no ocidente o Xbox 360 só não foi completamente uma melhor opção por causa do 3RL e a falta de conteúdo oriental mais expressivo.

Sony quase destruiu o PlayStation com o PS3, adicionar Bluray e uma cara arquitetura ineficiente resulta em uma máquina cara feita em torno de promessas impossíveis de cumprir. Se o PS3 não tivesse sido problemático certamente o Xbox 360 teria menos espaço e a prova é a alavancagem do PS4.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Isso seria como dizer que o Switch vendeu por causa dos joycons. Teve bons e maus jogos usando Wiiremote e teve jogos com controles tradicionais muito bem sucedidos. A imprensa entendeu isso mas na verdade independente de sua forma de entrada o Wii era o mais tradicional de sua época e diferentes da Era N64 e GC, era como retornar ao Nes ou Snes.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Shin
2 meses atrás

Não, não seria dizer isso.
O sucesso do Wii é vinculado aos controladores, inclusive pela Nintendo. A propaganda toda era em cima disso e não faz sentido achar algo diferente, já que estavam lá jogos muito pobres em aspecto se comparado a “concorrência”.
O sucesso do Switch é por ser um híbrido, pela portabilidade e é nisso que a própria Nintendo acredita.

Shin
Shin
Responder a  Sparrow81
2 meses atrás

Controlador não vende jogo, jogo vende controlador. Se o controlador fosse realmente capaz de vender jogos por si só os thirdparty teria também vendido, mas o que vimos foi thirdparty com caça níqueis nefastamente ruins e WiiSports, Mario Kart e Smash Bros Brawl assim como diversos outros jogos conquistando amplo público.

O marketing da Nintendo foi direcionado ao Wiiremote porque ele era a coisa nova o diferencial, o mesmo vale para o DS. Você não pode confundir ação publicitária com aceitação de público, não é por exemplo, que um Xbox 360 Slim vende mais no período Kinect que a aceitação pública é por causa do Kinect. Na verdade o período Kinect tinha o preço mais amigável de Xbox, a Xbox Live mais difundida e mais jogos atuantes. É por isso que quando a Microsoft volta a falar de Kinect no XO, sem uma base para convencimento público eficaz, o acessório não é capaz de por si só fazer nada.

Consoles são apenas caixas para o software, o hardware significa nada sem software adequado. Pesquise a concepção da Wii remote, ele foi projetado como um subproduto do controller wireless para GC, pois o objetivo era lançar o controle para uma coletânea de jogos de diversão que da origem a Wii Sport. Como a Nintendo percebeu que era os jogos mais complexos que falhavam, o mesmo movimento que fizeram com o Nintendo DS em usar duas telas, uma de toque para tornar o console mais intuitivo, isso foi feito no Wii. Nesse ponto Wii remote e Dual Screen tem o mesmo propósito.

Switch não vende por ser híbrido, Switch vende porque no segmento portátil a Nintendo tem um monopólio inabalável devido ao sucesso de muitas franquias da Nintendo. Switch é um portátil que possui um dock TV o que possibilita para eles integrar seus negócios consoles de mesa e portáteis em um único produto de consumo.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Shin
2 meses atrás

Wii vendeu bem pelo conceito em si, pelos controladores e pela facilidade em piratear, na minha opinião.

João Ferreira
João Ferreira
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Na altura tive vários amigos e conhecidos que compraram a Wii sem nunca terem tido qualquer consola anteriormente ou nem sequer ligavam muito a jogos, só por causa dos controladores e da balança.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  João Ferreira
2 meses atrás

Tive muitos amigos que a compraram pelos controladores e porque não precisavam de comprar jogos…

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Alexandre Oliveira
2 meses atrás

Claro que foi sobre os controladores… O principal atrativo. Vários amigos que compraram e vários churrascos em que jogamos Wii por isso, inclusive com pessoas que nunca jogaram videogame se divertindo com a gente. É algo divertido e outro videogame não teria aquele apelo. Os jogos em si não eram nada de mais sem os controladores.

Marco Antonio Brasil
Responder a  Alexandre Oliveira
2 meses atrás

Sem dúvidas os controladores foram o principal fator, creio que o preço também influenciou, ele era bem acessível.
Até minha sogra jogava Wii 😂

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Marco Antonio Brasil
2 meses atrás

🙂 🙂

Juca
Juca
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Penso que pra além de acertos óbvios por parte da Microsoft com o 360, como o investimento em bons exclusivos que conseguiam rivalizar com a Sony, e um hardware com excelente relação desempenho/preço, além da maior facilidade de programação, outras duas coisas ajudaram bastante a Microsoft a ter uma grande vantagem em relação ao Playstation durante toda aquela geração:
– A dianteira de 1 ano sobre o PS3;
– e a facilidade de destravamento do Xbox 360;
A primeira, parece ter pego a Sony de surpresa, mostrando um console com visuais de jogos bastante superiores ao que se tinha no PS2 por um ano inteiro, atraindo a atenção dos entusiastas e tomando a dianteira de vendas e de clientes satisfeitos.
A segunda, indiscutivelmente colaborou para a popularização do console em locais de menor poder aquisitivo como países mais subdesenvolvidos como o Brasil, assim como também ocorreu para a popularização de outros consoles como o PSOne e PS2.

Se não me engano, em número de vendas de software, o Xbox 360 ainda se saiu vitorioso em relação ao PS3, apenas o número de vendas de consoles foi ligeiramente ultrapassado tardiamente pelo PS3.
E apesar dos problemas de 3rl, e a possibilidade de o número das vendas do console não refletirem o verdadeiro número de sua base real de usuários, tanto porque muitas pessoas certamente tiveram mais de um console devido ao problema, quanto a possibilidade de um mesmo console poder ter mais de um usuário, o principal concorrente também contou com sua dose de erros e má sorte e teve seus problemas com o Ylod e com o famoso ataque hacker a sua rede, tendo sido, sem dúvidas, a geração mais desastrosa pra Sony.
Mesmo hoje com “ameaça” de serviços , não vejo a Sony tão ameaçada quanto já foi naquela geração pelo 360.

Hoje a maior e real ameaça dos tais serviços é à qualidade dos jogos.

KingsGoku
KingsGoku
3 meses atrás

As tecnologias avançam, as pessoas avançam e os pedidos de 50 anos atrás, talvez não seja os pedidos de hoje, imagina um console sem jogos online? Sem conquistas? Assim como fazia antigamente, eu alugava jogos em locadoras em minha cidade, era mais barato do que comprar o game, você Mário, tem um grande ”defeito”, não reconhece que nem todo mundo tem o dinheiro que você talvez tenha, Game Pass hoje está á democratizar o videogame, assim como o PS2 e Xbox 360 o fez, de forma ”ilícita” com a pirataria, por isso foram consoles muito vendido, PS2 até hoje é o console mais vendido da história, muito devido aos jogos mas também a pirataria, no Brasil por exemplo, Xbox 360 ainda é vendido como um console de opções.
Hoje o mundo pede mais Game Pass e menos jogos á 70 dólares ou 350 reais no Brasil, onde o salário mínimo gira em torno de 1000 reais. É por isso que a Netflix, Disney Plus, HBO Go, Spotify, faz tanto sucesso no mundo todo, é barato, tem muito conteúdo que as pessoas gostam e este será o futuro.
Onde eu posso jogar o melhor jogo de corrida do mundo (Forza Horizon 5) pagando 1 dólar? Onde eu posso jogar uma das maiores promessas dos RPG de nova geração, pagando 1 dólar (Starfield e TES VI)?
Saiu recentemente que a marca Xbox, bateu recorde de receitas, algo que não ocorria desde 2011, que foi o auge do Xbox 360, com Kinect vendendo bem, com console explodindo em vendas, assim como o PS5, Xbox Series está a vender mais do que no passado.

Deto
Deto
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Mais um dado para vc, kingsnoku é seguidor do Bolsonaro…

Acho q não adianta falar.

Ele adora um discurso Vitimista e sempre vai se alinhar com quem faz isso.

Se fosse a Sony se vitimizando que “exclusivo é anti consumidor” ele seria “Sonysta”

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

De muita lucidez sua argumentação, Mário. É como também penso. Pessoal pensa que “democratizar” ou “socializar” é uma das empresas quebrar as demais, monopolizar o mercado e ditar regras de mercado como bem entender.
Hoje, gamepass ainda pode ser interessante para indies, pois certamente levam algum dinheiro para estar lá e ganham alguma visibilidade e chance de ser testado e do chegar ao agrado do público, mas pra jogos recém lançados, AA ou AAA com algum apelo de mercado, é a morte.
O reflexo óbvio disso será a mudança também da monetização ou da qualidade do game. Ora, se vai tudo tende a mudar para um modelo f2p pelo rumo que talvez se tome, Pra que seria preciso pagar por um serviço qualquer para acessar um game?
Serviços nesse nível da Gamepass afetam vendas, mantém consumidor ocupado e sem consumir.
Hoje parece uma maravilha, mas os danos causados serão grandes. De qualquer forma, parece algo irremediável, a Sony parece que está se aproximando da Netflix, já tinham um acordo de Abril para estreia de filmes, agora surgiram rumores por encontrarem informações no App do Netflix com informações sobre dualsense e Ghost of Tsushima.
Mas veja se esses serviços são viáveis…
Imagine um restaurante oferecendo pratos de 1 euro pra qualquer sujeito comer Filé o tanto que quiser com vinho de 1a à vontade e que efeito teria nos demais restaurantes da região…
Isso não existe, pois não é sustentável numa sociedade que se move pela força do trabalho e do capital, e se existe é só porque o proprietário tem outras fontes para sustentar e tem um objetivo predatório da concorrência. Nem mesmo caridade se faz com filé e vinho, por uma questão de ponderação entre custo/benfeitoria.

Rui
Rui
3 meses atrás

O Sr. Mário continua a cair sempre no mesmo erro e já o disse várias vezes, você fala do que é ser uma consola e o que as mantiveram unicas durante 50 anos.

Os exclusivos.. mas qual é o problema aqui, os exclusivos desde há 50 anos para cá cresceram e cresceram e cresceram… e hoje em dia um jogo para ser um exclusivo de grande nomeada tem de ter um orçamento brutal, coisa que não acontecia a 20 anos atrás, qualquer empresa de meia tijela podia lançar um exclusivo de qualidade para uma consola sem correr riscos de fechar portas.

Hoje me dia os custos são assustadores e as empresas e bem salvagardam-se em vender em mais mercados para assumir o risco de criar uma coisa nova e cara que eles não sabem se vai ter sucesso.

Quanto custou o gran turismo 1? ou o halo 1? A sega com o shenmue arriscou o pescoço e deu no que deu porque o jogo custou 50 milhões a fazer, hoje em dia qualquer jogo custa 50 100 200 milhoes.

Percebo a sua ideia mas você tem de deixar de cair nesse erro e pensar que o mercado de ha 50 25 anos atrás é o mesmo de hoje.

Eles precisam de vender milhões de copias só para recuperar o investimento só para começar..

José Galvão
José Galvão
Responder a  Rui
3 meses atrás

Phil Spencer és tu?

Rui
Rui
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

Esta é a minha opinião, não sei a do PS, eu mantenho esta opinião desde que um jogo que até nem é grande coisa chamado Destiny teve um orçamento de 500 milhões.

Porque a Sony fechou a evolution studios? Porque o Driveclub não deve ter dado rendimento.. porque o days gone 2 não existe? pelo mesmo motivo…

A microsoft e a sony e bem estão alargar o seu mercado para puderem em caso de um novo jogo falhar tentar ter um espectro de possiveis vendas mais abrangentes e com isso continuar a criar jogos novos que podem falhar.

Isto só não faz sentido na cabeça de fanboys desmiolados. Que sacam da listinha em cada tópico.

Não é o teu caso já te conheço da internet a volta de 15 anos, o teu argumento é sempre o mesmo “não tem jogos”, ao menos não sacas da lista é um ponto a teu favor.

Shin
Shin
Responder a  Rui
3 meses atrás

Fechou para se dedicar a GTSports enquanto Driveclub foi um tapa buraco para apresentar um game para validar o PS5.

Rui
Rui
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Eu apenas disse que você continua na ilusão que estamos no ano 2000 com esta questão dos exclusivos e fundamentei a minha opinião.
Ando a pegar com quem afinal?
O cavalheiro Deto passa a vida aqui a destilar veneno e odio e é tranquilo, eu que ate tenho comentado poucas vezes nos ultimos meses sou ameçado por dar a minha opinião, está certo.
Podem me banir estejam à vontade.

Juca
Juca
Responder a  Rui
3 meses atrás

Custos cresceram, mas a base de consumo cresceu, bem como o valor dos jogos (embora você possa considerar apenas uma correção inflacionária).
Não acho que seus argumentos se justifiquem.
Acho que exclusivos se justificam simplesmente porque consoles são uma base de consumo fechado e neles, o dono da base de consumo recebe comissão sobre tudo o que vende. Exclusivos não precisam se pagar por conta própria, precisam apenas atrair para a base de consumo. Só empresas que não tem base suficientemente boa ou não têm exclusivos que rivalizem à altura com a concorrência vêem exclusivos como problema.
Duvido muito se a Microsoft estivesse na situação da Sony em termos de base de consumo com o Xbox, se ela estaria reclamando de exclusivos. E veja, ela tanto sabe que exclusivos importam que ela nunca se propôs a lançar Forza Horizon, Halo ou Gears no console da Sony, ou da Nintendo, mesmo sabendo que venderia bem mais que no próprio console dela, basta olhar pra Minecraft.
Então, exclusivos importam.
A Microsoft é tão “democratizadora” segundo um colega nesse tópico, que nunca lançou outra store em seu console e nunca tentou compatibilizar jogos de PC com seu console, ora, os SO dos consoles são ditos de Windows 10, os consoles são PCs personalizados, qual a grande dificuldade em viabilizar isso se querem democratizar os videogames? Ora, cansei de ver o Phil Spencer elogiar os hackers da MS que desenvolveram a retrocompatibilidade, criaram o alto HDR para conteúdo SD e tantas outras maravilhas. Fora que já na mão do Phil Spencer já foram desenvolvidos duas gerações de consoles One X e Series que poderiam ter rumado para essa democratização. O Xbox PC, que rode PSNow, Stadia, Luna… que aceite jogos de PC e aceite outras lojas como Steam, GoG, Epic além da Store própria e do Gamepass. Fica aí para reflexão se exclusivos não importam e se a Microsoft só quer “democratizar” ou “socializar” os videogames com o gamepass.

Rui
Rui
Responder a  Juca
3 meses atrás

Eu falei sobre algo completamente diferente do que você esta a falar …

Juca
Juca
Responder a  Rui
2 meses atrás

Não vejo assim, penso que não precisa lançar exclusivos caros (Nintendo está aí pra provar e a própria Microsoft com Battletoads e muitos outros) e mesmo o propósito dos exclusivos que é atrair jogadores para uma plataforma. Não há desculpas para nenhum da indústria, lógico, a ganância sempre existe, mas é um movimento que nem sempre dá certo.

Hiago
Hiago
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

PS5 e X/S são ao mesmo tempo um sucesso comparados com os antecessores, mas ao mesmo tempo podem ser o começo do fim dessas plataformas. Eu mesmo estou bem pouco interessado no PS5 no momento, se for adquirir um provavelmente apenas no final da geração (ou não por conta dos exclusivos sendo lançados para PC).

Shin
Shin
Responder a  Hiago
3 meses atrás

PS5 é a melhor versão do PS4 e talvez isso seja um problema pois o terrível marketing do console o vende como a nova coisa e ele não é. Não tem nada de novo no PS5 e essa é a parte boa dele.

Não se engane, a Sony não vai fazer mais nada com o PS5 e seguirá seu roteiro padrão pois o considera seguro. Haverão muitos jogos ao longo do ciclo do console e o console será enxugado até ficar tão competitivo quanto as plataformas Nintendo. Desde que o PS5 não tem uma tela, ele está em desvantagem sobre o Switch ou futuro, então a Sony precisa vender ele a um preço igual ou menor. Por isso a Sony ver uma versão OLED do Switch como oportunidade, $349 é um ótimo preço para eles justificarem o conteúdo novo.

Shin
Shin
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

RT, som 3D, dual sense são addons publicitários, eles serve para embutir um valor capaz de gerar propaganda. Quando você já está com o produto nas lojas e nas mãos das pessoas, você precisa ser um pouco mais consistente que isso. Vamos olhar por exemplo a Nintendo, no período 3DS, inicialmente teve toda aquela coisa sobre 3D, sobre AR, sobre troca de dados por proximidade etc. Depois que as pessoas conhecem o produto e já estão com eles em mãos a Nintendo falou mais disso? Não. Porque não é mais a hora. A Sony também não vai falar muito mais disso no seu próximo ano, ela vai falar do que interessa, jogos, redução de preço, atualizações incrementais.

Hiago
Hiago
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Discordo da parte de inovação do PS5, uma das principais publicidades foi em relação ao SSD e sitema I/O. Algo que é inovador no quesito de produção de jogos, mas não para o público em geral, já que a percepção foi que os consoles (agora falando do X/S e PS5 genericamente) estão apenas correndo atrás de uma tecnologia que já existia nos PCs há anos.
Os dois consoles mais inovadores da Sony para mim foram o PS1 que trouxe o universo 3d e o PS3 com o universo HD e o blu ray.

Shin
Shin
Responder a  Hiago
2 meses atrás

Não é inovador é uma tecnologia velha em portáteis ou consoles de cartuchos. Sendo que aqui no PS5 é uma evolução da tecnologia é o desenvolvimento de um hardware especializado na transferência de ativos virtuais, PVR etc. No PS2 existia um CPU dedicado a controlar os acessos a unidade ótica de modo que texturas virtuais poderiam ser enviadas constantemente em blocos para a memória. No PS3 esses blocos tornaram-se muito maiores com o HDD, isso permitiu um método de descompactação por software usando a SPE, nasce o conceito de Mega Texture. No PS4 e XO a AMD colocou um DSP de descompressão com DMAs, assim a leitura dos dados HDD é dinâmica e resiliente como parte da memória. Nasce o conceito de artivo parcialmente residente. E agora na nova gen mais um passo de evolução, seja por suporte a formatos melhores, seja pela adoção de SSD, seja porque existe aceleradores de leitura e descompressão.

Juca
Juca
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Às vezes vejo colocações tão absurdas que fico sem saber se é alienação ou haterismo, Mário.
Sinceramente não sei o que alguns esperam de uma nova geração.
PS5 tem muito mais potência pra visual e performance que o PS4, traz nova tecnologia de áudio, nova Interface de usuário, novas features como auxílio ao jogador, tem um incrível controle que aumenta a imersão, tem alguns jogos novos e incríveis já pensados pra ele, jogos com grande quantidade de informação na tela e uma riqueza de detalhes incrível, bem como traz a possibilidade de loading virtualmente existente que aumenta demais a imersão, algo incrível e quase surreal de se ver em uma máquina de 400 ou 500 euros/dólares.
Não vejo como alguém que tenha jogado Playroom ou Ratchet Rift Apart uma primeira vez não venha a palavra incrível em seu pensamento ou não possa acreditar que aquilo não é uma nova geração e não anseie por mais.

Hiago
Hiago
Responder a  Juca
3 meses atrás

Vou dizer o que o PS5 não tem, motivação para se manter em uma plataforma hiper fechada com seus exclusivos sendo lançados possivelmente para PC.

Juca
Juca
Responder a  Hiago
3 meses atrás

Ganância sempre permeia o mundo capitalista, resta saber se o movimento será bom! Nem todo pensamento calculista dá certo, basta olhar pra Microsoft, com o Bing, Windows Phone, Mixer… Exemplos na indústria não faltam.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Hiago
2 meses atrás

“Possivelmente” resume bem. Você, eu, NINGUÉM sabe. Se você tá satisfeito esperando por algo que não sabe se vai rolar por anos e insiste nisso, eu e muita gente não vai fazer isso. Horizon eu joguei em 2017, quando era novidade, Uncharted 4 em 2016, day one. Não sei do dia de amanhã e nem o que irá pra Pc. Se tudo for pra Pc mais tarde, mesmo assim eu não vou esperar pra jogar, estarei jogando sempre o que há de melhor e é novidade… Nunca vou ficar querendo algo que eu possa ter agora e imaginando que um dia pode ser que de certo.

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Juca
2 meses atrás

Geralmente quem fala esse tipo de coisa é gente que não tocou na nova geração ainda. Normal em toda geração isso. “Eu não tenho, então não faz falta”. Mas pra quem tem, voltar a um PS4 parece arcaico. E isso tá bem claro pra mim.
Se olharmos para o lançamento do PS4, o PS5 já dá uma surra em conteúdo. Mas para alguns, não passa de um PS4 maquiado. Será assim no PS6, para alguns ele não passará de um ps5 com perfumarias…

Deto
Deto
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

A ideia da MS com o Xbox original e o x360 foi copiar o PlayStation enquanto a Sony estava querendo transformar o PS3 em “o PC doméstico” com Blu Ray, leitor de cartão de memória e 4 usbs para teclado e mouse e suporte nativo ao Linux e CPU de “super computador” para superar um PC doméstico.

“Se vídeo game substituir o PC doméstico com Windows, temos o Xbox”

Quando acabou o medo da MS do PlayStation ameaçar o Windows e o Android e IOS pegaram a MS despreparada ameaçando o Windows, a MS resolveu fazer o que desse mais lucro e entregasse menos, ai veio o Kinect e o Xbox one.

Em 2014 o Xbox seria descontinuado, mas o Phill veio com a Ideia de streaming e serviço.

Acho meio curioso o pessoal acreditar no “streaming é o futuro” sendo que essa ideia veio de um cara que iria perder o emprego sem essa “ideia”.

Juca
Juca
Responder a  Deto
3 meses atrás

Nunca pensei dessa forma, mas tem muita razão no que vc diz. Esse final foi engraçado! 😄

eduard08
eduard08
Responder a  Juca
3 meses atrás

Ouau fiquei de boca aberta de tenta sabedoria, e depois ainda tem quem acredite
Podes-me dar as tuas fontes? Tambem gostava de aprender la umas coisas

Juca
Juca
Responder a  eduard08
2 meses atrás

Vou citar um trecho interessante de um bom artigo sobre a criação do xbox:
” The goal was based in part on a typical Microsoft strategy: seeing someone else do something successful, mimicking it, and hopefully crushing the competition at its own game. This time it hoped to crush Sony, poised to announce the PlayStation 2 in March 1999. Bill Gates, then chairman of Microsoft, was quoted in Upside saying, “Our game designer likes the Sony machine,” when asked about the Sega Saturn. And if Gates thought it worked, he’d go after it.”

Fonte: https://www.pcmag.com/news/the-story-behind-the-xbox

Outro artigo menciona que Bill Gates achava um console um insulto a tudo que ele tinha criado, e só foi convencido quando o perguntaram, “E a Sony?”

Fonte: https://ar12gaming.com/articles/bill-gates-insulted-xbox-pitch

Sobre as pretensões do PS3 quando lançado, posso citar:
“Looking past the impressively powerful core specification of the machine, Sony’s ambitions to turn the PlayStation into a home media hub are readily apparent in the wide range of ports and media connections which the system sports…
All of that will enable the system to perform a wide range of multimedia functions, surpassing even the feature-set of the company’s own PSX convergence device which was released in Japan around eighteen months ago.”

Fonte: https://www.eurogamer.net/articles/news160505ps3story

Já sobre a estratégia da Microsoft para os jogos e a possível venda da divisão em 2014 cogitada pelo Nadella que teria o apoio de Bill Gates posso citar:
“We’re taking PC gaming, Windows gaming and Xbox gaming, and bringing those a lot closer together,” notes Gates, explaining that Microsoft has an overall gaming strategy so an Xbox sell off is “not as obvious as you might think.” Despite that, Gates says he’s “sure Satya and the team would look at that [selling off Xbox] and it’s up to them,” adding that he would “absolutely” support Microsoft’s new CEO if he chose to sell the Xbox division.

Fonte: https://www.theverge.com/2014/5/6/5686380/bill-gates-comments-on-potential-microsoft-xbox-sale

Também é fato e público que o Phil Spencer se vangloria de ter salvo a divisão após o desastroso lançamento do Xbox One.

Fonte: https://arstechnica.com/gaming/2020/11/spencer-microsoft-almost-abandoned-xbox-brand-after-the-xbox-one-launch/

Se divirta, e um bom dia!

Juca
Juca
Responder a  eduard08
2 meses atrás

Amigo, eu o respondi há uns 40 min, mas não sei se por ter links, está pendente ainda de aprovação pelo moderador. Detalhei tudo direitinho trazendo fontes.

Equipa PCManias
Responder a  Juca
2 meses atrás

Está aprovado.

Juca
Juca
Responder a  Equipa PCManias
2 meses atrás

Obrigado!

Livio
Livio
Responder a  Juca
2 meses atrás

Dois ou mais links em uma resposta leva o comentário a moderação, pelo menos é o que acontece comigo e sou um dos mais antigos a visitar o sítio

Equipa PCManias
Responder a  Livio
2 meses atrás

Verdade… É uma forma automática de se evitar spam.

Deto
Deto
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Depois da tentativa de dobra o preço da Live Gold, a gente está no fim da linha do Xbox.

Se o Xcloud não tiver adoção massiva no celular, TVs e PC, acaba o Xbox, os estúdios Xbox irão para baixo da Zenimax e tudo vai virar multi.

Shin
Shin
Responder a  Deto
3 meses atrás

XCloud não é para salvar Xbox, XCloud é o negócio GaaS dentro do ecossistema Cloud Game. Onlive inventou isso e tinha seu Xcloud. Pense no Xbox como um terminal local, se você quer jogar teu jogo sem as problemáticas de um game Streaming que pode ser alguma instabilidade online ou lag de comando,o Xbox como console físico é a melhor opção.

Deto
Deto
Responder a  Shin
2 meses atrás

É o mercado de “2 bilhões de jogadores” que jogam no celular.

É o mercado que o Phill prometeu para o Nadella não fechar o Xbox.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Deto
2 meses atrás

O mercado que o presidente da Sony quer entrar e chamou o mercado de consoles de nicho. Não é só a MS que quer entrar nela, só está fazendo por conta do console não ter tido o sucesso comercial que eles esperavam, somado à natureza cloud da MS hj e o dinheiro para fazer acontecer, algo que a MS tem muito!

Juca
Juca
Responder a  Edson Nill
2 meses atrás

A Sony já tentou a PSnow nesse mercado no passado. Fora isso, também tem incursões em jogos mobile pra celular tendo alguns exemplos como Uncharted e Sackboy. Até a Nintendo fez das suas, mas a questão é que tentar não garante sucesso de ninguém, nem mesmo com perseverança, muito menos o dinheiro garante como a própria Microsoft bem sabe nas diversas incursões dela em vários ramos e atividades, assim como outras grandes empresas com imenso capital.
Uma maneira mais fácil e econômica pra Microsoft ter sucesso nos games dos celulares é o que ela já fez noutras vezes, comprar o que já faz sucesso, e ela sabe bem disso, pois tentou comprar a Nintendo, comprou a Rare, comprou a Minecraft e agora comprou a Zenimax.
Ora, quer fazer sucesso com games em celulares, compra a Epic, e jogos de celular de sucesso estabelecido e com jogadores cativos.
Esse papo de xCloud só serve pra alimentar a alienação de fãs e o ideário megalomaníaco de que a Microsoft vai dominar o mundo, e também para atrair e enganar os investidores por achar que eles serão a “Netflix dos Jogos”.
Felizmente ou infelizmente, a Microsoft tem muito dinheiro pra fazer coisas inconsequentes por mero marketing exibicionista e que demoram anos até que investidores notem o péssimo investimento em alguns negócios. Mas nada dura para sempre, acredite, até para o “dinheiro infinito” tem alguém com a chave do cofre que se cansa de “torrar” dinheiro sem propósito e retorno se tiver o mínimo de interesse em dinheiro.
Não duvido que o sucesso presente e futuro da Microsoft esteja nos servidores dela e no domínio dos serviços em nuvem, sobretudo pra empresas, mas nem tudo funciona como ela quer, e sucesso não tem fórmula por mais que ela tenha cacife pra ficar tentando fórmulas diferentes.

Edson Nill
Edson Nill
Responder a  Juca
2 meses atrás

Juca, o ps now não é uma tentativa falha, e sim, o futuro da Sony! Quando o streaming estiver a nível de experiência de um console físico, a psnow será o PlayStation. Quanto a MS, creio que ela acertou! Pq pela primeira vez, ela com jogos está dentro do que sabe fazer ( serviços e cloud), e por mais que ela na maioria dos casos, não conseguiu ter êxito em suas tentativas, ainda sim é uma empresa com 2 trilhões de dólares em valor de mercado, ou seja, com dinheiro suficiente para tomar alguma fatia de mercado e causar algum estrago na concorrência.

Juca
Juca
Responder a  Edson Nill
2 meses atrás

O estrago não será na concorrência, será no mercado e na renda de desenvolvedores de toda a indústria, os clientes só perderão qualidade, mas enfim, podemos voltar até a jogar games de Atari 2600, não é o fim do mundo, só um retrocesso.
Bem, na minha ótica, nunca será igual jogar num dispositivo local e um à distância, por vários motivos, o principal deles, as Leis da física, limitando a transmissão a velocidade da luz como limite e a distância do deslocamento servidor-tela, mas isso é detalhe.
Logo, streaming de jogo pode ser satisfatório, mas nunca será igual.
Imagino que o máximo que possam conseguir pra “acabar” um delay é criar uma IA para “prever” os movimentos do jogador (acho que o Google já está fazendo isso), o que na verdade muito provavelmente induzirá a ação do jogador ou o fará acreditar que foram suas escolhas ou seus reflexos rápidos que o fizeram tomar determinada ação rapidamente.
Também acho que a Microsoft está certa em fugir do comércio tradicional dos consoles, já provou que sua pegada é outra, quem sabe consiga um retorno mais rápido para o que está disposta a investir. Espero que sinceramente você esteja equivocado quanto ao futuro da Sony, pois acho que isso significará no mínimo o fim dos jogos com nível que hoje ela faz.

Deto
Deto
Responder a  Edson Nill
2 meses atrás

vai sonhando que jogador casual de celular vai pagar para jogar last of us ou gears of war.

nETTo
nETTo
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Off Topic

https://mobile.twitter.com/Arcadegeddon/status/1416146545788006409

PS5 é o primeiro console a receber o FSR da AMD

Livio
Livio
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

[OFF – relacionado] Há umas duas semanas comecei a assistir vídeos de um canal que fala sobre games, mais especificamente sobre a criação e desenvolvimento de jogos e o apresentador não se mete (até agora) a game wars, entretanto hoje vi um vídeo dele sobre o Kinect e o que ele fala sendo verdade é um ponto muito negativo para a MS.

O título do vídeo é:

Seria o Kinect uma GRANDE FARSA ou apenas Marketing Criativo da Microsoft? 

Como não sendo possuidor de um kinect não sabia das experiências com o aparelho.

Juca
Juca
Responder a  Livio
2 meses atrás

Eu tenho o Kinect e posso te dizer que pra jogos de dança e capturas de movimento é algo sem igual, mas para por aí. Se és fã de Just Dance e jogos do gênero, não há dispositivo melhor. Pra todo o resto, é uma tralha.

Shin
Shin
Responder a  Juca
2 meses atrás

Diferentemente do Wii remote Kinect não foi pensado para jogos desde sua concepção primária, o desespero de ter uma solução equivalente ao da Nintendo e o PSmove fez os exe cutivos da MS entrar em alerta e desse alarde interno surge o aparelho com promessas incapazes de cumprir. O erro foi não ter um controlador, Wii remote independente da função de movimento é um controlador, é um dispositivo tátil cuja o jogador pode interagir. Tudo sobre Kinect remete a aleatoriedade, imprecisão ou falha.

Juca
Juca
Responder a  Shin
2 meses atrás

Confesso a você que o que acho pior com essa tentativa com kinect é a assistente virtual do console, não consigo perceber como algo tão chato e desnecessário (isso é percepção pessoal), pode ser visto como algo tão supervalorizado. Se eu tivesse tendência a conspiracionismos, diria que com a assistente virtual a vontade da Microsoft de querer saber tudo da vida dos clientes passou do ponto. Rs
Concordo com você, Kinect é uma proposta muito audaciosa positiva e negativamente falando, querer que jogadores sempre joguem fazendo movimentos de grande amplitude, ou de pé, sem um controle físico básico associado a ele para que o jogador possa jogar num sofá, cama ou rede e sem suar foi sua grande falha.

eduard08
eduard08
Responder a  Juca
2 meses atrás

A kinect e um grande produto mas mal utilizado, eu continuo a acreditar que podiam ser um grande produto sendo incorporado a Vr
se não estou em erro a kinect foi criado para fazer parte da RoomAlive, mais um projeto falhado, ou anticipado
E no final foi um produto que acabou por vender pais fora do contexto dos videojogos, pois se fores pesquisar muitas empresas utilizaram-na ou utilizam-na como cameras de defesa

Equipa PCManias
Responder a  eduard08
2 meses atrás

Se me é permitida a opinião.
O Kinect tinha espaço… Mas o facto de se tentar colocar o mesmo em tudo foi o que o matou. Infelizmente a Microsoft não o soube usar pontualmente e entrou numa de tudo ou nada. Foi pena pois era um produto com potencial.

João Magalhães
João Magalhães
2 meses atrás

O que eu vejo como vantagens do Xbox 360 frente ao PS3 naquela geração:

-360 teve 1 ano sozinho no mercado

– O Hardware era poderoso mas bem mais fácil de desenvolver jogos que o PS3,e era mais equilibrado.

-O preço do 360 era bem menor que o PS3, principalmente até chegar o modelo Slim do PS3.

– O sistema de conquistas foi uma idéia genial,eles trouxeram isso! E o console reafirmou seu compromisso com jogos on-line e estabeleceu a sua loja virtual.

-Fizeram parcerias importantes para trazer alguns exclusivos de peso como a série Gears of War e investiram até mesmo na recém empresa formada de Hironubi Sagakuchi(pai de FF) com Losty Odyssey e Blue Dragon.

Já a Sony com o PS3 cometeu muitos erros mas o que salvou o PS3 foi ela ter se estabelecido definitivamente como uma das maiores produtoras firsty party do mercado do meio da geração em diante…O que salvou o PS3 foram seus jogos e uma biblioteca premiada.

Sony aprendeu lições duras com o PS3 mas que serviram de base para o sucesso do PS4 e as escolhas que fizeram para ele como o próprio Marck Cerny.

Infelizmente a atual Sony do PS5 é um misto de algumas coisas boas com decepção.

Shin
Shin
Responder a  João Magalhães
2 meses atrás

O mais importante é que por diversas razões o PS3 era pior que o PS2, não adiantava nada um avanço na execução gráfica se isso trás efeitos colaterais, o PS3 era um PS2 com asteróides que sofreu efeito de overdose e quase morreu. E porque o PS3 não morreu? Porque o PS1 e 2 foram sucessos então existia um público potencial e esse público começa a aparecer a medida que mais jogos aparece que somada as reduções de preço das versões Slim e Super Slim trouxeram o PS3 de volta ao ponto dele ultrapassar números mundiais do Xbox 360, todavia nos EUA ele nunca conseguiu se colocar tão presente como o console da Microsoft ou mesmo o PS2. Agora ao meu ver o maior problema do PS3 é que ele desencadeou um processo de extinção da marca no Japão e o PS4 não conseguiu reverter isso e o resultado é que hoje dificilmente a venda de seus jogos encontram destaque.

Juca
Juca
Responder a  Shin
2 meses atrás

Apesar de concordar com o que você falou, acho que o maior golpe no Playstation nesse período, além da questão preço e ylod, foi o problema com o ataque à PSN.
Olhando pra tudo que aconteceu, acho que o que mais reergueu a marca na geração, além dos próprios jogos, foi, mesmo a meu contragosto, a dação de jogos como um serviço.
A dação de jogos na Plus, foi a grande sacada da Sony, e algo que realmente a tirou do buraco.

Marco Antonio Brasil
Responder a  João Magalhães
2 meses atrás

Boa análise! Gears a época que lançou foi sensacional, um verdadeiro system seller.
Só discordo em relação ao PS5 ser decepção, acho que a Sony acertou na máquina, inclusive o preço da DE é excelente.

nETTo
nETTo
Responder a  Marco Antonio Brasil
2 meses atrás

Pra mim o PS5 tem o melhor início de geração entre qualquer console e é o melhor PlayStation já criado.

Satisfação total aqui

Mas quem não tem geralmente está decepcionado com o console hehehe

Sparrow81
Sparrow81
Responder a  nETTo
2 meses atrás

Tô bem satisfeito também. Concordo com você: Só vejo insatisfação de quem nem encontrou no console ainda.

Só uma dica aos que julgam sem a experiência: Encosta no PS5 e depois tenta voltar para o PS4. Aí sim você vai ver o que é decepção! Haha

João Magalhães
João Magalhães
Responder a  Marco Antonio Brasil
2 meses atrás

Marco ,falo da comunicação da Sony que não está sendo muito boa e não do projeto do PS5 em si que achei fantástico mesmo se comparando a um Série X supostamente superior…Sony soube otimizar muito bem o PS5 e o foco no SSD ultra rápido acho que foi uma escolha melhor do que 18% de GPU a mais.

Marco Antonio Brasil
Responder a  João Magalhães
2 meses atrás

Nesse ponto da comunicação concordo contigo! Principalmente na tentativa de nos induzir a acreditar que iria abandonar jogos crossgen logo no início da geração.

eduard08
eduard08
2 meses atrás

Vitima de que?? Achas mesmo que tenho tempo para andar ai a fazer gerrinhas de criança mimada?

Nao defendo nem nunca defendi marcas, e sempre bom para o consumidor haver concorrência, quando esta vai no bom sentido

Juca agradeço pelos teus links, agora e bom ler o que metes-te em trechos mas o melhor e ler o artigo todo e compreender o texto todo, pois se metes uma parte so das a perceber o que queres, como por exemplo na parte do Bill Gates achar um insulto a tudo o que ele fez, ele achou um insulto pois nao iria correr windows e iria ter um sistema fechado, quando lhe falaram da Sony, foi no sentido de ser uma grande rival e esta estava cada vez mais presente nas casas do consumidor pois tem, consolas, tv, audio, pc, etc, e que se fizessem um produto unico seria muito mau para eles
Como quando disse que apoiava o Nadella, e normal ele dizer isso, e tudo politica, o gajo acaba de entrar num dos maiores cargos da Microsoft, imagina se uma pessoa com Bill Gates e o peso que ele tem na Microsoft começa-se a falar coisas contra, iria criar muita mau estar no meio da empresa
E toda a gente sabe que os acionistas da Microsoft queriam vender a parte da xbox, e tudo começou na era da xbox one, quando esta foi um flop,devido a tudo que ja todos sabem, e numa altura de muitas mudanças na empresa e nesta (como quase todas) nao ha, ou existem poucas segundas oportunidades, como ja se viu com muitos de outros produtos, e os acionistas (a parte podre de muitas as empresas) esses sao como os ratos num barco a afundar
Quem salvou a Xbox nao sei se foi o Phill Spencer ou nao mas acredito que uma parte da xbox se perdeu com a saida do Steve Ballmer isso sim, pois foi ele um dos grandes responsáveis pelo aparecimento da marca
Agora infelizmente a parte Xbox so continua com o objectivo de vir totalmente digital o que podera afetar o mercado e nao da melhores maneiras

Juca
Juca
Responder a  eduard08
2 meses atrás

Pois então, tudo o que o colega falou ele tem razão, podes não ter gostado de como ele falou ou até do histórico pregresso dele noutros comentários, mas tudo que ele falou tem embasamento, ele não inventou nada.
Amigo, não usei de eufemismo interpretativo para ver as coisa como gostaria, está tudo lá, quase que de forma literal.
Microsoft entrou no mercado para combater o avanço da Sony como central de entretenimento nos lares, e Bill Gates foi convencido a contragosto em investir em algo fora de sua visão pela presença da Sony como ameaça. Também transparece no artigo a “admiração” e a vontade de copiar a Sony.
Talvez você não queira ver isso e esteja procurando furos no texto que dêem margem a outro tipo de interpretação, mas tudo o que o colega falou está lá em fontes de sites com algum renome na internet em suas áreas.
Bem você tem o direito a acreditar no que quiser, mas Phil Spencer continua a contar a mesma história, algo que não dá muita margem a outras interpretação.

eduard08
eduard08
Responder a  Juca
2 meses atrás

A diferença de ti e dele e que contigo vejo atravez dos teus comentários aqui no site da para discutir, tentar se compreender, pois falar e escrever nao e igual e as vezes não conseguimos esplicar da mesma maneira
Eu nao disse que nao tinhas razao, eu sei ver as coisas, o que queria dizer e que muitos podem ler o que lhes entenderem so com partes do texto
Para mim ele pode contar o que quiser, eu da parte da sony, microsoft, nintendo ou nao importa que empresa eu so acredito quando os jogos estao no mercado
Ele pensa que eu sou fanboy, mas o que eu nao suporto sao gajos como ele, que passam a vida a falar mal de uma certa empresa, e a fazer gerrinhas, e esses gajos nao percebem que se no fim so existir uma empresa quem perde nao sao os fanboy mas sim nos os jogadores pois nesse dia a empresa que ficar vai fazer o que quiser

Deto
Deto
Responder a  eduard08
2 meses atrás

começou debochando do que eu falei, agora quer pagar de “não sou fanboy”

e eu nasci ontem.

xbox nasceu por medo do playstation com Linux, do mesmo jeito que Windows Phone, Zune foi medo da IOS e Android, mas não deu tempo e flopou.

Azure nasceu por causa do medo do Google Docs.

e o Ballmer é bonzão mesmo, o CEO que debochava do Iphone enquanto queimava dinheiro com xbox pq a ameaça ao Windows era o Playstation 2 com linux e não celulares…

Ballmer mandou tão bem que nem cadeira no conselho da MS ele tem, ficou com as ações dele mas não decide nem mais se vai ter açucar ou não na mesa de cafezinho da MS.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Muito do sucesso desta consola teve também a ver com a facilidade em piratear a mesma!
Não nos podemos esquecer disso.
O Mesmo se passa com as Nintendo (ou passava pelo menos) e o mesmo se passou também com a Playstation 2.
Dito isto, foi uma consola excelente, não foi a minha primeira escolha essa foi a PS3 mas acabei por comprar a 360 para alguns exclusivos que me agradavam e para jogar os multi e adorei a consola.
Já o comando com aquele trambolho onde se colocava as pilhas para a minha posição de dedos ao fim de algum tempo magoava.

Fernando Molina
Fernando Molina
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Pra mim o melhor console já lançado, e já é lendário por ser o único Xbox até aqui a dar trabalho para a Sony, e que trabalho, nunca vou esquecer da sensação de ver Gears of War rodando nele lá em 2006, nunca mais tive algo parecido ao ver um game, mas é só minha opinião, as pessoas estão muito nervosas por aqui a defender seu console favorito

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Fernando Molina
2 meses atrás

Sem duvida, foi uma consola que elevou a fasquia.
está no meu top 5.

error: Conteúdo protegido