Subida de preço da PSN+ – É compreensível?

A PSN+ subiu em alguns países em valores variáveis, mas que alcançaram os 40% em alguns locais. O que se passa?

A PSN+ teve aumentos no custo da assinatura anual em vários locais. E se na maior parte deles a subida foi de $49.99 para $59.99, um aumento de 10 dólares, em outros a subscrição subiu para os 69.99, um aumento de 20 dólares. Curiosamente, pelo menos para já, a Europa escapou aos aumentos.

Mas o que se passa? É compreensível estes aumentos?

A resposta é bastante complexa, e não consegue ser direta!

A realidade é que um custo igual em dois países não corresponde a lucro igual. As taxas aplicadas ao pagamento são diferentes, e  os impostos a pagar posteriormente pelas receitas são igualmente diferentes. Ou seja, a receita bruta para a Sony é diferente!



Naturalmente somos e sempre fomos apologistas de uma regra de serviço igual, pagamento igual. Mas naturalmente que para total justiça, essa regra tem de ser válida para os dois lados, e a empresa que presta o serviço, para serviço igual tem de ter igualmente lucro igual. Daí que há aqui algo que tem de ser pesado dos dois lados, com sacrifício de ambas as partes. E aqui os impostos e a inflação são os elementos desequilibradores pois eles variam de país.

Ora o custo de qualquer serviço tem por hábito ser atualizado todos os anos de acordo com a inflação. Isso acontece na conta da água, da luz, e em tudo. No entanto, desde que foi lançado este serviço em 2010 que os preços nunca variaram, o que quer dizer que, basicamente, o custo nunca acompanhou a inflação em nenhum dos países onde existe, e como tal o lucro da Sony tem vindo a ser reduzido a cada ano que passa.

No entanto há aqui severas injustiças que não podem deixar de ser referidas. É que a justificação encontrada para este custo adicional, a prender-se com a inflação e com a associada quebra de receita, ela seria aplicável a todos os países do mundo, e no entanto o que vemos é que a subida apenas se registou em alguns sítios.

Mas claro, há tambem de se ter em conta outros factores como o nível de inflação, nível de impostos, e o valor/valorização/desvalorização da moeda em causa. E esse talvez seja o motivo pelo qual a Microsoft, eventualmente pelos mesmos motivos, quando ainda este ano ajustou igualmente os seus preços para o Live, não o fez igualmente em todos os países.

Diga-se que ao fim de 6 anos criar um ajuste de preços não pode ser algo visto com maus olhos quando sabemos que todos os serviços os atualizam.

No entanto a verdadeira questão relativa à PSN+, a nosso ver, nem sequer passa pelo aumento do custo. Passa pelo verificar se o serviço atualmente vale ou não a pena. E infelizmente a nossa opinião é que… NÃO! Mesmo sem qualquer aumento!



Independentemente do valor do ofertado pelo serviço, a resposta é, infelizmente, um rotundo não. E isso porque aquilo que é ofertado, e que sempre foi o ponto forte e mais justificável deste pagamento, é atualmente basicamente um conjunto de títulos para os quais a maior parte das pessoas nem olharia duas vezes.

Sendo assinante do serviço desde à vários anos, e acompanhando as ofertas do mesmo desde o seu início, aquilo que se verifica é que o mesmo tem vindo a perder tremendamente em qualidade. Sim, é certo que o serviço tem sido alargado para abranger outras situações, e se inicialmente o custo apenas abrangia a oferta de jogos, atualmente o mesmo cobre serviços online e uma manutenção de uma rede de maior qualidade.

Mas os factos são os factos! A rede da Microsoft inicialmente tambem apenas cobria serviços online e uma manutenção de rede, sem qualquer oferta de jogos, e atualmente passou a incluir a oferta de jogos.

A diferença entre as duas é que a rede da Sony quebrou tremendamente na qualidade dos jogos ofertados passando de jogos AAA de qualidade para Indies que ninguém quer ou conhece, ao passo que a da Microsoft cresce a olhos vistos com ofertas de jogos AAA e alguns deles bem recentes, bem como a oferta de grandes jogos da Xbox 360 que podem ser corridos na One graças à retrocompatibilidade. O resultado é que atualmente o pagamento de um Live ocorre com muito mais gosto do que um pagamento da PSN, e o qual começo a ponderar deixar de pagar, e essa foi uma situação que se inverteu face ao que existia antes.

Ora a questão, a nosso ver, passa exatamente por aí. É que a imagem que passa face a um aumento de custos na Live é que a Microsoft tem vindo a aumentar a qualidade do ofertado e daí que precisa de cobrir mais despesas. Já do lado da Sony a imagem é a oposta, e face ao que tem vindo a ser ofertado a imagem que surge é de que a empresa pura e simplesmente quer amealhar mais. Ao contrário da Microsoft que tem sabido criar motivações para o pagamento e valor, a Sony tem vindo a destruir o valor daquilo que inicialmente tão bem soube criar.

E seja ou não esta a realidade das coisas, associado ao lançamento de uma consola como a Neo apenas três anos depois do lançamento da PS4, esta é a imagem que está a passar em todo o mundo. A de uma empresa gananciosa que quer lucrar ainda mais com aquilo é a sua galinha dos ovos de ouro, parecendo esquecer que caso não crie satisfação nos clientes a fonte dos ovos pode secar. Daí que um cuidado com a imagem que passa deveria ser um dos cuidados principais que esta empresa deveria ter.



Posts Relacionados