Samsung pode bloquear TVs remotamente… o que se revela um sério problema de segurança.

0 0 votes
Avalie o nosso artigo

Devido a um problema num dos seus armazéns, de onde terão desaparecido algumas TVs, a Samsung mostrou poder bloquear remotamente as mesmas.

Pois é… A Samsung terá tido uns problemas com uns armazéns seus situados na Africa do Sul, e de onde, supostamente, algumas TVs terão desaparecido.

O que se sucedeu a seguir é que as mesmas foram bloqueadas remotamente, usando uma função que poucos conhecem ou sabem sequer existir, chamada TV Block. A partido do momento em que uma TV seja bloqueada, mal esta se liga à internet… ela é imediatamente desativada.

Esta é uma função que a Samsung refere existir para proteção em caso de roubo, e que garante que a TV fica inutilizada, desincentivando assim o roubo.



E então o que se torna necessário para que a TV seja bloqueada? Segundo informado, a indicação do número de série da TV.

Quer isto dizer que basicamente, e apesar de a Samsung ter tentado usar a situação a seu favor, mostrando que as suas Tvs são seguras, na realidade isto dificilmente joga a favor do cliente. Afinal quem sabe o número de série da sua TV? Sim, ele pode até estar na fatura… mas e depois da garantia acabar, quem é que a guarda?

Basicamente esta situação existe mais para proteção da Samsung contra produtos roubados de armazéns ou camiões, do que verdadeiramente do cliente.

O grande problema desta situação é a possibilidade de algum grupo de hackers conseguir ter acesso ao protocolo usado para este bloqueio, podendo assim criar um bloqueio generalizado às TVs da Samsung, colocando-as sob ransomware. Uma possibilidade bem real, que sinceramente não deve deixar ninguém despreocupado.

Se esta função existe, não só os clientes deveriam ser informados da mesma, como deveriam ser-lhes dadas indicações para guardarem o número de série, assim como permitir aos mesmos a criação de um pin de segurança ou algo do gênero, que permitisse o desbloqueio em caso de a TV ficar inadvertidamente bloqueada.

Basicamente, tal como acontece com os smartphones, e independentemente de a marca poder continuar a ter controlo ou não, colocar o bloqueio/desbloqueio nas mãos dos compradores, uma vez o produto vendido.





error: Conteúdo protegido