Revelado APU que poderá ser o usado na PS5. Numero de série revela vários dados, mas algumas interpretações estão erradas!

Um novo APU AMD, com o nome de código Gonzalo, foi revelado. O seu número de série revela dados muito interessantes, mas no entanto a parte relativa ao GPU está a ser mal interpretada.

A Imagem de cima foi recentemente revelada, mostrando um novo APU AMD, com o nome de código Gonzalo, e com o número de série 2G16002CE8JA2_32/10/10_13E9.

A imagem foi posteriormente complementada com a seguinte, que fornece mais informação sobre a descodificação dos dados contidos no número de série:

Pela análise os seguintes dados parecem saltar à vista. Note-se que vou usar termos como presumivelmente, provavelmente e supostamente, uma vez que a interpretação dos dados pode estar incorrecta, e não se pretende que dados incorrectos passem como verdadeiros.



2G16002CE8JA2_32/10/10_13E9

2 = Protótipo ES1

G = Produto Gaming

1600 = Velocidade base de relógio a 1600 Mhz. Esta situação parece apontar para um protótipo da Sony uma vez que 1600 Mhz é a velocidade da PS4.

2C = Provavelmente relacionado com o TDP, mas não enquadrado nos valores indicados na tabela, provavelmente novo.

E = Presumivelmente relacionado com o Physical Package, mas sendo um tipo não especificado, provavelmente novo.

8 = Supostamente o número de núcleos do CPU, neste caso, 8 núcleos

J = Provavelmente o tamanho da cache. Mais uma vez um valor não presente na tabela, provavelmente novo.

A2 = Provavelmente relacionado com o stepping, mas igualmente algo novo.

32 = Supostamente a velocidade máxima de relógio, ou seja 3.2Ghz (Boost)

Estes dados parecem apontar para um APU baseado num processador Zen+ ou Zen 2, com variações de velocidade de relógio entre os 1.6 Ghz e os 3.2 Ghz, e pela designação G (Gaming), destinado a cobsolas. Tal enquadra-se como uma luva no que poderia ser um APU para a PS4, especialmente devido à patente de Mark Cerny para a retrocompatibilidade que passa por descer a velocidade de relógio do sistema para os valores idênticos aos do sistema a emular. Nesta caso, correndo a PS4 base a 1600 Mhz, a velocidade mínima ajusta-se plenamente.

Onde parece existir alguma disparidade é na interpretação dos últimos dígitos, onde o 10_13E9 é apontado como sendo a velocidade do GPU (1 GHz) num GPU que alguém denominou, bem ou mal, como Navi 10 Lite (onde ou porquê se foi buscar o termo lite é algo que se desconhece)

Ora apesar de o Navi 10 não parecer estar em causa, especialmente porque todos os rumores apontam nesse sentido, é na questão da interpretação da suposta velocidade de relógio do GPU que surgem dúvidas.

É que se aceitarmos a mesma como verdadeira, eis as possíveis performances desta Navi 10, consoante o número de CUs disponíveis:



Como podemos ver, com 64 CUs, o limite do GCN, e aceitando que o cálculo de performance continua a ser feito da mesma forma que todos os sistemas GCN usaram até hoje, a 1 Ghz, este GPU estaria limitado a 8.2 Tflops.

Somente com limites acima desta contagem de CUs, algo que eventualmente a Navi pode ter uma vez que a AMD o definiu como “escalável”, podemos obter valores superiores. Infelizmente, apenas com 88 ou 96 CUs poderíamos ter valores de performance dentro dos esperados para a nova geração. E isso seria à custa de um GPU de topo, cujo custo será pouco provável de ser visto em consolas.

Desta forma, se este fosse o APU da PS5, e aceitando o limite de 64 CUs (que obrigaria a um GPU com 72 para questões de fabrico), este não deveria debitar mais de 8.2 Tflops, o que diga-se é considerado pouco, especialmente quando Mark Cerny deu a conhecer (e já demonstramos a validade das suas afirmações aqui na PCManias), que essa seria a performance para levar jogos PS4 a 4K.

Naturalmente que a nova geração, a mostrar um salto qualitativo semelhante ao que existiu na passagem da PS3 para a PS4 não poderá nunca trabalhar com 4K nativos, e isso está igualmente demonstrado no artigo acima linkado. Mas com reconstrução de imagem ao estilo do feito na PS4, mas aplicando novas técnicas de reconstrução de imagem como o directML (o equivalente genérico do DLSS da Nvidia), e excluindo outros ganhos trazidos pela arquitectura, 12.5 Tflops poderiam ser suficientes. Daí que parece pouco coerente que uma nova consola aponte abaixo disso!

Daí que surge a questão: Será que aquele 10 efectivamente se refere à velocidade do GPU, apontando para 1 Ghz?

Para tirarmos isso a limpo, vamos ver o número de série do APU da Xbox One X:

1G5211T8A87E9_ /23/17/09_1561.

Efectivamente, por comparação, vemos um 23 onde no outro caso temos um 32. E 2.3 Ghz é efectivamente a velocidade máxima de relógio do CPU da X, pelo que podemos aceitar que o 3.2 representa 3.2 Ghz e a velocidade máxima do CPU do Gonzalo.

A questão é que o 09 não representa a velocidade de relógio do GPU da X, que é na realidade 1.172 MHz. E nesse sentido não podemos afirmar de forma clara que aquele 10 represente 1 Ghz!

Ora olhando para as consolas existentes o que vemos é que todas elas possuem uma velocidade de relógio do GPU que é basicamente metade da velocidade do CPU, Daí que será de presumir que a velocidade de relógio deste Navi varie entre os 800 Mhz quando o CPU está a 1600 Mhz e 1600 Mhz quando o CPU está a 3.2 Ghz.

Mais uma vez aceitando as normais limitações do GCN e que não há alterações na sua eficiência ou capacidade de processamento no Navi, 1600 Mhz  permitiria um GPU com 64 CUs, dos quais 56 estariam a uso, com um total de 11,468 Tflops. E este valor parece muito mais coerente, até porque com os ganhos adicionais aportados pelas novidades do Navi, este valor enquadra-se dentro do expectável. De notar que ele pode subir caso a velocidade de relógio ou o número de CU subam, ou o Navi seja diferente do GCN clássico!.

 

 

 



Posts Relacionados

newest oldest
Notify of
Livio
Visitante
Livio

Há erro no texto onde diz que a velocidade da GPU é a metade da GPU

Brunoab
Visitante
Brunoab

Esse vazamento seriam as APUs dos Devkits?

o que eu queria era:

lançamento: final de 2021

24TF
64GB HBM3
CPU Zen 3

Masss deve ficar:

~12TF
32GB GDDR6
Zen 2

bruno
Visitante
bruno

Bem, na minha perspetiva uma nova geracao so se justificaria com pelo 10 vezes a potencia da base.

O que da entre 18 a 20 Tflops. E isso ja seria possivel com um GPU a velocidade do da ONE X e 128 CU (duas Vega 64 coladas uma a outra o que nao seria impossivel de todo ao ver a foto da Vega II).

No CPU acho que ambas as empresas devem ir para os 12 ou mais cores. Se fizerem isso, ganham uma enorme vantagem face ao PC que se mantera por muitos, muitos anos.

Basicamente sera um sistema que tera performance para uma decada ou mais. O problema? O custo atual,por isso continuo a achar que lancar em 2019 (ou ate em 2020) e permaturo. A concorrencia com a Intel forcara a AMD a diminuir precos. Por outro lado, fornecendo sistemas com mais de 8 nucleos as consolas, criara no mercado PC a necessidade de update dos CPUs (iria criar uma disrupcao enorme). Por isso seria um ganho para ambas as empresas (sobretudo porque a AMD tem interesse no multicore que e onde leva vantagem).

Depois, entre HBM3 e GDDR6 a diferenca nao e nenhuma que tu como utilizador notes. As velocidades sao iguais, so o consumo e capaz de melhorar e o footprint. Seja como for 32 GB a 1Tb/s ja permite ao sistema voar.

Fernando
Visitante
Fernando

É possível estimar a performance dos próximos consoles com base nos avanços em consumo de energia da AMD com a litorafia de 7nm.
Historicamente, e isso pode ser verificado nas analises antigas da anadtech toms hardware e outros meios, que o console referencia de desempenho não passou de um consumo real de 180w. Foi assim com o primeiro modelo do Xbox 360, que gasta 177w para executar gears 2, é assim com o Xbox One X que gasta 172w para executar gears 4 com 4K e HDR habilitados. Os outros consoles dessa geração foram medidos respectivamente com 102w para o Xbox One base, 131w para o PS4 e algo em torno de 150-160w para PS4 Pro.
O que pode-se tirar de conclusão, é que 180w parece ser um limitador até para aqueles consoles que são considerados caros, com algo em torno de 500 dólares.
Levando em conta esses dados históricos, vamos analisar o que a AMD tem lançado no mercado. A Vega 64 foi medida com consumo de 261w sem overclock. Ao apresentar a Radeon 7nn, a AMD anunciou que a nova litografia permitiu aumentar a potencia em 25% mantendo o mesmo consumo.
Logo, considerando o TDP do Xbox One X como limitante para a arquitetura e faixa de preço, teriamos a seguinte conta:

6 tflops + 25% = 7,5 tflops

Mas vamos ser otimista, o X esta na litrografia de 16nm e não 14nm, entao vamos de forma bem generosa colocar mais 5% de ganhos:

6 tflops + 30% = 7,8 Tflops

Vamos ser um pouco mais otimistas e acreditar que a mudança para Navi vai colocar mais 15% de ganhos:

6 tflops + 45% = 8,7 Tflops

Pensando no melhor dos cenários, essa seria a potência realista de um console construido na litografia de 7nm que respeite o consumo de energia de consoles dos últimos 15 anos à um preço que não seja considerado fora da realidade como o preço de lançamento do PS3…

A conversa de Tflops que dominou o começo da atual geração, vai ser um tiro no pé na próxima, pois os numeros não parecem atraentes. Imagina o marketing negativo se o console de proxima geração não for capaz de conseguir 2x o Xbox One X em números. A Nvidia ja percebeu isso e não divulga esses números. Eles estao estacionados na casa dos 10-11 tflops de máxima à alguns anos e sempre preferindo por inovar em outras tecnologias e melhorar eficiência.

Então a AMD vai ser obrigada a revolucionar com a Navi para driblar o baixo ganho de performance bruta, usar o DirectML assim como a Nvidia faz com o DLSS e apostar no Ray Tracing de alguma forma é obrigação para um hardware que quer ter o status de nova geração, caso contrário, se a Navi for do nivel da Radeon 7nm, vai ser bem difícil de fazer os novos produtos terem aderência no mercado tão cedo.

Ewertom
Visitante
Ewertom

@Fernando,o que um console next gen ganharia em ter esta tecnologia”RT” que esta em estágio muito inicial para ser implementado,pois se até uma placa dedicada ao RT sofre ao entrega-lo baixando a performance em quase 60% da sua força bruta.

Fernando
Visitante
Fernando

@Ewertom eu te respondo com outra pergunta. Como voce acha que vai parecer a nova geração sem nenhuma evolução gráfica?
Quer um mundo onde podem coexistir Ps4 @720p, PS4 Pro @1080p e PS5@4Kp/60fps?

Pq é só isso que vai acontecer.

Ewertom
Visitante
Ewertom

Acho que nao @Fernando,a evolução gráfica ela existirá de uma forma ou outra,hoje temos GPU e CPU que podem oferecer grafismo de uma qualidade de detalhes que esta gen não pode sonhar em acompanhar,mesmo sendo em UHD ou FHD.
E mais ou menos isso que o Mário respondeu,não adianta ter algo como o RT se si limita muito performance do jogo em si.Ou seja com o RT não teremos 4k a 60 fps,teremos 1080p e talvez 60 fps,ou seja não justifica nesta altura esse processo de beleza que a Nvidia quer passar.
Verifica as especificações da Titan Rtx 2080ti com a Titan V e você vai entender o que digo”tudo aquilo de performance com Rt ligado a correr jogos a 1080

João Magalhães
Visitante
João Magalhães

Honestamente eu preferia um lançamento em 2021.