Star Wars: Battlefront – Análise

SW6

Em antecipação pelo filme mais esperado do ano, eis que nos surge Star Wars: Battlefront.

A análise que faremos a este jogo será extremamente simplista, mas aparece no seguimento de várias análises realizadas na internet e com as quais discordarmos, não se pretendendo no entanto substituir as mesmas, mas apenas acrescentar algo mais específico e associado à realidade Star Wars do que nelas é dito.

Ao longo de 15 anos a PCManias fez várias análises a videojogos, mas temos consciência que esta, se fosse feita sob a forma de uma análise tradicional, seria das mais difíceis que realizamos até hoje, e o motivo é que se torna para nós complicado analisar objetivamente o jogo por si, esquecendo toda a envolvente que o rodeia. Por esse motivo, a nossa análise limita-se a uma introdução sobre o Star Wars, a qualidade do obtido e uma leva descrição do jogo, masnão terá uma avaliação numérica, e deve ser encarada apenas como algo que quem lê as análises de outros locais deverá acrescentar à mesma para formar a sua opinião!

Vamos começar por colocar as coisas em perspectiva, pois as opiniões não passam disso, de perspectivas. Tenho 44 anos! Em 1977 quando saiu o primeiro filme tinha 7 anos! Ora se este filme ainda hoje cativa miúdos e graúdos, imaginem o impacto que esta história, com a qualidade intemporal reconhecida, naquela altura onde o cinema, o video e mesmo os jogos não eram, nem de longe, nem de perto, o que são hoje, causou num jovem daquela idade.

A minha geração cresceu com este filme, com toda a saga Star Wars, Star Trek, Galactica, Espaço 1999, e muito mais! Por outras palavras, Star Wars é para a minha geração, dentro daqueles que apreciam estas coisas, marcante!

Ora eu sou daqueles fans que ficaram decepcionados com a trilogia inicial! George Lucas perdeu-se nos efeitos especiais, nos alienígenas, e a saga perdeu parte do seu encanto. E isso é algo que JJ Abrahams parece estar a recuperar com o novo filme Star Wars que espero com extrema ansiedade!

Naturalmente sendo um fan da série, joguei ao longo da minha vida uma série de jogos relacionados com este tópico. Mas apesar de tal, na minha opinião, apenas Rogue Leader na Gamecube chegou perto de conseguir um estilo visual que nos transportasse para o universo da trilogia original. Algo que agora Star Wars Battlefront consegue recuperar, mas com uma qualidade anos luz à frente do que era possível em 2001 fazer-se na consola da Nintendo.

Basicamente, e tendo consciência que tal tornaria a minha análise em algo deturpado (daí objectivamento não a fazer), o que posso dizer é que este é o jogo Star Wars que esperei a minha vida toda para jogar. E o certo é que haverá muito mais pessoas da minha geração que viveram o mesmo que eu, e é a pensar nelas que resolvi escrever estas linhas.

A qualidade visual deste jogo realmente transporta-nos para o interior das batalhas da saga. Tattoine, Endor, Hoth e muitos outros locais, ganham vida com este jogo, tornando o universo Star Wars em algo palpável para quem sempre desejou entrar nele.


O jogo é multi jogador e online! É certo que há elementos offline que podem ser jogados em modo de jogador único ou cooperativamente (curiosamente este modo de ecrã dividido não existe no PC), mas que na realidade não são mais do que tutoriais estendidos. Daí que acima de tudo uma boa ligação à internet é essencial para este jogo.  E é pena que tal aconteça pois ver esta qualidade numa campanha seria igualmente um sonho tornado realidade.

Depois o jogo divide-se no multijogador e nas missões, sendo que estas últimas possuem modo de jogador único, dois jogadores ou modos de treino onde pilotamos um XWing em Beggars Canyon, pilotamos uma speeder bike nas florestas de Endor, etc.

Aqui teremos uma série de bots que aumentarão a cada nível passado (estes veem em ondas).

O resto já leram em vários sítios. O jogo traz 12 mapas em quatro localizações: Tatooine, Hoth, Endor e Sullust, sendo que brevemente será disponibilizada uma quinta localização Jakku que conheceremos brevemente no filme The Force awakens.

Depois temos uma boa variedade de modos multi jogador (9), basicamente passados no chão, mas temos ainda o modo Fighter Squadron que é basicamente um jogo à parte e que se passa no ar e onde podemos usar X-Wings ou A-Wings do lado dos rebeldes e TIE Fighters ou TIE Interceptors do lado dos rebeldes. E como não podia deixar de ser temos ainda como bônus o Millennium Falcon e a nave de Boba Fett, a Slave 1.

Curiosamente neste jogo não temos classes! Em compensação o jogo usa cartas que fornecem habilidades ao jogador e que pode equipar até três. Estas cartas são compradas com créditos que se obtêm jogando e são desbloqueadas com a evolução do jogador e o nível atingido. O resultado é, a nosso ver, uma variedade superior ao que é obtido com as classes!

O que não pode passar despercebido, e aliás temos um artigo sobre isso, é a tremenda qualidade gráfica do jogo que surpreende tudo e todos. Naturalmente tal cria desilusão de apenas vermos 12 mapas, mas não só a EA, dá a entender que Battle of Jakku será apenas o primeiro dos DLCs gratuitos (e aqui sendo a EA há sempre dúvidas no ar), como há que ver que Battlefield 4 trazia apenas 10 sem que houvessem queixas.

Não queremos com estas palavras esconder os pontos fracos do jogo, e por isso entendemos que devem ler outras análises apenas tomando estas palavras como um acréscimo ao que ali é dito. Mas o certo é que este é o jogo Star Wars melhor conseguido até hoje, e fans como eu pura e simplesmente não o podem perder. Já os outros… terão de analisar por si!

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (3)

  1. Grande jogo para fans. Realmente apelativo no sentido de fanservice. Se nunca assisti-se a um filme stars wars não recomendo. Se és um fan da sério é obrigatorio. Se gostas do filme compre que sua diversão está garantida por algumas semanas.

  2. Comprei o jogo, aceito algumas falhas que lhe são apontadas, mas não deixa de ser um grande divertimento para o jogador normal e um mega divertimento para Fans.
    Muito Bom.

    • Exactamente… E isso é o que se devia avaliar nas reviews, não se o DLC tem mais conteúdo que o jogo. Isso deve ser criticado, mas não penalizando o jogo, especialmente quando ele tem mais mapas que Battlefield 4. A única crítica real, a meu ver é a falta de campanha!

Os comentarios estao fechados.