Rumor: Nvidia Titan V corre Battlefield com Raytracing, provando que os RT Cores não são realmente necessários.

0 0 votes
Avalie o nosso artigo

Um grupo de pessoas no 3D Center descobriu que a Titan V consegue correr o Battlefield 5 com o Raytracing ligado, mostrando que os RT Cores não são completamente necessários. Tal situação mostra que a AMD poderá vir a apresentar uma solução hardware capaz de correr igualmente Ray Tracing, sem a necessidade de hardware dedicado.

NOTA: Artigo alterado para melhor compreensão e exactidão. Foi alterado o termo tensor cores (mais genérico) por RT Cores, mais associados ao caso em análise.

A situação revelou-se uma surpresa, mas a Titan V, mesmo sendo uma placa que não possui qualquer RT core, consegue corer o Battlefield V com o Raytracing ligado, e com resultados semelhantes, a nível de performance, ao da 2080 Ti. Tal foi revelado por utilizadores do forum alemão 3D Center, e publicado aqui.

Apesar de a performance poder não ser exactamente igual, a realidade é que aquilo que é relevante perceber-se é que os tensor cores na realidade são dispensáveis. Não há nada neles que um Pipeline gráfico programável não possa igualmente fazer, e isso leva-nos a pensar na tecnologia Super SIMD da AMD, e da forma como este, ao aumentar a capacidade de processamento dos pipelines do GPGPU, associado ao processamento de menor precisão a 16, 8 e 4 bits, poderá vir a ser uma alternativa à aceleração dos RT Cores e não dependentes de hardware especializado e proprietário, tornando-se assim numa solução mais standard e universal para o futuro.

A Nvidia vem agora dizer que naturalmente que tal acontece, uma vez que os tensor cores se destinam apenas a acelerar esse processo, mas a realidade é que não foi isso que ela deu a entender inicialmente quando falou das operações RTX e de um API dedicado que davam a entender um tipo de exclusividade que apenas podia ser obtido com o uso desses núcleos proprietários.



 



error: Conteúdo protegido