Um apanhado do historial do que aqui foi dado a conhecer sobre as consolas na geração PS4/Xbox One

0 0 vote
Avalie o nosso artigo

Durante a passada geração, a PCManias foi muito atacada e criticada por ter abertamente referido desde sempre aquilo que se deveria esperar sobre as consolas (a PS4 e a Xbox One). Agora com a geração por trás das costas, vamos recapitular tudo o que foi dito, confirmando que afinal… sempre tivemos razão!

Nota: Esta artigo não é um artigo normal. Basicamente ele foi escrito como um desabafo após vários anos onde a PCManias sempre foi mal compreendida e até atacada e insultada por primar apenas por um factor: O realismo nas suas análises. E com uma geração para trás, é altura de vermos tudo o que aqui foi dito, e analisar até que ponto fomos realmente parciais como acusados, ou apenas realistas.

Naturalmente que se torna difícil recapitular tudo o que se passou para trás, mas a realidade é que este artigo não pode deixar de ser escrito.

Aqui na PCManias, tal como em todos os lugares, cometemos erros. Fazêmo-lo porque somos meramente humanos, e porque não tendo acesso a informação previligiada nos baseamos em informação de terceiros. Mas acima de tudo o nosso objectivo é claro, o de tentar prestar boa informação, livre dos condicionalismos e interesses de outros sites e que se tornaram basicamente algo comum nos nossos dias. E no que toca à análise daquilo que seria a realidade da geração de consolas que acabou de ficar para trás, a PCManias fez aquilo que considero ser um serviço exemplar, ao alertar e acima de tudo ao acertar na “mouche”, sobre tudo aquilo que seria a realidade do que iríamos ter.

Nesse especto vamos ressaltar alguns dos muitos artigos aqui escritos sobre os diversos temas que fomos abordando ao longo da geração e sobre os quais fomos na altura muito criticados acusando-nos de parcialidade. Naturalmente iremos falhar alguns pontos relevantes pois estamos a falar de muita informação num período de 8 anos, mas aqui vai um apanhado de alguns artigos relevantes (e não necessariamente únicos) sobre os principais tópicos.



O primeiro grande artigo sobre as novas consolas que entendemos dever referir aqui, todo ele baseado em especificações e dados concretos fornecidos pelos fabricantes,  foi publicado por este website foi escrito a 30 de Abril de 2013, ou seja, 7 meses antes do lançamento das consolas. Nele dávamos a conhecer as alterações proprietárias criadas pela Sony para a sua Playstation4, e como essas alterações iam acima de tudo o que já alguma fez tinha sido feito no PC, prometendo assim uma arquitetura nova e algo revolucionária, que permitiria uma consola capaz e competente, com alterações que seriam de todo o interesse virem a aparecer no PC (como veio a acontecer).

O artigo seguinte que nos merece destaque prende-se com a análise à apresentação da Xbox One, e como esta dececionou por vários motivos. Questões como o nome da consola, a falta de foco nos jogos e grande aposta na TV, o Kinect sempre a escutar (algo que aliás foi alvo de polémica dadas as revelações de Snowden sobre as escutas da CIA), a a pouca quantidade de exclusivos (um problema que se arrastou por toda a geração e foi das maiores críticas apontadas à consola), foram abordadas.

A consola aqui apresentada foi envolvida em várias questões polémicas. O DRM dos usados, que impedia a venda livre, a aposta na TV, a obrigatoriedade do Kinect que atirava a consola para algo mais caro que a concorrência, mesmo sendo a consola menos capaz. Tudo foram questões que analisamos e referimos! E sobre os jogos usados e o seu DRM destacamos este artigo, onde dávamos a entender que as margens dadas aos retalhistas não compensavam, o público não iria gostar, e que tudo isto podia colocar em causa todo o modelo e mesmo a consola e não lhe augurando bom futuro (e o que vimos foi que a Microsoft percebeu isso e recuou).

A questão do always-on que a Microsoft exigia na consola foi algo que igualmente criticamos por várias vezes, referindo ser um ponto negativo para a consola e que poderia prejudicar as vendas. Apesar de os comentários de crítica aos nossos artigos e à nossa opinião aparecem às catadupas (infelizmente já apagados pela antiguidade e gestão da dimensão da base de dados), com alegações de que tal era o futuro, a 17 de Junho de 2013 publicávamos com alguma satisfação uma notícia que referia que o exército dos Estados Unidos concordava connosco.

A resposta da Microsoft na sequência do comentário do exército não poderia ter sido mais ridículo… Em vez de reconhecer o seu erro e de ouvir as queixas dos seus fans que todos pediam a remoção do DRM e Always online, a Microsoft recomenda que liguem as consolas… a um telemóvel. A resposta oficial da Microsoft a este assunto era que a consola tinha sido criada com esta conceção em mente (a Cloud), e que remover tal este always online era algo complexo. Para consolas sem ligação à internet, a Microsoft recomendava… A Xbox 360.

Mas curiosamente no dia 18 de Junho a nossa notícia era que a Microsoft ponderava remover o Always Online… E mais engraçado ainda, no dia 19 a noticia era que a Microsoft tinha acabado com o DRM dos usados e Always Online. Mais uma vez se percebe que as nossas críticas tinham razão de ser.



Finalmente alguém tinha metido senso naquelas cabeças, e faltava apenas resolver a situação que também criticamos criada pelo custo e obrigatoriedade do Kinect (que viria a ser removido mais tarde). Estas situações que tanto criticamos, e que tantos comentários de ataque e mesmo ódio geraram contra a PCManias, acabaram por se revelar adequadas e realmente mostrar aquilo que era o desejo do público não fanático. Uma consola livre de restrições e de periféricos opcionais como sempre as consolas foram!

Mas as polémicas sobre a consola não ficaram por aqui, pois no dia seguinte já havia mais o que escrever sobre a Xbox. Os jogos que foram apresentados na E3 não corriam na Xbox, mas sim em PCs, e nesse sentido havia o risco de o apresentado não corresponder ao produto final (algo que se veio a confirmar numa série de jogos que tiveram downgrades gráficos como por exemplo, Forza 5).

No meio disto tudo os Tflops tornavam-se uma palavra de ordem, e algo esgrimido pelos fans PlayStation. Mas apesar de usados aqui, os Tflops são uma medida que pode ser tremendamente enganadora, e apenas pode ser aplicada a arquiteturas idênticas para comparação de performances. Aqui, com a PS4 e a Xbox One não tínhamos isso, e as arquiteturas possuíam algumas diferenças, sendo no entanto que nenhuma delas aparentava ser realmente significativa face às alterações presentes do outro lado. Nesse sentido, apesar das diferenças, as consolas poderiam ser consideradas próximas o suficiente para ser comparáveis pelos Tflops.

No entanto, para que a coisa não passasse em claro, a 26 de Junho de 2013 publicamos um artigo, ainda hoje actual e relevante para a questão da PS5/Xbox série X, que explicava de forma clara porque motivo os Tflops são uma medida de potência, mas nada indicadores de performance, e que o uso dos Tflops para comparar a performance só era aplicável à PS4 e Xbox One porque apesar de algumas alterações e otimizações proprietárias dos dois lados, nenhuma das consolas possuía algo de verdadeiramente significativo nas alterações do rendimento interno que o outro lado não tivesse igualmente pensado, de forma maior ou menor, o que para todos os efeitos tornava o hardware basicamente comparável (algo que não acontece com a PS5 e a Xbox série X, onde as alterações da PS5 a nível do rendimento interno do GPU são diferentes das da série X).

A 29 de Julho de 2013 escrevíamos um dos vários artigos comparativos do hardware das duas consolas, mostrando que não só a PS4 tinha mais performance, como o seu hardware era menos complexo e menos propício a gargalos. Era o início do massacre dos fans da Xbox que contestavam tudo o que escrevíamos, com questões do género “vocês percebem mais que os engenheiros da Microsoft?”, ou acusações de parcialidade pela simples constatação de factos que todos constatamos ao longo da geração.



É nesta fase que aparece o célebre MisterXmedia… com as suas tretas sobre a Xbox possuir hardware secreto, usar silicone negro, poder vir a ter velocidade elevadas de relógio, segundos GPUs, etc. Situações que eram passadas em foruns como sendo realidades e que muitos fanáticos ou pura e simplesmente pessoas menos informadas, iam comendo como possível verdade.

Assim, a 1 de Setembro escrevemos um artigo a desmentir um dos primeiros falsos rumores criados por este senhor, e que referia que o CPU da Xbox viria a correr a 1.9 Ghz. Recorde-se apenas que os rumores levantados por este MisterXmedia eram bastante bem fundamentados, pelo que o desmentir obrigava a argumentos igualmente capazes. E infelizmente não vimos grandes websites a ter uma postura equivalente à nossa, desmentido tecnicamente essas afirmações falsas.

Para aqueles menos dotados tecnicamente, repetimos o mesmo desmetido, num outro artigo, usando argumentos mais terra a terra.

O expoente máximo destes falsos rumores surgiram com a afirmação da existência de um segundo GPU na consola. Um rumor muito, muito bem montado, com fotos, argumentos técnicos, e uma série de situações que eram quase impossíveis de serem desmentidas sem se afirmar que este senhor era um burlão e que tudo que apresentava como provas era forjado (algo que se sabe agora ter acontecido, mas que na altura era prematuro de ser feito). Mesmo assim, sem termos dados concretos que nos permitissem desmentir a coisa categoricamente, aplicamos o bom senso ao que era referido, e colocamos sérias dúvidas à existência desse hardware.

Quem não ajudou nada a acabar com esta onda de situações que passavam uma imagem de uma Xbox mais capaz do que realmente seria foi Albert Penello da Microsoft, que veio a público com frases enganadoras. Neste artigo comentamos e explicamos os motivos pelos quais as suas frases estavam a tentar criar uma imagem diferente daquela que poderia ser a realidade das coisas.



Uma afirmação curiosa que foi usada pela Microsoft na boca de Penello foi a seguinte:

[PS4’s] 18 CU’s vs. [Xbox One’s] 12 CU’s =/= 50% mais performance. Os processadores Multi-Core tem inerentemente mais ineficiência com mais CUs, pelo que é incorrecto referir que temos 50% mais CPU.

Uma frase que sendo verdade (Lei de Amdahl – e teremos um artigo futuro sobre ela), curiosamente, a Microsoft não usa quando agora compara a sua série X com a PS5. São as curiosidades da vida!

A 12 de Setembro, o MisterXmedia dá uma nova investida… mas desta vez cometendo uma gafe técnica que nos leva a escrever um artigo em que o chamamos efectivamente de burlão. Curiosamente esta situação fez com que o próprio tivesse conhecimento do nosso artigo, tendo vindo participar dos comentários (Em inglês), e tentando convencer-nos de que efetivamente estaria correto (uma situação que se voltou a repetir em 2019 quando afirmou que a Xbox One teria capacidades de Ray Tracing ainda por usar). Infelizmente, como já referido, dado que os comentários do website apenas se mantêm por cerca de um ano, estes não estão já disponíveis, pois seria interessante se pudessem consultar os mesmos.

A 19 de Setembro de 2013 (ainda antes do lançamento das consolas), eis que publicamos mais um artigo que os fans da Xbox não gostaram. Nele referimos que a PS4 deveria vir a correr os jogos a 1080p, com a Xbox a ficar-se pelos 900p. Prevíamos ainda que a diferença pudesse ser maior em alguns jogos, mas que dado a proximidade das consolas, que apenas difeririam na resolução, prevíamos algum nivelamento por baixo no sentido de se equilibrar as coisas e que impedissem diferenças chocantes.

Passada a geração, as resoluções foram efetivamente essas, e apenas não vimos muito as tais diferenças maiores pois as resoluções aplicadas passaram a ser dinâmicas.



A 26 de Setembro de 2013, a Microsoft dá uma entrevista à Eurogamer. A entrevista é comentada, e o hardware descrito da Xbox comparado com o da PS4. A entrevista é analisada em duas partes, comparando o hardware das duas consolas e mantendo a nossa ideia de que a PS4 se revelava superior. Infelizmente um problema com a base de dados da página fez com que perdêssemos a análise à primeira parte da entrevista. Temos porém aqui a segunda parte.

Com a Microsoft a tentar reverter a ideia de menor capacidade da Xbox One, baseando-se no suposto poder da Cloud e em como ele poderia trazer performances extras à consola, escrevemos a 20 de Outubro um artigo em que referíamos, face à realidade existente,  porque motivos dificilmente o Cloud Computing alguma vez poderia ser algo relevante. Basicamente neste artigo mostrávamos todos os problemas relacionado com o Cloud Computing, dando a perceber que a promessa da Microsoft era vã e baseada em algo que dificilmente poderia ser mostrado tão cedo.  Este foi mais um artigo colocado sob fogo, com acusações e ataques à página e à nossa integridade. No entanto estamos agora em 2020, e nada do que foi prometido em 2013 com o cloud computing foi entregue, o que demonstra que, mais uma vez, o nosso artigo foi realmente informativo e tremendamente realista.

Com a apresentação dos primeiros jogos da Xbox, vemos uma PS4 a 1080p e uma Xbox a 720p… Estávamos longe de termos os resultados previstos por nós de 1080p, 900p. Nesse sentido escrevemos um artigo que explicava o motivo do uso dos 720p, os problemas que os programadores estavam a encontrar, e o que se esperar no futuro para resolver a situação. Como todos sabemos, em termos gerais a Xbox superou os 720p, e apenas retornou a eles quando a Xbox One X apareceu e as otimizações especificas causadas por um API comum deixaram de ser aplicadas da mesma forma.

Não tendo os fans ficado contentes com o que viam na sua consola, agarraram-se a uma nova esperança de reverter a situação: O DirectX 12! No entanto, qualquer pessoa mais informada sabia que a o DirectX 12, apesar de melhorar o panorama geral. não seria a solução milagrosa. E nesse sentido, a 10 de Junho de 2014, escrevemos este artigo sobre o novo API da Microsoft, explicando os motivos pelos quais ele não seria nada de revolucionário na consola.

Apesar de mais uma vez termos caído sob fogo cerrado dos fans, desta vez acabamos posteriormente por ter a ajuda de Phil Spencer, que a 18 de Julho dava a conhecer o que já tínhamos dito: Que o API não seria algo que causasse uma grande diferença na Xbox. E como todos sabemos agora… não foi!



Em algumas notas finais não podemos deixar de abordar a polémica de Battlefield. É que quando as primeiras imagens do jogo apareceram, havia diferenças visuais grandes entre as consolas com a Xbox a mostrar um aparente maior detalhe nos pormenores.

Ora analisando as imagens de ambas as consolas, percebemos que as imagens vindas da consola Xbox apenas tinham como diferença das da PS4 uma maior acuidade, e que a mesma definição na imagem poderia ser obtida com uma regulação na TV.

Esta conclusão levou a tremendas discussões aqui no website, e mesmo a que alguns fans da Xbox deixassem de aqui participar por nos considerarem parciais e não reconhecermos pura e simplesmente que a imagem da Xbox era superior.

Mas a realidade é que não podíamos fazer isso, pois o nosso artigo relatava uma sequência de passos realizados na imagem que mostrava claramente que isso não era verdade, e que a diferença era apenas no nível de acuidade.

O que se soube depois foi que efetivamente tínhamos razão, e que a Xbox One por defeito aplicava esse filtro de acuidade a todos os jogos sub 1080p, de forma a tentar compensar a menor resolução. Uma situação que acabamos por relatar neste outro artigo.



Notas finais

No meio desta pesquisa para este artigo, encontramos algumas outras situações que não podemos deixar de abordar. No meio de tantas afirmações da Microsoft que tentaram desculpar o que foi feito e que tanto queimaram a sua imagem, como o dizer a quem não tem internet que comprasse uma 360, ou dizer ao Exército dos EUA que queria usar as consolas mas não tinha internet que usassem telemóveis, e tantas outras afirmações disparatadas, Harvey Eagle, director de Marketing da Xbox Reino unido, veio comentar a polémica das diferenças de resolução referindo que elas só eram notórias com as consolas lado a lado… e num ecrã de 60 “. Ridículo!

Achamos igualmente relevante deixar uma nota sobre outras previsões nossas feitas até aos dias de hoje. Só para que percebam que nunca houve aqui qualquer má vontade mas apenas realismo.

Numa altura em que todos abandonavam os jogos Single Player, foi previsto por nós que os jogos Single Player não morreriam, e que voltariam em força – Aconteceu!

Com o lançamento de novas consolas e números de Tflops enganadores, foi previsto por nós que, com as suas alterações proprietárias, a PS5 seria muito semelhante à Série X da Microsoft – Aconteceu!



Daí que, com tudo isto, não pudemos deixar de escrever este artigo. São muitos anos a receber ataques apenas por, apesar de podermos falhar nas análises, tentarmos ser realistas e honestos. E devido a tal, porque somos humanos, chegou a hora de fazer esta retrospectiva para que percebam que neste website a informação sempre tentou ser séria e não parcial como alguns julgaram e eventualmente ainda julgam. Aqui não se fazem factos, apenas se os analisam e se relata. O resto a culpa não é do mensageiro… e se o mensageiro se limita a tentar ser o mais realista possível face ao que encontra e isso não agrada… De quem é a culpa?



0 0 vote
Avalie o nosso artigo
38 Comentários
Antigos
Recentes
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Daniel Torres
Daniel Torres
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

O que acho curioso é que a Microsoft nunca mudou suas políticas desde o início da gen passada o gamepass, o foco em jogos online e na “comunidade”, só mostra o que eles sempre quiseram o Always on e a impossibilidade de se vender um jogo, tudo isso com um nome mais pomposo e que não gera um impacto negativo ao ser falado e ela ainda sai como “amiga” do consumidor.

José Galvão
José Galvão
Responder a  Daniel Torres
3 meses atrás

Gosto de ler comentários assim, lúcidos, e digo mais, a Series X é aquilo que a One quis ser, uma consola com DRM, quem comprar uma Series e não tiver net, é basicamente um pisa-papéis.

Ewertom
Ewertom
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

Assim como um ps5 digital,vai baixar como sem internet?consoles digitais é assim,quem compra já ta sabendo ..

José Galvão
José Galvão
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

Quem compra a PS5 digital ou a Series S, já sabe ao que vai, quem compra uma Series X e paga bem mais por ela, tem uma consola de jogos fisicos que tem a opção do digital, coisas bem diferentes, a PS5 podes tirar da caixa e usar onde existe eletricidade, a Series X não funciona inicialmente sem internet, consegues perceber a diferença?

Ewertom
Ewertom
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

Como falei quem,compra sabe o que esta a comprar,quando comprei meu One em 2014 teve essa instalação obrigatória,mas um adendo amigo que caso não saiba se a pessoa compre e não tem internet(coisa dificil hoje em dia né) basta ter um celular e usa-lo como roteador,essa atualização tem como puxar.Colou.

Ewertom
Ewertom
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Qual console ele esta falando?Esta claro o que estou a dizer,nos dias atuais não tem desculpa para o processo e tem aquele ditado se tem grana para comprar um console de 500 dolares ou euros o cara não tem um celular ou internet?
Quem compra esses consoles quer jogar multi player e afins,ou seja sabe o que quer compar ou adquirir,agora se um tem acesso mais facilitado,mas fica com muitas restrições de uso cso esteja off.
Não citei App e sim um meio de realizar um processo pelo celular onde é muito comum nos tempos modernos.
Eu mesmo qundo há uma queda de energia em casa o celular vira um roteador,simples assim

Fernando Molina
Fernando Molina
Responder a  José Galvão
3 meses atrás

Com tantas atualizacões de sistema e praticamente todos os jogos sendo consertados via patch, quem em sã consciencia vai comprar um console sem ter internet

Ewertom
Ewertom
Responder a  Daniel Torres
3 meses atrás

Um adendo,amigo esqueceste que toda a midia digital adquirida é necessário o login do usuário para jogar e caso venda seu console ou play,você vai vender com sua conta?não tem como,ou apaga tudo e vende,ou faz conforme a primeira opção que não é recomendada. O Xbox tem a opção de jogar se não me engano sem internet quando você coloca ele como primário,mas vou ver aqui se ainda funciona essa função.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Ewertom
3 meses atrás

O que você falou é verdade Ewerton, no Ps se sua conta for a principal dá para jogar os jogos digitais off também.

Mas meu comentário acima foi para mostrar que a Microsoft nunca mudou sua política só adaptou ela, veja ela pregava que ate para jogar o johos single voce tem que estar online, pregava a introdução de um DRM que se nós quiséssemos vender um jogo mesmo que físico não poderíamos pois estava preso ao console e o gamepass e o foco dela na cloud e jogos on é exatamente isso que ela senpre pregou.

Só para constar eu repudio o Ps5 digital e o Series S, são consoles que nunca deveriam existir (mais o Series S) e jogos digitais são pouquíssimos os que eu compro, pois além de eu não gostar de jogos digitais, pelo menos aqui no Brasil é mais fácil encontrar uma midia física mais barata do que a digital.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Excelente trabalho na cobertura da geração passada!

Ps: o meu adaptador para o PSVR chegou!

José Galvão
José Galvão
Responder a  Alexandre Oliveira
3 meses atrás

Finalmente, o meu ainda não chegou mas é um bom indício.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Não sei se tocaram, mas hj quando fui a caixa de correio estava lá,
Veio direto de Frankfurt.

Alexandre Oliveira
Alexandre Oliveira
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Yehhh

José Galvão
José Galvão
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

O meu também!!! 😉

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Eu tinha visto isso ontem, e só gostaria de saber ate onde as pessoas vão com esse fanatismo. É triste de ver.

Ps: Se a Microsoft realmente fizesse isso eu sairia de vez do mundo dos vídeo games, só doido para querer ficar em um monopólio.

Daniel Torres
Daniel Torres
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Exato Mário e dentre tudo o que você falou eu só acrescentaria que a Sony sendo uma empresa japonesa eles tem regulamentações para evitar este tipo de compra hostil vinda de estrangeiros, eu também não conhecia essa data de 28 na Espanha, mas te digo que já vi aqui no Brasil essa notícia sendo espalhada como sendo verdadeira e os fanboys a levando a sério, por isso meu comentário.

Ps: Não cai no 1 de abril daqui, mas caí no equivalente da Espanha hehehehe

E pessoal do pcmanias desejo a todos que essa passagem de ano seja tranquila e que todos no próximo tenham muita saúde e novas conquistas

marcio
marcio
3 meses atrás

Otimo artigo Mario, li os links que não tinha lido (conheci o blog so esse ano). Obrigado por compartilhar seu conhecimento com a gente, agora vou ler sobre a Checkerboard da ps4 pro em suas materias aqui no site.

marcio
marcio
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Mario, li o artigo, incrivel, obrigado pela indicação e pelo outro artigo, eu desconhecia essa tecnologia da Sony e não imaginava que ela era feito a nivel do hardware, provavelmente a PS5 tera um checkerboard 2.0, pois poupa em muito render a imagem em 1080p e depois usar a tecnica para exibir a imagem em 4k que é praticamente sem percas..

nETTo
nETTo
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu estive por aqui durantes estes longos 7 anos de geração. Os debates acalorados com nosso colegas Fernando durante grande parte deste período foi quase que matinal. Agora começa um novo ciclo.

Deto
Deto
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Com a experiência que tinha nos PCs já previa 720p~900p no xbox e 1080p no PS4.

Fui ler o artigo sobre as declarações do Penello… E hoje ele continua falando grozelha na internet….

https://twitter.com/albertpenello/status/1306425709133406208

O cara não desiste do “software mágico”

E parece que “não aprender com os erros” que a gente vê tanto fã de xbox na internet também se aplicou com altos funcionários da MS…

e o Ybarra parece que evoluiu

https://twitter.com/albertpenello/status/1306425709133406208

Outro comentário, está ai a “meritocracia”, garanto que o Mario e mais meia duzia de leitores e comentaristas do PC manias teriam mais competência que esse Penello… acho que só iam precisar de um curso técnico em administração para ter mais competencia que esse Penello.

garanto que a maioria das pessoas iriam parar totalmente de falar em poder e iriam focar em jogos como mensagem do xbox ao contrário de ficar insistindo em falar sobre isso e chamar mais atenção ainda para isso.

Duarte
Duarte
3 meses atrás

Nao entendo essa das alteraçoes proprietárias e etc…
A ps4 tinha melhor gpu e ram, resultando maioritariamente numa consola 1080p vs 900p (xbox one).
Já one x mostrou resultados melhores do que a ps4 pro devido ás mesmas diferenças. Mas alguém dúvidava disso?

Tirando as cpus mediocres até eram equlibradas

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Gostaria de acrescentar que este artigo faz um compilado do que foi dito e escrito por pessoas teoricamente sérias e influentes na indústria de games. Já pensou se fizéssemos um compilado de todos os delírios adicionais que foram construídos pelos fanáticos apenas em 2013/2014? Sairia um artigo gigantesco e repleto de pérolas absolutamente malucas.

É por essas e outras que não perco mais o meu tempo lendo nem assistindo canais ou sites reconhecidamente fãs da pataforma xbox. Acho muito válido ler e discutir sobre ganhos de DirectX 12, devkits, como fazemos por aqui. Passou disso, nosso tempo é precioso demais para ficar prestando atenção em delírios e contos de fadas que alguns precisam construir diariamente para manter a fanbase fanática devidamente alimentada de ilusões.

E o artigo de hoje do Mário mostra isso claramente, sempre foi assim. Surge uma notícia negativa sobre xbox, o flamewar fica calado no primeiro dia, no segundo dia começam a inventar qualquer maluquice para justificar, e no terceiro dia alguém mais inteligente elabora um controle de dano que parece ter lógica, mas geralmente não condiz 100% com a realidade, as famosas “meias verdades”. E esse público passa a repetir esse controle de dano com as mesmas palavras como se fosse um exército de robôs ou xbots. E tudo isso entra em um loop infinito, onde mesmo que o controle de dano não se comprove no futuro, um novo será elaborado e todo o ciclo se repete.

No final das contas os mais fanáticos entram em uma competição de narrativas e controles de dano, com discussões sérias e ponderadas deixadas de lado. O que entidades como MisterXMedia fazem é um desserviço à comunidade de games em geral. Constroem afirmações absolutamente sem sentido. E diante disso borbulham teorias malucas para todo lado, com discussões repletas de pérolas.

Eu mesmo tenho voltado meu twitter para escrever mais sobre o que leio de tecnologias, e menos sobre o que é dito por fanáticos. Mas mesmo assim sempre aparece alguém para me pedir que esclareça alguma narrativa inventada no mundo do pirulito. E eu tenho aplicado filtros: se essa narrativa possuir fundamentos sólidos, certamente será abordada por algum site sério como o pcmanias, e potencialmente merece um pouco do meu tempo. Caso contrário, é só delírio de fanático e eu não tenho que perder meu tempo com isso. Todos temos coisas mais importantes para fazer, seja trabalhar, cuidar de quem amamos ou nos divertir com o que realmente vale a pena.

PS: para quem quer entender mais sobre Ray Tracing (principalmente BVH) nas consolas e GPUs AMD, recomendo um texto publicado pelo Lead Rendering Engineer de Fable. Link: https://twitter.com/KostasAAA/status/1343279089969463301?s=20

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Carlos Eduardo
3 meses atrás

Ativando um pouco o meu lado isentão (lol), o texto acima em nada se refere contra a plataforma Xbox ou as pessoas em geral que preferem este videogame. Eu não me importo com o gosto pessoal de ninguém. Cada um tem seus motivos próprios para adquirir um produto. Brigar por gosto pessoal é outra tremenda perda de tempo, porque é inútil e desnecessário provar porque o gosto de fulano é melhor que o de ciclano. Como a palavra diz, é gosto.

Meus dois jogos favoritos dessa geração foram Red Dead Redemption 2 (que perdeu o GOTY para God of War) e Horizon Zero Dawn (que perdeu o GOTY para Zelda BOTW). É meu gosto, eu não preciso provar ou discutir porque são meus jogos favoritos. Se alguém quiser entender a razão do meu gosto, aí sim, sentamos em uma mesa, tomamos um cafezinho e conversamos como gente civilizada. Nessa conversa, eu posso simplesmente ampliar meu gosto pessoal com o que vou ouvir dos outros, como os outros também podem ampliar seus gostos pessoais ouvindo sobre o que eu tenho a dizer. Mas a conversa não é uma questão de um convencer o outro, mas sim de adquirir novas reflexões ou perspectivas sobre o assunto. É uma relação de ganha-ganha onde ambos aprendem um pouco mais sobre a perspectiva do outro.

O problema é quando as pessoas constantemente inventam mentiras para tentar provar que A é melhor do que B, e constroem esse universo voltado ao fanatismo. Isso contradiz com a idéia de aprender, entender como as coisas funcionam, aumentando xp, evoluindo em conhecimento. Hoje gosto mais de Horizon, amanhã posso gostar mais de Zelda, depois de amanhã posso gostar mais de Gears of War. É uma questão de nunca ser apegado demais às referências atuais, mas sim em evoluir cada vez mais no conhecimento. E quanto mais se evolui, mais se percebe que muitas coisas são como uma balança onde estaremos sempre diante de trade-offs, ganhando em algumas coisas e perdendo em outras. É sábio conhecer onde se ganha ou perde, resultando em tomadas de decisões mais acertadas diante do que cada um prefere. Mas alguns preferem inventar mentiras para dizer que nunca estão perdendo nada e suas escolhas são sempre 100% melhores. Sempre se ganha em uma coisa e se perde em outra. O que se perde pode não ter importância para uns, mas terá para outros. Por isso cada um faz suas escolhas com base em parêmtros particulares. É questão de cada um saber o que é melhor para si, e sempre discutir visando aprender, e não entrar em guerra por marca.

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
Responder a  Mário Armão Ferreira
3 meses atrás

Claro Mário, nós leitores temos ciência disso. O que eu postei é uma reflexão geral, que não se encontra exemplos por aqui.

Acho que vários de nós aqui temos um ponto em comum que é gostar de tecnologia voltada para games. E isso transcende o gosto pessoal ou torcidas organizadas.

Syegrayn
Syegrayn
Responder a  Carlos Eduardo
3 meses atrás

Saudades dos teus comentários lá na GV, Senna! Faz muita falta a contribuição de pessoas com conhecimentos técnicos para contrapor as narrativas do mundo do pirulito!

Felipe Leite
Felipe Leite
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Eu acompanhei todas essas notícias!
E como sempre, muitas vezes vi comentários com tanto ódio e completamente fora de contexto contra a Pcmanias e contra o Mário.
Muitas vezes inclusive eu rebati pessoas que aqui comentavam, afirmando o que sempre presenciei aqui. Um site sério e que tem bases para abordar os assuntos em profundidade e de forma a que todos os que tenham interesse, possam absorver conhecimento!
Tenho muito gosto em estar presente diariamente no site!

Parabéns pelo trabalho desenvolvido durante esses anos Mário!

Marco Antonio Brasil
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Parabéns pela credibilidade Mário, ela vale ouro. PC Manias é um oasis de informação e bons debates.

Livio
Livio
3 meses atrás
Avalie o nosso artigo :
     

Os seus artigos são coerentes, lúcidos e realistas ou seja o que se espera quando se fala da Computação, que é uma ciência exata.

Acompanho diariamente o site desde 2013 devido a qualidade dos mesmos, se fosse o contrário já tinha deixado de visitar o site a bastante tempo.

Como meus pais sempre falam continue a fazer o certo, as suas atitudes podem demorar a serem reconhecidas e no momento que forem reconhecidas você se sentirá gratificante e isso foi o que vimos nesse ano com alguns artigos a serem mencionados em vídeos de canais sobre tecnologia conhecidos e sérios.

É só ver que aqueles que sempre desviam a realidade podem ficar conhecidos num piscar de olhos mas o esquecimento é da mesma maneira, visto o “famoso” XMedia.

O que acho ridículo é gente que se diz da área da computação/informática saberem que algo está errado ou fica difícil de aplicar no momento, por exemplo a Cloud do Xbox One, e mesmo assim defendem por apoiar a marca.

Desejo que o Mário continue com essa facilidade de percepção de assuntos sobre tecnologia, seja de consoles, seja de PC seja de qualquer eletrônico.

Por fim desejo um 2021 com muita saúde para todos, o resto corremos atrás (principalmente por uma unidade do PS5 ou Xbox Series!!!!!). Cuidado com as aglomerações! Até o ano que vem(Vai demorar né)!!!

error: Conteúdo protegido