Sony, Microsoft ou Nintendo…. O que esperar destas empresas na E3?

A E3 deste ano será super relevante, e neste momento só se pode especular sobre o que ali será apresentado, podendo haver muitas surpresas. Mas perante o conhecido, o que podemos esperar de cada uma das empresas?

Sony – Como a Sony já referiu, 2016 foi o ano do hardware e 2017 é o ano do software. Nesse aspecto a Sony entregou já uma quantidade invejável de exclusivos de qualidade, e essa situação ira ser melhorada ainda mais até ao final do ano. Nesta E3 prevê-se que a Sony insista um pouco nos seus exclusivos de maior renome que estão prestes a ser lançados em 2017 ou inícios de 2018, bem como que apresente igualmente alguns títulos novos que surjam como surpresa.

A Sony é atualmente a líder de mercado e a sua principal arma será a qualidade e quantidade de exclusivos para a sua consola. O VR deve igualmente assumir alguma preponderância.

Microsoft – A nível do que é conhecido, a Microsoft não tem muito do que falar, e a sua lista de exclusivos conhecidos é deveras curta. Exceptuando surpresas de software exclusivo que venham a ser conhecidas, a conferência da Microsoft deverá centrar-se na Scorpio e nas suas potencialidades. Esse será o foco da Microsoft, e a E3 mostrará se a sua consola se fica pela competição directa com a concorrência nos multi plataforma, ou se conseguirá igualmente competir no campo dos exclusivos.

No entanto a quantidade de jogos exclusivos apresentado para a Xbox em geral definirá muito do futuro da consola e das vendas da Scorpio para o público em geral (fanboys excluidos), particularmente os utilizadores dotados de bons PCs e que agora já usufruem dos jogos Xbox. Uma conferência onde o apresentado seja, na sua maioria, jogos que, com mais ou menos pixels, com pior ou melhor AA ou mais ou menos fps, aparecerão igualmente nas restantes consolas, seria decepcionante. A imagem de que para se ter aqueles jogos a 4K uma Pro, mais barata, é suficiente seria mau demais para a Microsoft.





Daí que esperar um Ryse 2 apresentado a 4K, talvez não seja pedir demais? Mas mesmo não sendo exclusivos, certamente a Microsoft terá novidades…

Nintendo – Apesar de ter a consola mais fraca do grupo a mesma tem surpreendido pela qualidade do seu software mostrando que a velha máxima de que a potência do hardware é apenas secundária face aos jogos é ainda hoje uma realidade. A conferência da Nintendo deverá ser curta, mas mesmo assim a Nintendo tem mais exclusivos previstos para lançamento do que a Microsoft.

Espera-se que a Nintendo apresente algumas re-edições de alguns dos seus melhores jogos, como Pikmin 3, bem como algumas outras novidades. Uma boa ou uma má E3 poderá definir desde já o  nível de sucesso da Switch.

Conclusões:

Daqui se percebe que quem avança para a E3 com maior descontracção é a Sony, e isto pela sua posição atual de líder de mercado. Tanto a Microsoft como a Nintendo precisam de uma boa conferência pois tem de convencer o público que as suas ofertas são atractivas. E quem faz isso são os jogos… daí que com a bitola colocada tão alto pela Sony, estas empresas tem mesmo de saber impressionar.



Posts Relacionados