Steam Deck é um pequeno PC portátil com capacidades fabulosas

5 7 votes
Avalie o nosso artigo

O pequeno PC portátil da Valve é esmagadoramente mais potente que uma Switch, e altamente capaz para a sua resolução de trabalho.

O novo Steam Deck é um PC portátil. Com um ecrã 1280*800 de 7 polegadas, este PC irá trabalhar a 720p, o que é uma resolução adequada à dimensão do seu ecrã.

E esta situação torna este PC em forma de consola em algo realmente interessante.

Vamos citar as suas especificações, e comparar com a Switch e Playstation 4.

Valve Steam Deck



CPU – Zen 2 4 núcleos, 8 threads. Velocidade ajustável com mínimo de 2.4 Ghz e máximo de 3.5 Ghz. (entre 307 e 448 Gflops)
GPU –  RDNA 2 com 8 CUs. Velocidade ajustável com mínimo de 1 Ghz e máximo de 1.6 Ghz (entre 1 a 1,6 Tflops)
Memória – 16 GB LPDDR 5 (4x4GB em bus de 32 bits, totalizando 128 bits => 88 GB/s de largura de banda)

Ora o que aqui está é algo realmente poderoso. Comparativamente:

Steam DeckNintendo Switch (modelo OLED)
CPUCustom AMD Zen 2 APU 4C/8T 2.4-3.5 GHz – Max 448 GflopsNvidia Tegra X1 4x Cortex-A57 @1.9 GHz + 4x Cortex-A53@1.3 GHz.
GPUAMD RDNA 2 com 8 CUs @1.0-1.6 GHz (Max 1,6 Tflops)GM20B Nvidia Maxwell architecture 1,267 MHz – Max 393,2 Gflops em modo dock)
Memória16 GB LPDDR5 @5500 MT/s, 88 GB/s4 GB, 25,4 GB/s
ArmazenamentoBase: 64 GB eMMC (PCIe Gen 2 x1)64 GB eMMC
Medio: 256 GB NVMe SSD (PCIe Gen 3 x4)
Top0: 512 GB high-speed NVMe SSD (PCIe Gen 3 x4)
ExpansívelSim: microSD, microSDXC, microSDHCSim: microSD, microSDXC, microSDHC
Ecrã7-polegadas LCD 1280×8007-polegadas OLED 1280×720
TouchscreenSimSim
Saída de vídeoPortátil: 720p @60 HzPortátil: 720p
Dock: 4K @120 Hz ou 8K @60 HzDock: 1080p via HDMI
ConectividadeWi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac e Bluetooth 5.0Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac e Bluetooth 4.1
BateriaLi-ion 40 WhLi-ion 16 Wh
Duração da bateria2-8 horas (dependendo da atividade)4.5-9 horas (dependendo do jogo)
Dimensões11.7 in x 4.6 in x 1.9 in (298 x 117 x 49 mm)9.5 in x 4 in x 0.55 in (com os Joy-Con colocados; 241 x 102 x 14 mm)
Peso1.475 lb (669 g)0.71 lb (322 g); 0.93 lb (422 g) com Joy-Cons acoplados

Como facilmente se percebe, a Steam Deck é claramente superior a uma Switch. Os seus Flops não só são claramente superiores (Só o CPU da Steam Deck bate toda a performance da Switch), como eles não representam a realidade total, dado que o rendimento interno é claramente superior ao ser hardware com arquitectura recente e de topo.

Mesmo assim, o seu GPU é esmagadoramente superior, e a largura de banda tambem.

O curioso é que a Valve refere que a bateria do Steam Deck podem durar entre 2 a 8 horas, com a Switch Oled a referir entre 4.5 e 9h, mas a Switch original a referir entre 2,5 e 6 horas. Ou seja, a Steam Deck pode não bater a bateria de uma Switch Oled, mas bate a bateria de uma Switch clássica.

O mais interessante é que este PC portátil bate mesmo a PS4.



Steam DeckPlaystation 4
CPUCustom AMD Zen 2 APU 4C/8T 2.4-3.5 GHz – Max 448 GflopsCustom AMD Jaguar APU 8C/8T 1.6 Ghz – Max 102 Gflops
GPUAMD RDNA 2 com 8 CUs @1.0-1.6 GHz (Max 1,6 Tflops)AMD GCN 1.1 com 18 CU @ 0.8 Ghz (Max 1,84 Tflops)
Memória16 GB LPDDR5 @5500 MT/s, 88 GB/s8 GB, 176 Gb GB/s
Resolução de trabalho720p1080p

Repare-se que o CPU da Steam Deck é esmagadoramente superior ao da PS4 (mais de 4 vezes superior, e metade do da PS5)

O seu GPU aparenta ser inferior ao da PS4, mas na realidade os seus 1.6 Tflops RDNA 2 revelam-se superiores aos 1,84 Tflops GCN 1.1, isto pelo aumento no número de instruções por ciclo de relógio e consequente rendimento interno do GPU obtidos com a nova arquitetura.

A memória é o dobro da existente na PS4, sendo que a largura de banda é metade. No entanto 1080p são 2,25 vezes mais pixels a processar do que 720p, pelo que a largura de banda se revela perfeitamente adequada para a resolução de trabalho normal.

Basicamente a Steam Deck tem as capacidades para poder correr jogos com qualidade até superior à mostrada em jogos da PS4. Já quando a jogos de nova geração… bem, quando uma Série S com um GPU RDNA 2 com 4 Tflops desce aos 720p… vamos ser realistas e perceber que 1.6 Tflops não chegam minimamente.

Daí que esta consola é realmente uma joia, mas vai pecar por não ter jogos desenvolvidos a pensar no seu hardware. Caso o tivesse, ela poderia apresentar jogos muito interessantes, mas correndo jogos genéricos do PC, o que aqui temos é uma consola que se revela incapaz de acompanhar os novos jogos que por aí estão a aparecer.



E nesse sentido, o hardware da PS4 e mesmo da Switch revelam-se mais adequados, uma vez que os jogos que ali correm são adaptados aos sistemas. Seja como for, se quiserem correr um The Witcher 3, um Doom ou um Wolfenstein nesta consola, podem-no fazer, e sem terem de fazer os sacrifícios gráficos que uma Switch apresenta.

Agora percebe-se é que está consola vai correr jogos PC, e que mesmo a 720p, ela não se mostra adequada aos jogos de topo da nova geração.

Independentemente de tal, está consola suporta Ray Tracking, VRS e toda a panóplia de efeitos disponível nos GPUs RDNA2, e no global, face à Xbox série S, ela até se mostra mais adequada para a resolução proposta, do que a consola da Microsoft. Vejamos:

A Xbox série X tem 12.15 Tflops, propondo-se a 3840*2160 pixels, o que lhe confere 0,0000014648 Tflops por pixel.

A Xbox série S tem 4 Tflops propondo-se a 2560*1440 pixels o que lhe confere 0,0000010851 Tflops por pixel. Um valor claramente inferior ao da Série X.



Já está Steam Deck, com 1.6 Tflops, lidando com 1280*720 pixels consegue conferir uns 0,0000017361 Tflops por pixel, o que até é superior ao que a série X oferece.

E nesse sentido, apesar que tal não apaga o facto que 1.6 Tflops é pouco para uma nova geração, face a um jogo 4K na série X, esta consola mais facilmente mantém os 720p, do que a série S mantém os 1440p.

E se pensam que a largura de banda a pode prejudicar aqui face a uma série X, verifiquem só que no que toca a Gigabytes por Teraflop, este PC consola é o que apresenta o valor mais alto.

Muito bem pensado!



5 7 votes
Avalie o nosso artigo
25 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gervas69
Gervas69
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Tenho estado a acompanhar as notícias desta “consola” e o interessante é que o SO é desenvolvido em Linux, e apesar de eles dizerem que pode ser instalado o Windows pode ser que acabe um pouco a dependência do jogos em Windows.
Eles também dizem que ainda não encontraram nenhum jogo que a consola não corresse.
Vou esperar para ver o que sai daqui, mas tenho boas perspectivas.

Juca
Juca
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Interessante lembrar ainda que é um dispositivo que aceitará serviços de streaming de todas as empresas, tendo em vista ser um PC, fora os emuladores.
Uma grande e acertada aposta da Valve.
Pra quem gosta da ideia de tudo em um, portabilidade, liberdade de escolha, retrocompatibilidade e serviços, parece um excelente negócio.
Resta saber se será compatível com o Windows 11, dadas as restrições da MS pra quem curte seu SO!?!?

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Juca
2 meses atrás

A steam deck roda o Steam Os, que é baseado no Proton uma distribuição do Linux e a mesma do Pop Os que comentei ontem, por isso que o win 11 não se torna nem interessante para o Steam Deck.

Rui Teixeira
Rui Teixeira
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Permite-me corrigir essa informação, parece-me haver muita confusão!
O SteamOS não é baseado em Proton e o Proton não é uma distribuição. O Steam OS 1.0 era baseado em Ubuntu, mais tarde mudou para Debian e esta versão 3.0, que irá ser usada no Steam Deck é baseada no ArchLinux (curioso para saber como vão lidar com as actualizações), o SteamOS nunca foi baseado no PopOS.
O Proton é um fork do Wine (https://www.winehq.org/), este permite executar software windows no linux, o Proton é mais optimizado para jogos e neste momento já permite correr uma quantidade gigante de jogos sem nenhum problema. Normalmente os que mais problemas dão são os que têm sistemas anti cheat, mas segundo a Valve até esses irão funcionar.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Rui Teixeira
2 meses atrás

Agradecido pela correção, eu tinha lido e interpretado errado, mas eu espero que com a Valve investindo, a parte gamer do linux bata de frente com o Windows, já passou da hora em minha opinião das empresas prestarem mais atenção no Linux como sistema de jogos.

Ontem eu compartilhei um link que mostrava o rapaz do canal do Linus instalando o Pop Os e alguns jogos, e nele fala que jogos como Destiny 2 e outros com anti-cheat rodam, mas pelo que entendi sem a componente do anti-cheat.

Juca
Juca
Responder a  Daniel Torres
2 meses atrás

Eu sei, mas há pessoas que não desmamam, e nada melhor que ter opção, se é PC, menuboot aceita, logo, vc pode testar até outras distro gnu/linux em paralelo se assim desejar.

Deto
Deto
Responder a  Juca
2 meses atrás

Windows não é interessante para jogos, é usado pq é um monopólio.

Impossível um portatil com sistema otimizado para ele, drives da GPU, etc perder em desempenho para um Windows genérico cheio de tralha inutil que a MS enfia para tentar derrubar a concorrência.

Aposto com vc que os jogos “emulados” aí vão ter mais desempenho que se vcs instalar windows.

Shin
Shin
Responder a  Deto
2 meses atrás

O Windows é interessante para jogos antes do DOS por isso é a plataforma que tem mais jogos e a mais jogada. O que não é interessante são as atitudes da Microsoft para adoção de certas versões, vamos separar empresa de produto.

Não acho que o problema de um portátil PC seja o Windows ou se for seja apenas isso. O problema do Windows Phone não era a interface mas sim porque não existia adoção dos desenvolvedores. Os jogos de PC são orientados para mouse e teclado em sua extensa maioria, o que são orientado para controladores são ports de consoles, esses ports geralmente já possui certos problemas de incompatibilidade com os PCs então qualquer plataforma portátil baseada em PC pode ter algum tipo de problema de incompatibilidade que o usuário terá que resolver ou conviver. Para usuários de PC acostumados com este ambiente não é problema. Eu aposto que a maioria dos caras que comprar o Steam Deck vão simplesmente ligar na tomada, conectar um mouse e teclado Wireless e jogar nele como em qualquer laptop, pois 600 gramas pra ficar segurando por vários minutos ou horas não e muito cômodo.

Deto
Deto
Responder a  Shin
2 meses atrás

Quando eu jogava Unreal Tournament 2004 com Linux eu carregava o mapa e entrava no Servidor antes de quem tinha RAID0 com Windows 2000 NTFS ou Windows 98 FAT32.

Lembrando que até hoje o Windows usa NTFS.

Usava Linux em RaiserFS, era um maluco sozinho que fazia esse Sistema de Arquivos que é superior ao Sistema de Arquivos da “maior empresa de software do mundo”.

Linux iria destruir o Windows em jogos se investissem o mesmo que investem na versão Windows dos jogos.

Shin
Shin
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Existe um lado bom e um lado ruim do Steam Deck o lado bom é que é bom a Valve colocando esse produto no mercado por vários fatores, no lado ruim é que isso não pode ser visto como um competidor do Nintendo Switch.

No ambiente PC você tem coisas como GDP win, AYA NEO, e são laptops transformado em portáteis vendidos por empresas chinesas que podem simplesmente colocar isso a um preço rentável no mercado e usa essa estratégia de produto “gaming” com o objetivo de criar visibilidade e não se perder em meio a infinidade de produtos.

A Valve criando isto serve de modelo para esses aparelhos. Não é somente Steam Deck hardware mas sim o modelo de desenvolvimento Steam Deck. O Steam OS era nada mais que o modelo de desenvolvimento Steam Machine, as Steam Machine se foram, era vaporware mas o Steam OS, os recursos de interpretação do DirectX sobre Linux, e a interface de usuário ficaram. O que o Steam Deck significa? Significa que a plataforma da Valve encontra estabilidade ao passo que eles podem pensar agora não em aumento de poder e sim em eficiência pois o modelo de negócios agora toma laptops como parte significativa da base de conteúdo digital da rede, não é mais algo apenas para os robustos PC gaming.

Agora a parte má é que isso não chega a impor um nível mais básico de competição para com a Nintendo, o que significa que a Nintendo não se moverá uma linha de sua estratégia interna para Switch e futuros sucessores. A Nintendo ainda encara que seu rival mais próximo é unica e exclusivamente o Sony PlayStation, que foi o único à ter uma presença relevante em toda a história de evolução portátil ao ponto de fazer a Nintendo mudar algo em sua estratégia. Bem o Atari Lynx também, Gunpei Yokoi estudava implementar uma tela colorida no Gameboy mas vendo a Atari fazendo isso mudou para tela P&B e deu certo.

Eu acho que é o mesmo agora, desde o PSP estamos vendo as empresas que adentram no mercado de portáteis falarem de potência, enquanto a Nintendo está falando de eficiência. O Steam Deck por exemplo entrega um Ryzen e seu problema é que a arquitetura X86 é pouco eficiente enquanto a GPU RDNA3 é sim eficiente é esse conjunto, junto ao uso de memórias LPDDR5 que permite a AMD diminuir custo de energia. Mesmo assim isso ainda tem um tamanho rechonchudo como um laptop, tem uma má escolha ao disponibilizar suporte a eMMC junto a NVMe SSD M2, e tem o fator de otimização onde o software precisa se ajustado para o consumo, estamos falando da mesma tecnologia Smartshift do PS5 aqui, se você não tiver um software bom você não pode extrair o máximo. Portanto, o poder é puro Vapor sendo incapaz de intimidar a Nintendo que não foi intimidada pelo PSP ou PSvita.

Mas também existe um último ponto que levanto, o Steam Deck serve mais ou menos para entender para onde o negócio de jogos estão indo. A lei de moore acabou, então essa suplantação de colocar o hardware com maior densidade esperando dobrar a potência está no seus fim de dias. O que veremos são, semicondutores cada vez mais eficientes capazes de se colocar em produtos mais elegantes. Nesse ponto também vemos como o ARM está se levantando para substituir o X86, pois consegue alavancar sua eficiência coisa que o X86 não mais é capaz. Como a Nintendo continua a estabelecer sua plataforma de desenvolvimento sobre ARM, eles ainda continuarão escalando a perfomance de suas plataformas, eles só não fizeram isso porque a Nvidia ainda não escalou a eficiência de suas GPUs. Olhe para Maxwell, Pascal, Volta, Turing e Ampere e você verá que a Nvidia está planificada em escala de eficiência e fez intrusões em escala de cache + memórias. Porque rumores apontam que Lovelace arquitetura de GPU destinada a RTX40xx é menos eficiente? Porque a AMD já está elevando a escala de eficiência de suas GPUs desde RDNA1 e sabemos que AMD vai precisar enxugar mais ainda sua arquitetura pois é por causa da ineficiência que os consoles novos são grandes demais. É por isso que Steam Deck surge exatamente depois da nova geração de consoles é porque a AMD estabelece novas implementações em seus Socket menores, os recursos implementados no Steam Deck são os mesmos recursos implementados no PS5 e XSX revisados. Voltando a Nvidia, sua revisão de eficiência surge pós Lovelace pois devido o cenário HPC, Nvidia pretende adotar módulos MCM, e para isso terá que ter núcleos individualmente mais eficientes. É da escalada e eficiência que sairá o Tegra de consumo que habitará uma nova geração da Nintendo Switch e se partindo do ponto que a Nintendo é um dos clientes Nvidia mais substancial, digo que é do chip que habitará a nova plataforma da Nintendo que a Nvidia está criando um design de eficiência que vai ancorar arquiteturas futuras de consumo. Tal como arquitetura Kepler e Maxwell surgiram da eficiência dos chips Tegra.

Então sim, não será agora, mas será em breve e sim, terá boa perfomance como todo Tegra teve, mas terá um foco ainda maior na eficiência já que o X1 ele só foi praticado em produtos sobre bateria a partir do Pixel C reduzindo potencia e só então depois no Nintendo Switch. Por ser uma escalada de perfomance sobre o mesmo a Nintendo mira em expansão do desempenho portátil. Portanto, Steam Deck permite entendemos o que está vindo, um produto muito eficiente, com dimensões discretas e ao mesmo tempo capaz de rodar jogos da mesma forma que os demais consoles.

Vitor hugo Reale Pereira
Vitor hugo Reale Pereira
2 meses atrás

Mario acha que o AMD fidelityfx super resolução pode melhorar de forma significativa sua qualidade mesmo Não usando machin larning? Se isso acontecer consoles como o steam dechk e xbox series s podem ser nelhor otimizados para jogos futuros.

Deto
Deto
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Gostei bastante desse portátil, já vale o preço só por rodar emuladores, sem nem contar os jogos nativos.

E tomar que esse portátil de um boost para Linux como máquina de jogos

E ainda, essa APU em 3nm com tela OLED vai ser uma maravilha

Carlos Zidane
Carlos Zidane
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Achei muito bacana mesmo. Como sempre o ponto fraco é o preço, mais caro que o Serie X !
Aí complica

Gervas69
Gervas69
Responder a  Carlos Zidane
2 meses atrás

A comparar devia ser com um portátil gaming, se conseguir rodar tudo como eles dizem o preço nem é mau, aliás já andavam a vender as reservas, nem era a consola, por 5000$

Carlos Zidane
Carlos Zidane
Responder a  Gervas69
2 meses atrás

Comparo com o que eu quiser, até com preço de um Celta duas portas

Daniel
Daniel
2 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Será que com uma aceitação razoável dessa steam deck somada com a implementação das litografias de 6 ou 5nm dos próximos produtos da AMD e com a chegada das novas memórias lpddr6 (+ largura de banda) não seria interessante para a Sony lançar um Ps5 portátil? Digo isso porque diferentemente do Psp ou PsVita, um Ps5P teria a mesma arquitetura que o irmão maior, facilitando e muito o port para o menor. Por um preço de até $499, poderia fazer um bom estardalhaço. Quem pensa em pagar $350 num Switch Oled balançaria pelo menos, se existisse uma opção como uma essa.

Shin
Shin
Responder a  Daniel
2 meses atrás

Sony não lançou o PSP apenas porque queria estabelecer um concorrente para a Nintendo. Sony lançou o PSP pois queria promover o UMD e o Memory Stick Pro Duo. O PSP não tem origem na SCE mas sim pela divisão PDA da Sony, que não estava indo bem na época, então resolveram fazer um produto junto com a SCE. Se caso a tecnologia UMD tivesse dado certo, o objetivo da Sony era criar gadgets disc system baseados no UMD, mas o que eles viram foi o mercado adotando o MicroSD e não qualquer um de seus formatos, por isso o PSP já não tinha muito sentido prático para a Sony. Divisão SCE foi restruturada e equipe PSP, se juntou a Sony Ericsson depois de 2008, PSPgo foi lançado e basicamente, ele era uma continuidade do PDA Mylo, tinha foco em internet e rede social, isso é o esqueleto para o PSvita. O nome PSvita soa esquisito para quem viu o PSP apartir do olhar de um video game portátil, mas quando você percebe que Mylo significa My Life Online você percebe de onde vem essa idéia. O PSvita no seu protótipo era exatamente como o PSPgo só que maior, com um controle Slider, essa idéia é continuada no Xperia Play.

Sobre portátil Sony a resposta é simples… A Sony praticamente saiu do mercado global de dispositivos compactos e saiu totalmente de produzir tecnologias internas e semicondutores para portáteis. Os Xperia que ainda são lançados usam tecnologias terceirizadas e por isso deixaram de ser competitivos. Por essa razão a Sony está impedida de fazer portáteis.

Se a SIE decidisse fazer um portátil hoje, isso significaria dividir uma parte do orçamento em pesquisa e desenvolvimento, publicidade e desenvolvimento de software para uma segunda plataforma o que é contra produtivo.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
1 mês atrás
Sparrow81
Sparrow81
Responder a  Carlos Eduardo
1 mês atrás

Jogar a meia dúzia de jogos decentes do Switch no emulador. Muito melhor do que gastar com essa bomba. Caro, com problemas e feio que dói. Haha

Pedro
Pedro
Responder a  Sparrow81
1 mês atrás

Jogou o Zelda Skyward nesse emulador? Imagino que deve ser ruim sem o controle de movimentos

error: Conteúdo protegido