DirectX 12 – o que se sabe e o que não se sabe.

O Novo DirectX 12, aparentemente chamado, pelo menos nesta fase, de DirectX Blue, será uma novidade a apresentar pela Microsoft no próximo dia 20. Eis o que se sabe sobre o mesmo e as questões que se levantam em torno de si.

DX12

A referência a uma nova versão do DirectX que será apresentada no dia 20 de Março tem levantado mais dúvidas do que se tem fornecido respostas. E sobre o mesmo há uma névoa de mistério e uma série de questões que se colocam.

Eis o que se sabe ao certo sobre o mesmo atá agora.

 – Vai ser focado em descer as sobrecargas do CPU ao fornecer um acesso mais próximo do hardware aos criadores.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

– Vai ser suportado “um conjunto de hardware sem paralelo”. Aqui menciona-se PCs, Consolas, Tablets e pela mesma lógica, telefones.

E actualmente estas são as únicas certezas existentes.

 Pela análise a estas informações parece que se pode concluir imediatamente que, só por essas diferenças, se justifica já uma alteração ao número da versão. Há a necessidade de se cortar raizes com as versões anteriores do DirectX e a forma como esta funcionava, criando as fundações um novo API a desenvolver futuramente e que permita acessos de baixo nível. Infelizmente o anetrior DirectX não parece possuir as condições para tal ao estar extremamente enraizado com versões antigas, e onde o DirectX 10 e 11 ainda se apoiam em muito código do DirectX 9 (esta é pelo menos a informação que obtemos em alguns fóruns de criadores).

Mas mais ainda, a abertura do DirectX a tablets parece mostrar uma orientação ao estilo do Windows onde se pretende homogeneizar todas as plataformas, criando-se assim um API muito mais aberto e universal (o tal conjunto de hardware sem paralelo), motivo que, só por si, justificaria igualmente a mudança da versão.

E o que não se sabe (que é basicamente tudo) 😉

– Não se sabe como será a sua performance comparado com o DirectX 11 e o Mantle.

– Será um API com o mesmo nível de baixo acesso do Mantle?

– É necessário novo hardware, ou trata-se apenas de uma actualização para suporte baixo nível.

– Há jogos PC em desenvolvimento a usar DirectX 12?

– Quando estará disponível?

– Que versões do windows o vão suportar?

Estas são as questões mais prementes.

E apesar de não haver respostas concretas para estas perguntas há indícios que poderemos usar para responder de forma um pouco sumária a estas questões.

A nível de performances o DX 12 prevê-se que seja uma evolução face ao DX 11. O acesso de baixo nível garantirá isso! Se atingirá os valores que o Mantle consegue é no entanto uma incógnita.

Porém não se espera que o nível de acesso esteja ao nível do Mantle, e o motivo é exactamente a maior variedade de hardware, pois optimizar de forma genérica é algo diferente das optimizações específicas. No entanto a Microsoft pode aqui criar rotinas separadas para cada fabricante, o que lhe resolveria o problema e acima de tudo atiraria para os fabricantes de hardware a responsabilidade da actualização da informação, das performances e suporte do API. E isso seria uma excelente jogada da Microsoft.

Ora é na terceira questão que tudo assenta: Até que ponto o DirectX 12 requererá, ou não, novo hardware? Será esta uma nova versão do API que terá necessidades de funções adicionais implementadas no hardware das placas, ou apenas uma actualização do DX 11.2 para um API mais genérico, novo e de baixo nível?

 Até ao momento tudo parece apontar que efectivamente o DX 12 não será mais do que um DX 11.2 refeito, com performances de baixo nível e mais universal. Mas como já foi referido em artigos anteriores, essa confirmação só se saberá no dia 20, com a revelação do API, e até ao momento apenas se pode especular baseado nos dados conhecidos.

 Existem porém dados externos que levam a acreditar que o hardware não sofrerá alterações. E passam-se a referir:

 1 – Como já referido em artigo próprio, todas as declarações existentes sobre o DirectX 12, referem apenas melhorias de performances devidas a um acesso baixo nível, nada sendo referido sobre melhorias ou actualizações face à norma existente. No entanto acredita-se que , de acordo com algumas informações obtidas junto de programadores que poderão e deverão ser feitas melhorias significativas no que toca ao rendering em stereo (para óculos de realidade vistual), com suporte para warping, stretching, up-sampling, integração Kinect, etc.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

 2 – A AMD referiu em entrevista de 2013 que desconhecia que estivesse sequer previsto para um futuro próximo qualquer tipo de DirectX 12.

 Naturalmente este ponto levanta várias questões questões:

 Como se sabe o logótipo da Xbox One está presente na imagem de apresentação do API, e isso quer dizer que a consola terá o suporte do mesmo.

 Ora se o mesmo for além do trazer para os PCs o acesso baixo-nivel da Xbox one, requerendo igualmente alterações ao hardware, torna-se difícil perceber como é que a AMD, fabricante do GPU, referia que desconhecia que viesse a existir um DX 12 no horizonte. E sendo a AMD quem constrói o GPU da XBox One, esta facilmente suspeitaria de que algo estaria para vir caso aquilo que estivesse a construir para a Microsoft, a empresa responsável pelo API, fugisse das especificações do DirectX 11 existente.

E assim sendo, parece lógico pensar-se que, caso houvesse alterações no GPU da Xbox One, a AMD nunca proferiria as palavras que foram referidas, muito menos na boca do seu Vice Presidente. Pura e simplesmente ou evadia a questão, ou estava calada.

 E, mais uma vez, esta situação leva a acreditar que o DX 12 será algo que se apoiará no hardware DX 11 existente.

 3 – A Microsoft nunca referiu que a sua Xbox One possuía suporte especial para um futuro DirectX.

 Por muito que se possa querer ser bondoso, acreditar que a Xbox One possui o chamado “molho secreto” por revelar, será ter de chamar incompetentes à Microsoft.

Tanto Xbox One como PS4 estão no mercado desde Novembro de 2013, com as suas especificações finalizadas e inalteráveis. Isso quer dizer que não existem motivos para que haja segredos face ao seu hardware. Afinal as consolas são o que são, e serão assim até ao final da sua existência.

Daí que vendo a PS4 a arrebatar o mercado e acreditar que a Xbox One possui na manga uma carta que poderia, no mínimo, fazer muitos pensarem duas vezes na sua escolha até que mais dados fossem conhecidos, sem o ter revelado, e tendo, à custa de tal, perdido muitas vendas para um público alvo que muito certamente apenas comprará uma consola durante esta geração, é acreditar que a Microsoft está a ser incompetente na gestão do dinheiro dos seus investidores. E mesmo com a Xbox One a dar lucros, é inquestionável que os mesmos poderiam ser maiores com tal revelação, e não havendo motivos para o secretismo da situação, certamente a empresa teria de responder perante os investidores em tribunal por não defender os seus melhores interesses!

4 –  A AMD fabricou em paralelo com o APU da Xbox One as suas placas R9 sem novidades no hardware para qualquer suporte DirectX 12. E os próximos chips Nvidia, os Maxwell também não trazem nenhuma novidade nesse sentido, sendo nesta fase impossível de alterar os mesmos.

Que a Nvidia pudesse não ter conhecimento de qualquer alteração necessária para um suporte DX 12, até se compreende. Afinal os seus próximos chips, os Maxwell, não trazem nenhuma alteração face aos actuais que lhes permita um suporte estendido, mas a empresa também não teve qualquer contacto com o GPU da Xbox One.

Mas e a AMD? Como se compreende que a empresa lance novas placas sem suporte DX 12 se, melhor que ninguém, tinha conhecimento de alterações ao hardware da Xbox One? Certamente a empresa terá consciência de que a comunidade gamer que investiu nas suas placas topo de gama não lhe perdoaria tal situação!

Todas estas situações levam a crer apenas em uma realidade: O novo API não requer alterações ao hardware.

Naturalmente, certezas sobre este assunto não há. Mas não haja dúvidas que caso tal necessidade de hardware viesse a suceder, dado o suporte da Xbox One estar referenciado pela Microsoft, a situação levantava questões pertinentes.

Publicidade

Retomando o nosso artigo

Ora estas conclusões levam a acreditar que o API surge apenas como uma resposta ao Mantle, e se trata de uma situação recente. E nesse sentido a resposta teórica às próximas questões fica dada: Actualmente não deverão haver muitos jogos PC em desenvolvimento para este API, e a data do seu lançamento não deverá ser nos próximos meses, apesar de ele estar já aplicado na consola da Microsoft. Mas esta ultima parte depende um pouco do que a Microsoft já terá feito com a Xbox One, sendo que o API até poderá ser lançado mais breve do que se pensa.

Finalmente quanto às versões do Windows a suportar o API, conhecendo-se a Microsoft como se conhece, esta poderá ser uma situação exclusiva do Windows 9. E tal como o Windows 11.1 e 11.2 foram um argumento para o upgrade para Windows 8, o DirectX12 ou DirectX Blue, será o argumento para o Windows 9.

Note-se porém que tudo o que aqui e referido são apenas especulações baseadas no que se conhece até ao momento, o que é notoriamente pouco, podendo por isso ser alterado à medida que novos dados forem surgindo.

Mas até lá, está aberta a discussão e agradece-se todos os dados novos que nos possam estar a escapar sobre este assunto, particularmente se puderem alterar a realidade aqui referida!

Publicidade

Posts Relacionados