Se analisarmos tudo o que a Microsoft prometeu, a Scorpio não é mais potente que a Xbox One.

A Xbox One foi anunciada. E com ela vieram as promessas de um sistema preparado para o futuro, um sistema capaz de ser 4x mais potente com a Cloud, e um sistema capaz de 4K. Apesar de que se calhar poucos tem consciência de tal, basicamente a Xbox One foi publicitada como possuindo as capacidades da Scorpio.

NOTA: O conteúdo deste artigo é completamente fatual, com as declarações das partes a serem comprovadas por meio de links, e a realidade atual a comprovar o desenvolvimento face ao dito em 2013!

O passado é o passado, e a Microsoft que esteve na génese da Xbox One está radicalmente alterada desde a entrada de Phil Spencer. Mas a história ficou, e agora, perante o lançamento da Scorpio , e a realidade que todos conhecemos da Xbox, podemos ver como essas promessas desmedidas foram caricatas!

Curiosamente, verificando a caixinha de jóias com que a Microsoft nos brindou no passado, consegui encontrar aqui um conjuntinho delas que demonstram como o Marketing da Microsoft nos iludiu ou tentou iludir ao longo dos tempos. E analisando esse marketing, o que tínhamos como promessa era uma consola Xbox One basicamente tão potente como a Scorpio.

Naturalmente que se tal alguma vez fosse verdade, a Scorpio nem sequer existiria, mas o certo é o Marketing de promessas fez o seu trabalho ao longo dos anos na publicidade da Xbox One, com uma consola vendida associada ao slogan “Cloud Powered”, e uma tecnologia milagrosa que melhorava as performances da consola para valores com os quais a concorrência nem sequer podia sonhar.



A promessa da Cloud como motor de impulsionamento das performances da Xbox One foi uma jogada de Marketing destinada a iludir os crentes, e uma promessa que sempre desmistificamos aqui como não sendo de aplicação fácil e imediata uma vez que, mesmo tendo pernas para andar no futuro, se trata de algo dependente de factores que fogem ao controlo de qualquer empresa, e algo pouco adequado à realidade da internet média do mundo atual.  É, como sempre referimos aqui na PCManias, algo que estava e ainda está, muito longe de poder ser algo implementado de forma maciça e/ou plenamente eficaz face às suas potêncialidades.

Recorde-se que o prometido nunca foram servidores, gravações de jogos, ou o sequer algum processamento online associado aos servidores como temos vindo a ver sempre que se fala da cloud. As promessas eram melhorias a nível gráfico, de computação, de IA sem paralelo, e de performance em mundos com características únicas e universos como nunca tinham sido criados. Mas tudo o que vimos mostrado até agora, no único jogo que parece usar a Cloud em algo próximo do prometido (Crackdown)… foi uma demonstração em ambiente controlado!

Aliás este tem sido um jogo do qual nem se tem falado, quem sabe por problemas em implementar o desejado fora ao ambiente controlado dos servidores de teste e no mundo real?
Mas o certo é que após uma apresentação mediática este é um jogo que parece ter caído no esquecimento, apesar da sua data de lançamento se manter prevista para 2017.

Infelizmente, mesmo que este jogo venha a cumprir com as expectativas, será o único, aplicará as melhorias apenas à componente multi jogador, e sairá 4 anos após o lançamento da consola, mesmo em cima do lançamento da Scorpio! E nessa fase estaremos longe de poder considerar a sua aplicação em apenas esse jogo como algo que caracterizou a Xbox One e justificasse verdadeiramente o seu slogan de “Cloud Powered”.

Mas o certo é que a Cloud e o seu elevado poder foi, durante muito tempo uma promessa repetida de forma constante de forma a não deixar as vendas da Xbox cair. E situações como o Drivatar, ou a IA de Titan Fall, situações que poderiam ser realizadas em qualquer servidor dedicado, eram anunciadas como parte das capacidades únicas da Cloud (Agora TitanFall II sai para a PS4, desmistificando essa situação).

A realidade é que com a Cloud a Xbox One era anunciada como super poderosa… Tão ou mais poderosa que a Scorpio!

Como?

Vejamos, a Scorpio será 4.5x mais potente que a One, mas a Microsoft tinha-nos prometido que com a Cloud a Xbox One seria 4x mais potente, apesar de referências dos programadores de Crackdown que referem terem obtido a performance de 13 consolas Xbox.

Mas mesmo ficando-nos pela estimativa inicial, 4x mais potente seria algo semelhante a 5.2 Tflops, algo muito próximo do que a Scorpio oferece. Mas na realidade sabemos que a Xbox não só não ofereceu nada disso, como tem mesmo dificuldade em manter os 1080p em muitos jogos. E essa promessa de potência, mesmo que venha a poder ser verificada total ou parcialmente em um jogo, não poderá nunca definir a consola.



xbox-one-cloud-powered

Mas e quanto à outra diferença face à Scorpio, os jogos a 4K? A futura consola com o nome de código Scorpio promete jogos a 4K! Mas e a Xbox One no seu lançamento?

Vejamos o que a empresa dizia em 2013, antes do lançamento da One, face aos 4K, e para isso vamos citar Larry Hryb da Microsoft, mais conhecido como Major Nelson, em entrevista dada um mês antes do lançamento da Xbox One sobre essa questão:

Ye! We are really excited about that too. I am sure your audience knows that 4K is the next big thing. Xbox One is a home entertainment system that is built for future. It supports 4K gaming and entertainment. In fact we are shipping an HDMI cable that is 4K rated. So when you get your HDMI cable out of the box it is 4K rated. We are looking forward to bringing 4K capabilities to our consumers in the future, but it depends on the developers.

Vou traduzir:

Sim… estamos realmente excitados com isso também. Tenho a certeza que a vossa audiência sabe que os 4K são a próxima grande coisa. A Xbox One é um sistema de entretenimento construído para o futuro. Suporta 4K gaming e entretenimento. Aliás estamos a fornecer um cabo HDMI que está qualificado para 4K. Daí que quando tirarem o cabo HDMI da caixa ele estará capaz de 4K. Estamos a olhar para o futuro para trazer capacidades 4K aos nossos consumidores no futuro, mas depende dos programadores.

Sabemos hoje que estas palavras deram em nada e que tudo o referido foi mais uma vez mero Marketing enganador destinado a vender consolas. O HDMI 1.4 da Xbox One apenas permite 30 fps a 4K e que a consola não é capaz de executar jogos de qualidade a 4K, infelizmente lutando habitualmente para atingir os 1080p.

Mas o certo é que não só a Xbox One não pode reescalar para 4K por estar limitada a 30 fps, como nem sequer os pode usar para entretenimento com streaming 4K, onde os 30 fps seriam suficientes, uma vez que a consola não está equipada com HDCP 2.2 (obrigatório para 4K) e não possui sequer hardware específico capaz de descodificar video 4K. A implementação da segunda situação por software não é impossível, mas os codecs necessários como o High Efficiency Video Coding (HEVC) utilizam os recursos CPU e GPU da consola de forma elevada, piorando-se a situação quando falamos do Context-adaptive binary arithmetic coding (CABAC) que nem sequer pode ser feito no GPU, pelo que, de acordo com relatos, a implementação software nas consolas estava limitada a 24 fps com um bitrate de 15 Mbps, ou seja mesmo à rasca para o requerido pelo Netflix para estas resoluções (15.6 Mbps). Mas apesar de tal poder funcionar, tal obrigava a um uso com consumos elevadíssimos e ao nível dos usados nos videojogos mais intensos. Por esse motivo, apesar de tal não ser impossível, a Xbox One, tal como a PS4, nunca foi colocada a suportar video 4K.

O certo é que a Microsoft, como criadora da consola sabia das suas reais limitações. Mas mesmo assim, conscientemente publicitava-a como uma máquina perfeitamente capaz para esta resolução.

Comparando com as palavras presentes no FAQ da Sony no lançamento da sua consola PS4, as situações são contrastantes, sendo que a marca nunca anunciou qualquer suporte aos 4K:

Support for high-resolution 4K output for still images and movie content is in consideration, but there are no further details to share at this time. PS4 does not currently support 4K output for games.



Traduzindo:

Suporte para um output de alta resolução 4K para imagens ficas e conteúdo de filmes está em consideração, mas não há mais detalhes para partilhar nesta altura. A PS4 não suporta atualmente output 4K para jogos.

Estas situações são já passado, mas face ao lançamento da Scorpio, são situações interessantes de serem relembradas. Porque afinal de contas a Scorpio não é mais do que aquilo que a Microsoft em 2013 dava a entender que a Xbox One já era!



Posts Relacionados