Como obter a melhor imagem imagem possível de uma TV 1080p

LG_42LM670S1

Tens a certeza que tens a melhor imagem possível no teu televisor? O exemplo que se segue é real, foi aplicado a uma TV LG, e mostra as diferenças entre uma imagem quase de fábrica e os valores optimizados finais usando apenas ferramentas acessíveis a todos.

Quando alguem me fala que viu uma TV com uma determinada qualidade de imagem, eu questiono sempre o que foi visualizado. Porque avaliar uma produto pela qualidade de imagem sem se saber se a Tv estava optimizada ou não é algo errado. E o certo é que maior parte das pessoas não optimizam a imagem da sua TV. Até podem julgar que optimizaram, mas a maior parte efectivamente não o fez!

Como exemplo, possuo um amigo que possui uma TV exactamente igual à que uso para jogar e que, nas conversas via PS4 ou telefone, ele sempre considerou como tendo, nas palavras dele, “Uma qualidade de imagem impressionante“.

E nesse aspecto sempre concordei, pois efectivamente a TV tem uma qualidade de imagem fora do normal!

Mas curiosamente esse amigo deslocou-se recentemente a minha casa e viu a imagem da minha TV, tendo ficado admirado com o que via. Não só a qualidade de imagem era bastante diferente, como a sua reacção ao que via foi curiosa. Repetindo as palavras de alguém que tinha definido a sua qualidade de imagem como impressionante, estas foram: “Eh pá! A minha imagem à beira da tua é uma valente cag**a” (tenho naturalmente de censurar a última palavra 😉 ).

Daí que o passo seguinte foi pedir-me que me deslocasse a casa dele para que verificasse o que se passava e lhe optimizasse a sua televisão para uma qualidade idêntica.

Naturalmente que já sabia o que se passava. Ele, como tantas pessoas, mexeram nos parâmetros da TV de forma a conseguirem uma boa imagem, mas sem saberem, minimamente qual o objectivo de cada função e como mexer nesses parâmetros. Basicamente eles foram mexidos “à sorte” e por “feeling”, e quando a qualidade de imagem estava boa… paravam!

A questão é que uma boa imagem não é necessariamente a melhor imagem possível que se pode obter. E dado que a sua TV é igual à minha, nada como repetir o procedimento de optimização que efectuei em minha casa na TV dele. A questão é que desta vez resolvi registar algumas fotos, de forma a poder explicar o processo aqui.

Uma vez na casa do meu amigo a primeira situação foi verificar se a TV tinha as cores com a temperatura Neutra. E sim, estava!

Faltava apenas configurar correctamente tudo o resto 🙂

Naturalmente, como estes são parâmetros da TV, a solução para vos mostrar as diferenças passou por fotografias à TV de forma a mostrar como a imagem evoluiu com as alterações.

Infelizmente as fotos ao serem tiradas ao ecrã e com um smartphone, não representam a qualidade real da imagem da TV (há deturpação de cores, brilhos e detalhe). E para além do mais, essas fotos ao serem colocadas aqui irão ser afectadas pela qualidade e configurações dos vossos monitores. E isso quer dizer que não só dificilmente duas pessoas verão a mesma coisa na mesma imagem, como ninguem consegue ter a verdadeira noção do que estava no ecrã da TV. No entanto, mesmo assim as fotos registam as diferenças, e isso tornar-se-à perceptível, que as mesmas possuem diferenças… e grandes!

A configuração inicial

Eis a imagem com que me deparei quando vi a TV pela primeira vez (Note-se que escolhi uma imagem escura propositadamente pois é nelas que se consegue visualizar melhor os resultados:)

tv1

A imagem não estava má… mas longe de ser optimizada! Analisando os parâmetros percebi que basicamente a TV tinha parâmetros muito semelhantes ao modo Cinema pré definido de fábrica. Mas a realidade é que apesar de estar um pouco melhorada face a esse modo, as configurações gerais pecavam em vários aspectos.

Assim, mantendo as configurações base de Brilho e Contraste regulei a cor  dos 55 para os 50% e a acuidade dos 25 para os 15%. Dado que vamos mexer em parâmetros avançados que compensam estas duas situações, a acuidade deve ser relativamente baixa, e a cor deve estar nos valores medianos. Depois, conforme o gosto de cada um, pode ou não carregar nas cores.

Parâmetros avançados

Para estes parâmetros vamos usar os dois menus avançados da TV, o “Controlos avançados” e o “Opção de imagem”, mudando as opções relevantes dentro de cada um deles.

menus

Mas antes de continuarmos, e para que percebam em que sentido orientamos as nossas preferências temos de falar um pouco sobre o HDR, uma tecnologia considerada como das mais revolucionárias a nível de imagem dos últimos tempos.

A realidade é que, mais do que os 4K, o HDR é considerado uma revolução. A paleta de cores conseguida com esta tecnologia é alargada para 4096 tons de cada cor, ao contrário dos 256 tons que o SDR por norma é capaz!

Basicamente o HDR distingue-se do SDR por duas caracteristicas:

1 – Possui uma gama de cores alargada – (Wide Color Gamut)

sdrvshdr

A imagem de cima representa o espectro de cores que o olho humano pode visualizar. . E nele temos inseridos dois triângulos que alcançam essa gama de forma diferente:

O triangulo amarelo representa a gama de cores que uma TV HD (1080p) é por norma capaz de representar. Esta norma e gama de cores é denominada de REC.709 ou BT709. Esta é a gama de cores definida para o standard Blu-Ray, sendo que nem todas as TVs a suportam na totalidade, e representa exactamente 35.9% do espectro de cores que os nossos olhos conseguem captar.

O triângulo preto representa o espectro obtido pela norma REC.2020 definida para o HDR, com um alcançe de exactamente 75.8% do espectro de cores que os nossos olhos podem captar.

2 – Possui mais luminosidade nos pixels (medida em nits), sendo capaz de mostrar mais intensidade de luz , e como tal ser capaz de efeitos mais realistas – Wide Contrast Gamut.

Uma TV SDR por norma é capaz de 100 nits por pixel, ao passo que uma HDR multiplica este valor por 10, podendo atingir os 1000 nits.

Tal situação permite iluminar melhor o ecrã, permitindo que a palete de cores alargada seja mais visivel, e permite igualmente que certas zonas do ecrã possam parecer mais vivas e com mais luz. Eis um exemplo!

nitshdr

Reparem nas luzes das janelas do lado direito onde está aplicado um efeito HDR (neste caso um Dolby Vision). É certo que a zona tem mais iluminação do que a parte presente do lado esquerdo, mas a vida da luz naquelas janelas é claramente superior.

Por estas duas situações vemos que uma TV 1080p nunca pode suportar HDR real. Até é possível ter uma gama de cores alargada desde que o processador de imagem possua capacidades para a processar, mas nunca conseguirá a luminosidade suficiente para um HDR real.

Mas sobre esse suporte de cores adicional vamos falar mais um pouco à frente!

Para já entenda-se então que todos os parâmetros escolhidos para as diversas opções são no sentido de tentar melhorar a imagem na direcção do HDR. Aumentar a paleta de cores e os contrastes!

Vamos então entrar no primeiro menu, o “Configurações Avançadas”, e ver o que li há de relevante para se mudar.

Configurações Avançadas

oa1

O contraste dinâmico muda os valores do contraste de acordo com a luz. Ora como referido o pretendido é aumentar o contraste ao máximo no sentido de imitar um pouco o que o HDR faz. E assim sendo não podemos correr o risco de os valores serem reduzidos. Assim, ele foi colocado em desligado.

oa2

Possui três opções, Desligado, Baixo e Elevado. Aqui optamos por Elevado com a intenção de, tal como em cima, termos o maior contraste possível entre as cores! No entanto, a opção Baixo cria cores menos saturadas sendo uma opção pessoal. Não recomendamos mesmo é o desligado.

oa3

A opção clear White estava em off. No entanto revela-se indispensável para brancos completamente puros pelo que tem de ser activada. No entanto, valores altos alteram a percentagem de branco em todas as cores, pelo que ele foi ligado, mas mantido no seu valor mais baixo.

gama2

A opção gama é responsável pela intensidade de tonalidades. Pode ser Baixa (2.0), Média (2.2) ou Alta (2.4). A primeira opção cria cores mais deslavadas, e a última tons bastante escuros, impedindo a percepção de detalhe nas zonas negras. O gama 2.2 ou médio é o recomendado, e nesse sentido passamos de uma gama Elevada para Média.

oa5

Esta opção relativa à gama de cores é a mais importante de todas. É nela que vamos definir o leque de cores que a TV usa! Por defeito a TV do meu amigo representava uma gama de cores padrão, mas sendo um modelo de 2014 as variantes existentes eram bastantes. Eis as mesmas:

oa6

 O que são cada uma destas opções? Basicamente as gamas mais comuns, a Padrão que é usada desde à largos anos nas emissões TV (BT.601), e as restantes são variações associadas ao Rec.709, que aliás pode ser encontrada nos seus valores padrão (BT709).

Dado que estas normas estão sempre em evolução, ao longo do tempo o BT709 ou Rec.709, tradicionalmente suportado pelas TVs 1080p e definido como fazendo parte do standard Blu-Ray, foi tendo uma série de variantes.

A imagem de baixo mostra algumas delas, e ali vemos algumas variantes como o EBU e o SMPTE ques estão nas opções, e que são basicamente pequenas variações no alcance de forma a apanhar mais tonalidades de uma cor ou outra. No entanto, ainda dentro desta norma, temos os casos do Cinema Digital e do CG246, que se revelam mais alargados e mais proximos do Rec.2020 usado pelo HDR.

bt709variants

Ora estas gamas alargadas, que incluem o CG246, o Digital Cinema e mesmo o Rec.2020 são conhecidas por um termo mais genérico, o wide Color Gamut, ou Gama de Cores Larga em Português. E curiosamente, ainda antes do standard HDR estar definido, algumas marcas de TVs como a LG e Samsung, e de monitores, como a Apple, começaram a usar paletas de cores alargadas nos seus televisores e monitores 1080p fabricados de 2014 para a frente. Não era a gama Rec.2020, mas a gama mais alargada usada no cinema digital, e que representa exactamente 53.6% do espectro visual de cores dos nossos olhos. Uma melhoria significativa face ao Rec.709/BT709 standard!

Ora este televisor, sendo de 2014, indica esse suporte à paleta de cores alargada, que lhe permite teoricamente alargar a gama de cores do Rec.709 para o usado no cinema comercial. Não é HDR, não só porque a paleta ainda é menor, mas também porque os níveis de contraste deste televisor não o permitem, mas não deixa de ser uma situação onde o ganho de cores é significativo desde que ligado a um aparelho que suporte uma paleta de cores ampla, ou uma saída de cores profundas e software capaz de representar esse espaço de cores superior.

Naturalmente esse ganho é o que diz o Marketing, pois apesar do suporte, sem a ajuda de um espectrógrafo não temos forma de medie o ganho real na paleta de cores deste televisor face ao BT709 normal, excepto de forma visual. E o certo é que há diferenças visuais entre todas as opções, com a nossa preferência a ir claramente para os resultados obtidos quando se escolhe a gama Larga.

Infelizmente, apesar dessa vantagem da paleta maior, pouco ou nenhum conteúdo há que tire partido dessa gama alargada de cores numa TV 1080p. A excepção acaba por isso por serem as consolas que suportem saída profunda de cores.

Felizmente a Sony desde a sua PS3 que suporta esse modo, sendo que tanto essa consola como a PS4 possuem essa configuração. Eis a opção na PS3!

ps3_deep_color

A página oficial da norma HDMI define esta opção da seguinte forma:

Deep Color™ – The expanded bandwidth of HDMI 1.3 is allowing manufacturers to design displays with much greater Color Depth. These new “Deep Color” monitors will be capable of rendering many more distinct hues than current displays – up to trillions of colors rather than thousands or millions.

E graças a esse suporte que já vem de trás, na PS4 a opção encontra-se separada do HDR (cuja opção activa o contraste elevado em TVs que o suportem, e os 10 bits de cor, mas não funciona caso esta opção de saída de cores profunda esteja desactivada), permitindo assim que todas as Tvs desfrutem da sua paleta de cores máxima.


cores_profundas

Naturalmente que para este ganho ser real, a gama RGB da consola não pode encontrar-se em Limitado, mas sim em Completo. Algo que a TV tem de suportar convenientemente.


Na Xbox One a situação é algo diferente e pode criar alguma confussão! É que a Microsoft fala-nos nos termos em que está habituada, referindo-se a padrões PC e não de TV.

Assim, na opção Saída Vídeo, na opção fidelidade de vídeo, encontram duas opções, o Padrão e o PC RGB!

saida_video

Escolhendo esta última, recebem a informação:

xbox_rgb

Esta opção não é mais do que a opção GAMA RGB da PS4 que pode ser Limitada (Padrão) ou Completa (PC RGB). A consequência da ativação da gama completa numa TV que não a suporte é, tal como referido no alerta, pretos esmagados. Há tambem um alerta de que, como os filmes são criados na gama Limitada, haverá perdas de detalhe, independentemente do suporte da TV.

A opção equivalente à saída de cores profunda na Xbox é feita no número de bits por pixel.

xbox_bits

Aqui podemos escolher 24 bits (a gama BT709, com 8 bits), 30 bits (a gama Rec.2020 com 10 bits), ou até 36 bits, algo que podem escolher se a vossa TV deixar, mas que não vos traz qualquer vantagem pois não há nada que a suporte. No nosso caso aparecem as três opções como disponíveis, e por nunca temos verificado isso em outras consolas ou televisores, neste momento da escrita do artigo não sabemos dizer se isso é porque a TV é detectada como possuindo uma paleta expandida, ou se tal acontece por defeito com todas as Tvs.

Seja como for, se possuem uma TV que indicie suporte a mais do que a gama BT709standad, escolham os 30 bits por pixel (10-bit).

E não, não vão ter HDR, nem a paleta total do HDR, mas o certo é que a consola suporta uma emissão destas paletas alargadas e consegue-se vislumbrar uma melhoria na imagem.

Eis um extrato do FAQ oficial da Xbox:

Profundidade da cor

A profundidade da cor é o número de bits de dados de cor utilizado para apresentar cada pixel. O modo True Color utiliza 24 bits de dados de cor para representar as três cores RGB. Se souber que a sua TV suporta o modo Deep Color, poderá seleccionar uma profundidade de cor superior.

Como conclusão temos que a escoha da gama de cores e a configuração correcta dos aparelhos que fornecem imagem à TV é um dos factores mais importantes a ter em conta na optimização de imagem, daí que ao fornecer-lhe o leque mais alargado de cores possível, esta TV e outras do género, saem favorecidas. Mas caso não tenham esta Gama Larga e a TV suporte, escolham o BT709.

Neste sentido, aproveitando o suporte deste televisor, escolhemos a gama LARGA em vez da Padrão que estava definida.

Opção de Imagem

preto

O nível de preto, tal como o Clear White foi activado. mas aqui colocado na opção mais alta (Elevado). A ideia é aumentar os níveis de pretos (quantidade de pretos) d forma a ter mais informação nas zonas escuras.

oi2

O local LED dimming, foi colocado no valor mínimo, de forma a manter a sua intensidade sempre elevada, simulando  mais uma vez o HDR.

Eis então a imagem final, após estas alterações:

tv2

Não parece muito, pois não?

Vamos comparar com a imagem original!

tv3

Apesar de um ligeiro aumento do detalhe nas zonas escuras (visível no ombro esquerdo da personagem masculina), de resto a nova imagem não parece melhor.

Note-se que o exagero nos amarelos e brilhos é culpa da fotografia tirada ao ecrã com um smartphone e com a TV como única fonte de luz.

mas seja como for, não foi verdadeiramente um ganho digno de registo!

E o motivo é simples! As regulações básicas estão por fazer e elas ao estarem más, estão as esmagar os pretos da imagem! A questão é que fazer as mesmas sem activas as opções de cima não se traduz no mesmo tipo de resultados. Daí que precisávamos primeiro de fazer estas regulações avançadas de forma a que as regulações básicas apresentem resultados mais alargados, sendo que os efeitos destas escolhas só serão vistos no final.

mas agora que definimos as gamas de cores, de pretos, de brancos e os níveis de contraste alcançados pela TV, vamos passar às regulações básicas. E aqui entra o THX optimizer.

O THX Optimizer

O THX optimizer é um software fornecido com algums filmes da Lucas Films mas que pode igualmente ser adquirido em separado. Na prática o THX optimizer não é mais do que um conjunto de imagens estáticas, mas com padrões de cor desenhados. E o solicitado é que, mexendo apenas num dos parâmetros básicos da TV, o Brilho ou o Contraste, a imagem seja regulada até se obter o efeito desejado.

thx1

A questão é que mexendo apenas num dos parâmetros, quando mexemos no segundo, o primeiro desregula-se. E vemos isso quando repetimos o teste! Daí que o THX optimizer é um processo iterativo e isso quer dizer que vão ter de correr os testes as vezes que acharem necessárias até chegarem a um ponto de equilíbrio. no primeiro teste vamos mexer no brilho até obtermos o resultado pretendido. No segundo vamos mexer no contraste até fazermos o mesmo, mas infelizmente o contraste vai alterar os brilhos, pelo que repetindo o primeiro teste vemos que a TV já está desregulada, sendo necessário voltar a acertar. E esse novo acerto do brilho desregula o contraste que necessita de ser regulado novamente, e por aí fora.

Não há assim um resultado final perfeito, mas sim uma altura em que o que temos é o mais próximo possível do desejado em ambos os parâmetros. E é nessa altura que paramos!

thx3

thx2

No global recomendamos que corram os teste pelo menos 4 a 5 vezes. Poderão necessitar de menos iterações, mas certamente não precisarão de mais.

No final os parâmetros em que ficamos na TV foram estes. Note-se que aqui já regulamos o cível de cor final.

parametros_finais

E o resultado final acaba por ser então este!

tv4

Notam diferença? Eis os resultados face ao que tinhamos antes!

tv5

E face à imagem original!

tv6

O ganho na intensidade da cor e na vida do que está no ecrã foi gigante.

Não julguem que aqui as virtudes foram todas do THX optimizer. Os passos iniciais com os parâmetros avançados foram essenciais no resultado final! De forma alguma a imagem teria este aspecto final se não fossem tomados esses passos!

O efeito real só pode mesmo ser visto ao vivo, pelo que a foto (que deturpa muito as cores, brilho e detalhe) serve apenas de registo das diferenças, e tendo colocado estes parâmetros, os originais e os alterados em duas configurações personalizadas, mudando de uma para outra os ganhos são simplesmente incríveis! Ao ponto de o meu amigo referir “Ahh… agora sim. O que andava a perder!

Reparem como o cabelo da personagem revela agora uma cor realista, bem como ganhamos imenso pormenor nas zonas escuras. Ao ponto de vermos os pontos brancos na camisola da personagem. Basicamente este ganho é de tal forma que com ele percebemos muito mais resolução na imagem do que antes. Agora sim, percebemos claramente que estamos a 1080p!

E na realidade as configurações iniciais do meu colega até nem eram assim tão más, e como já tinha referido, até estavam um pouco melhoradas face ao modo cinema pré-definido na TV. Ao colocarmos esta configuração em todos os modos, incluindo o modo jogo (que bloqueia a gama de cores em Larga por defeito), a vantagem apareceu logo. reparem na cor do céu que apesar de a foto não mostrar claramente deixa perceber um pouco que deixou de conter aparentes ligeiros tons de verde (original) para passar a ser um excelente e perfeito azul (após o passo final de uso do THX optimizer)!

tv3

E no ganho de pormenor nas zonas de sombra (seriam mais visíveis numa imagem mais escura, mas isso obrigava a jogar o jogo, pelo que ficamos com o tínhamos à mão 😉 )

tv4

Este foi um caso real, passado com uma LG LM670S de um amigo. Agora com o tutorial tentem fazer algo do género com as vossas TVs e depois digam qualquer coisa.

Publicidade

Posts Relacionados

Readers Comments (16)

  1. Um excelente artigo. Antes de comprar as 2 ultimas tvs fiz pesquisas em alguns foruns e la tinha muita gente dedicada nessa area de otimização da imagem, até paleta de cores eles sugeriam para a pessoa calibrar a imagem da tv.

    Ia até comentar mas vi que vc habilitou o modo jogo, modo de imagem que desabilita as opcoes dinâmicas em favor a disponibilizar mais rapidamente a imagem.

    Mario vc tem TV 4K? Meu primo tem uma e acho horrivel a imagem do PS4 quando conectado a ele. É ripo uma imagem sem foco/nitidez

    • O modo jogo desactiva por defeito tudo o que é dinâmico.
      Repara que esta TV até tem uma opção de poupança do globo ocular que reduz intensidades de brilhos. E tudo isso são opções criadas de forma a que a imagem se ajuste de forma a não cansar tanto.
      É de louvar e algo que se aprecia. Mas que impede a melhor imagem possível!

      E não, não tenho 4K!
      Ainda no início deste ano comprei uma TV 55 polegadas e já tinha 4K e HDR. Não optei por ela pois a tecnologia ainda está no início.
      Tenho um amigo com uma TV Sony 4K já desde 2013. Aderiu à tecnologia no seu início e lixou-se!
      A TV só suporta 24 fps a 4K devido ao HDMI 1.4, o que serve para filmes, mas não para jogos, e não suporta HDR.
      Nesta fse, em que os 4K ainda não arrancaram, aderir a uma TV dessas é ser cobaia! Eu não o quero ser!
      Para além do mais para que queria eu os 4K? Não tenho leitor UHD, e não tinha nada HDR. Entretanto tive a PS4, mas não morro por isso! Os jogos estão lá na mesma, a resolução é a mesma, e não é só por ter melhores cores que justifica trocar a TV.
      Eu não aconselho ainda a troca para os 4K. Aconselho a quem comprar de novo a pensarem se lhes justifica ir para 4K, mas não a quem tem uma TV 1080p a trocar!

      No meu caso não aderi. Ainda hoje o conteúdo 1080p não é um standard (aliás nem os 720p), e vou-me meter em 4K para quê?
      Especialmente quando já se começa a falar nos 8K… vou deixar a coisa correr!

      • Pois é até citei em outro artigo que o meu primo só comprou essa TV porque foi na lábia/conversa/propaganda do vendedor da loja, pois ele não é ligado a tecnologia, se eu perguntar o que é HD, FullHD ou 4K com certeza ele não me responderá. Não é a toa que questões como conta ou configurações no PS4 ele pede a minha ajuda. Numa dessas ajudas foi que vi a TV dele e não achei a imagem boa, sem foco/nitidez, o ruim é que descobri que outro amigo também tem o mesmo modelo (uma LG 4K 49pol.) e também percebi a falta de nitidez(embora esteja configurada), mas para ele a imagem está ok. Deve ter se acostumado.

  2. Muito bom artigo Mário!

    Acho a calibragem de “acuidade” ou nitidez a mais complicada.Pois se ela estiver muito alta pode aparecer halos na imagem,artefatos, e dar um aspecto de baixa resolução,e muito baixa borrar as cores e imagens….

    Pergunto: qual o valor idéal de acuidade(nitidez) para não comprometer uma imagem 1080p?,e se a distancia em que eu fico do Ecra também deve ser levado em consideração nessa regulagem..isso levando em consideração somente a calibragem para games.

    Gostaria que vc desse uma luz sobre isso…

    • Sobre a acuidade eu aposto sempre em valores baixos. Por mim até a meteria em zero, mas por norma acabo por a regular visualmente e colocar a mesma num valor que dependendo da TV vai entre os 15 e os 25.
      A acuidade faz transparecer os pixels, notas muito mais os mesmos e daí a ideia de baixa resolução. Na fotografia não tens pixels pelo que subir a acuidade não tem grande interesse. Infelizmente, em algumas TVs os valores demasiadamente baixos tornam a imagem muito “soft”, pelo que tens de subir um pouco a mesma. O que impede mesmo o zero são os jogos digitais. Apesar de estarmos a tentar ter algo realista, quer se queira, quer não, o que temos são pixels trabalhados individualmente. Daí que haja alguma necessidade da acuidade ter algum valor sob pena de teres cores muito soft.
      Infelizmente esse é um parâmetro para o qual não temos ferramentas de suporte para definir, tendo de ser regulado com bom senso, de acordo com a realidade da TV, e a olhometro. Mas como disse, algo entre 15 e 25 são os valores com que mais me deparei. Mas claro que isso depende da TV e não é uma regra, e como dizes com razão é um parametro sensivel mas que tem de ser regulado por mera sensibilidade.
      Já agora, tenho de ver se a imagem que está no artigo com os valores finais é a correcta, pois não me parece que seja.

    • Pois… a foto sempre estava mal. Aquele menu que estava era o de peritos que permite regular a acuidade horizontal e vertical separadamente. Eu neste artigo não abordei esse detalhe pelo que agora é que tens a imagem com os valores finais correcta.
      E o valor que coloquei nesta TV foi 15.

      • Obrigado Mário…Eu sempre realmente fiquei em dúvida sobre a acuidade,pois ninguém nunca chegou a um bom senso sobre o mesmo.Alguns diziam que uma imagem 1080p por si só já tinha um nível de acuidade satisfátório e não deviamos tentar elevar esses valores pela TV.

        Acho que é como vc disse,temos que usar o bom senso no valor de acuidade.

  3. Mario, gostaria de saber o modelo da tv em questão pois tenho uma idêntica e não conseguir visualizar todos os parâmetros de configuração. Minha tv é LG LA7400

    • Está indicado no fim do artigo (e a foto é dela)

      LG LM670S

      Nota que os menus podem ser diferentes, ou as opções terem outros nomes!

      Em modo perito a minha LG apresenta mais opções, em modo jogo, apresenta menos sendo muita coisa automáticamente escolhida. A configuração aqui foi feita num modo usuário e depois o que foi possível manter-se passou-se para o modo jogo!

  4. Mário você poderia informar o nome do filme utilizado no ajuste e os minutos de tal cena? Minha TV não é LG e consequentemente as opções são diferentes. Fiz alguns ajustes comparando as opções do artigo com a descrição das opções da minha TV.

    Consegui deixar a imagem com um nível de preto mais perceptível e a temperatura que sempre deixo em Frio pela primeira vez deixei em Padrão(Normal).

    • Ui.. o filme é uma série da Netflix, o Agents of Shield. Recorda-me que é um episódio da segunda temporada, mas não sei dizer ao certo o episódio!
      A temperatura fria é mais agradável ao olho… mas acrescenta azuis à imagem.

      • Pois é, gosto muito da opção de temperatura fria, mas ao testar no capítulo das ilhas em Uncharted 4 com a temperatura normal a tonalidade da água do mar ficava verde e se ativasse a temperatura fria a tonalidade ficava quase azul.

        Por achar a tonalidade verde mais realista decidi deixar a temperatura d cor em normal. Já um fórum dedicado ao modelo da minha TV tem gente que sugere colocar temperatura quente.

  5. Ótimo artigo Mário, deve ter dado trabalhão. Eu já fiquei horas calibrando minha TV quando a comprei, depois calibrei de novo, e no final ainda não parece estar do jeito que eu quero mas já até desencanei disso. Vi outro dia no shopping uma TV dessas 4k novas e… Aquilo sim tinha a imagem do meu gosto, nem tanto pela resolução, mas pela clareza da imagem, é como se a minha fosse por exemplo um display TFT antigo e essa fosse uma IPS de ponto quântico, realmente muito boa, mas quando a gente chegar em casa e ligar o conteúdo de TV normal e seus 1080i, aí deve acabar toda magia hehehe.

    • Calma com as TVs 4K… não só o conteúdo 4K real ainda é pouco, como os modos HDR (HDR10) das TVs 4K não oferecem verdadeiramente 4K nativos.
      Eu sobre o conteúdo já escrevi, sobre o resto está um artigo bem grande na calha.
      E TV a 1080i… ahahaha querias!
      A tua box pode ser 1080i… e com ela podes ter alguns canais a 1080i ou mesmo 720p, mas o resto, o grosso, é PAL ou NTSC.

      • É exatamente o que quis dizer. 😀
        A box, imagino que se refira ao aparelho, é 1080p e ainda assim falta conteúdo as vezes na sua melhor expressão, o que dizer sobre conteúdo 4k…

Deixe um comentario

O seu e-mail nao sera publicado.


*



*