Queres saber quanto vale o CU optimizado para o Tempest engine da PS5?

O Tempest Engine da PS5 é uma unidade de computação especial. Ela foi alterada para ser completamente autónoma naquilo que faz, tendo sido transformada e optimizada!

Não é preciso irmos muito mais longe do que as próprias palavras de Mark Carny no seu video de apresentação da PS5. Eis o que ele tinha a dizer sobre a Compute Unit optimizada que correrá o Tempest Engine:

Mas antes de citarmos Mark Cerny, vamos começar por referir outros pontos que este referiu.

Cerny começa por elogiar o audio da Playstation 3. O Cell era extremamente eficiente no cálculo do audio, e são vários os artigos que elogiam a qualidade do audio que era conseguido na Playstation 3 graças aos SPUs.

Eis alguns links que podem visitar sobre o tema:



PS3 AUDIO OUTPUT IS PHENOMENAL

PS3 AUDIO QUALITY WOW

AM I CRAZY, OR DOES THE PS3 HAVE NOTICEABLY HIGHER QUALITY AUDIO THAN THE PS4?

HOW CAN THE PS3 SOUND SO GOOD

Ora o conceito por detrás do Tempes Engine parte então daí. Se a Sony tem uma unidade, como o Cell que se supera no processamento audio, a ideia era fazer algo idêntico! vamos então citar Mark Cerny!

O Tempest Engine  é baseado na tecnologia de GPU da AMD. Modificamos uma unidade de computação de modo a torná-la muito próxima das SPUs do PlayStation 3. Lembram-se de quando eu disse que elas eram ideais para áudio, então o Tempest Engine não possui caches, tal e qual como uma SPU, todo o acesso aos dados é via DMA, tal e qual como uma SPU. O nosso objetivo era que ele tivesse mais potência do que um CPU, graças ao paralelismo que uma GPU pode alcançar e, da mesma forma, seria mais eficiente que nossa GPU, graças à arquitetura de SPU, com o objetivo de tornar possível quase 100% de utilização.

Cerny refere ainda que este SPU é autónomo, e que a sua capacidade de processamento supera os 8 núcleos Jaguar da PS4. E impressionante é Cerny falar em quase 100% de utilização, algo que os CUs de um GPU não conseguem de forma alguma. Por isso ele refere ser mais eficiente que o GPU a fazer a mesma coisa.



Eu apostaria que a AMD vai futuramente usar nas suas soluções audio esta situação.



16 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
nETTo
nETTo
7 meses atrás

Porque diab.. eles não deram um jeito de colocara o CELL nesse console pra fins de retro com o PS3? Já que o Cell é tão eficiente pra áudio, seria matar dois coelhos com uma flecha. Em jogos de nova geração eles o usariam pra áudio, quando não fosse necessário mais, ele garantiria a retro com o PS3

AlexandreR
AlexandreR
Responder a  nETTo
7 meses atrás

Talvez devido aos consumos energéticos, ou então a facilidade deste sistema comparativamente com o cell. Ou então o preço!

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  nETTo
7 meses atrás

Também gostaria de saber deles, quanto custa um Cell a 7nm EUV..
Mas, se eles fizeram desse jeito deve ter um bom motivo, sei lá.

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  nETTo
7 meses atrás

Mas já é confirmado que o PS5 nao terá retro com o PS3??

nETTo
nETTo
Responder a  Fernando Molina
7 meses atrás

Ao menos agora sim, não se falou nada até o momento.

De toda forma, é justo dizer que a Sony ainda pode falar de muitas coisas, inclusive disso.

Sephirot
Sephirot
7 meses atrás

Fico feliz em ver que dessa vez teremos duas ótimas ofertas no mercado de consoles, posso afirmar que quem for de Series X ou de PS5 tera uma escolha muito feliz, o diferencial vai ser mesmo os jogos, esses sempre foi o grande diferencial, sabemos que nessa geração a Sony não bateu o Xbox one por causa de poder computacional, e sim nos jogos, minha preferencia ainda é nos games da Microsoft, Forza, Gears e Halo, são as franquias que gosto, mas é óbvio que as franquias da Sony agradaram muito mais pessoas, mas na próxima geração parece que teremos uma disputa mais equilibrada.

Mario, não sei se esta no seu cronograma, mas gostaria de saber se o Xbox Series X ganhará alguns artigos também, destrinchando suas novas tecnologias ? Ou esses artigos já sairam ?

Felipe Leite
Felipe Leite
Responder a  Mário Armão Ferreira
7 meses atrás

Dois artigos seguidos para falar da Xbox???
Assim não pode ser Mário!
Assim já não és um fanboy da Sony!
😂

nETTo
nETTo
Responder a  Sephirot
7 meses atrás

Eu também gostaria de saber isso

Tem coisas ali que dariam um bom artigo, como o Velocity Archteture ou mesmo o sistema de descompressão do XSX.

Antonio Lucas
Antonio Lucas
7 meses atrás

Mário, rumores de fontes muitos confiáveis como klobrille, Brad sams, etc que já vazaram coisas no passado todos confirmam que o Xbox terá 2 conferências, uma no início de maio focando em hardware, explicando as tecnologias novas do series x e outra conferência em junho-julho que será focada em jogos, por isso não sabemos muitos detalhes da tecnologia do Xbox, a Microsoft ainda vai revelar, porque esse evento de maio já tá 90% confirmado pois as fontes que vazaram são muito confiáveis

Shin
Shin
7 meses atrás

Tempest Engine = Media Engine

“O próprio motor Tempest é, como Cerny explicou em sua apresentação, uma unidade de computação AMD renovada, que roda na frequência da GPU e oferece 64 flops por ciclo.”

Uma Computer Unit completa, ou seja exatamente como o True Audiocomment image

“O desempenho máximo do mecanismo está, portanto, na região de 100 gigaflops, no estádio de todo o cluster Jaguar de oito núcleos de CPU usado no PlayStation 4. Embora baseado na arquitetura da GPU, a utilização é muito, muito diferente.”

“As GPUs processam centenas ou até milhares de frentes de onda; o mecanismo Tempest suporta dois”, explica Mark Cerny.

Tal como o True Audio Next o Queing é customizadocomment image

“Uma frente de onda é para o áudio 3D e outras funcionalidades do sistema, e uma é para o jogo. Em termos de largura de banda, o mecanismo Tempest pode usar mais de 20 GB / s, mas precisamos ter um pouco de cuidado, porque não queremos o áudio para reduzir um pouco o processamento gráfico. Se o processamento de áudio usar muita largura de banda, isso poderá ter um efeito prejudicial se o processamento gráfico desejar saturar a largura de banda do sistema ao mesmo tempo. ”

O próprio Cerny está respondendo que o fato de usar apenas 2 das 32 wavefronts é reservado muito pouco. Então podemos entender que o Tempest nada mais é que o True Audio Next mas diferentemente do One X ou Series X, ele não tem suporte ao Dolby Atmos na media engine, ele usa um formato analógico que o software usa HRTF desenvolvida pelo próprio Cerny.

Shin
Shin
7 meses atrás

Devemos entender uma coisa muito simples, a Sony não vai fazer as coisas pelo lado difícil, ela vai fazer pelo lado fácil.

Ken Kutaragi representava Sony fazendo pelo lado difícil.
Mark Cerny representa a Sony fazendo pelo lado fácil.

Criar tecnologias de hardware = Metodo Kutaragi, ou seja, difícil.

Usar tecnologias já existentes com configurações próprias = Método Cerny, ou seja, fácil.

Não significa que um é melhor que o outro, significa que cada um tem seu método e ambos tem sucesso em seu método. Se Cerny pode customizar uma tecnologia que a AMD já possui, porque ele iria criar sua própria tecnologia?

O objetivo não é ser o mais tecnológico mas sim oferecer um produto interessante o bastante para refazer seu ciclo de produto e continuar vendendo.

Uma abordagem bem diferente da Microsoft, a Microsoft precisa alcançar a Sony em vendas então ela detecta algum tipo de valor comercial e busca ambiciosamente ir atrás disso. Essa Microsoft mais combativa é produto de Phil Spencer que como falei aqui, está usando a estratégia da guerra das Cocas para conseguir aumentar sua quota de clientes. No marketing combativo eles precisam atacar os valores do inimigo e apresentar os defeitos.

Microsoft combateu o 4K com o One X e agora combate o nextgen com o Series X. O PS5 é sobre velocidade, SSD, arquitetura mais eficiente etc. PS5 foi feito em torno dos 60fps então a Microsoft combate 60fps com 120fps, eles tem sua solução SSD tbm.

Embora a Sony esteja tentando manter o status quo de avanço tecnológico não é interessante romper as barreiras do custo e benefício. Eles tem o mercado então é preciso que o rival realmente pareça ameaçador para que eles mude de estratégia.

Na verdade o PS4pro já era uma mudança de estrategia, eles não queriam perder o que o PS4 conquistou e prevendo um upgrade do XO lançaram o PS4pro. Não previram o One X e o PS5 e o Series X ao PS5. Por isso Series S pode ser deslocado, se a Sony incrementa o PS5 para se aproximar do Series X e a MS diz se sentir bem com onde eles chegaram, porque fariam um console com diferenças no desempenho para baixo? Não faz o menor sentido.

O mesmo para Sony, porque a Sony haveria de fazer uma tecnologia super potente, se a maioria dos desenvolvedores estão bem acomodados na tecnologia atual? Ao invés de fazer mais tecnologia, faça algo que apenas simplifique o trabalho deles.

Por isso PS5 não tem mais unidades e sim mais frequência, melhor arquitetura e SSD.

Em um PS5pro você não verá um múltiplo das unidades atuais mais sim a introdução de maior poder Deep Learning para mais resolução com framerate e melhor Denoising para Ray Component.

bruno
bruno
Responder a  Shin
7 meses atrás

Nao sei Shin. A verdade e que a determinada altura as coisas tem que avancar. E eu ainda estou a aguardar para ver a Next Gen em accao. A mim este chip parece-me demasiado preso ao anterior.

Ja com a Vega, que possui 4 SEs e 64 Compute units no total, o que a AMD faz e dividir a imagem 4 seccoes iguais e processar cada a seccao individualmente. Logo ganhos em ter mais ALUs ha! E convem nao esquecer que as ALUs podem ser usadas para general compute.

Para mim a Sony vai apostar no checkerboard e apostou no incremento de clock para fazer mais frames em menos tempo. Eu esperava ver um aumento mais em computacao do GPU sobretudo depois de Tomorrow Children e Dreams.

error: Conteúdo protegido